I'VE GOT TO FIND MY BABY!

RECESSO DE VERÃO

A partir de hoje, 20 de dezembro de 2019, o site Elvis Presley Index entra em recesso de verão.

As postagens neste espaço, na fanpage e no grupo fechado serão descontinuadas até nosso retorno. Twitter e Instagram continuarão a ter conteúdos atualizados.

Usaremos parte do recesso para editar e atualizar parte de nossas postagens e conteúdos, o que pode fazer com que algumas partes do site fiquem temporariamente indisponíveis.

Você ainda pode visitar as postagens anteriores aqui no site ou em nossas redes sociais:

- Fanpage (clique aqui)
- Grupo Fechado (clique aqui)
- Twitter (clique aqui)
- Instagram (clique aqui)


O Elvis Presley Index deseja a todos um Feliz Natal e Próspero Ano Novo!


VOLTAREMOS
02/03/2020


25 de Fevereiro de 1961: O Primeiro Retorno de Elvis aos Palcos

Elvis durante conferência de imprensa no Hotel Claridge; Memphis, Tennessee, 25 de fevereiro de 1961 

Depois de deixar de lado uma carreira extremamente meteórica iniciada em 1954 para arriscar uma manobra de marketing maluca do Coronel, Elvis abandonou os palcos no fim de 1957 para servir ao exército dos EUA por dois anos a partir do ano seguinte. Felizmente, a jogada foi um grande acerto e o Rei do Rock voltou a gravar em estúdio em 1960 sob uma popularidade ainda maior do que tinha três anos antes.

Todos os LPs, EPs e singles lançados naquele ano seriam sucessos absolutos e seus dois filmes seriam também bem recebidos. Mas Elvis já sentia falta dos palcos e isso era algo que o deixava preocupado com relação a sua carreira, uma vez que achava que apenas sua voz em discos e sua imagem em telões de cinema não conseguiriam manter seu status para sempre.

Para Parker, não havia necessidade de fazer shows tendo em mãos os contratos milionários com a RCA e estúdios de cinema. Essa mentalidade mudou rapidamente em 4 de dezembro de 1960, quando o Coronel leu em um jornal que as autoridades do Havaí estavam tendo dificuldade para arrecadar fundos para a construção do USS Arizona Memorial, um museu em homenagem aos mortos no ataque japonês a Pearl Harbor em 1941.

Vendo a oportunidade de exposição de sua mina de ouro, o agente recebeu o aval de Elvis e passou a fazer seus telefonemas, agendando dois concertos beneficentes em Honolulu. Durante uma extensa coletiva de imprensa em 11 de janeiro de 1961, Elvis e o Coronel explicaram que a apresentação teria todos os valores coletados com ingressos revertidos ao memorial em Pearl Harbor e que a mesma ocorreria em 25 de março daquele ano. Parker também deixou claro que ele e Elvis também doariam valores à causa e que todos os artistas envolvidos no evento seriam pagos do bolso deles.

Para saber mais sobre o concerto em Pearl Harbor, clique aqui.

Elvis e Parker durante conferência de imprensa no Hotel ClaridgeMemphisTennessee, 25 de fevereiro de 1961

A mídia começou a divulgar o retorno de Elvis aos palcos euforicamente, seja em críticas positivas ou negativas, deixando os fãs em polvorosa. Mas antes que o show havaiano acontecesse, o catálogo de discos de Elvis na RCA alcançou o incrível número de 75 milhões de cópias produzidas durante a prensagem do single "Surrender", em janeiro de 1961, e isso não poderia passar batido.

O presidente da RCA contatou Parker e informou sobre o acontecimento. O Coronel, por sua vez, repassou a notícia a Elvis e entrou em conversações com a prefeitura de Memphis e a gravadora para a realização de uma solenidade para entregar prêmios ao cantor e de dois concertos beneficentes que arrecadariam fundos para entidades previamente selecionadas no dia 25 de fevereiro de 1961. O prefeito da cidade decidiu então que, dada a importância desse evento, aquele seria declarado O Dia de Elvis Presley em Memphis. Aproveitando o momento, o governador do Tennessee concedeu ao Rei do Rock o título honorário de Coronel Ajudante de Campo na Equipe do Governador.

Às 12h15 de 25 de fevereiro de 1961, um grande almoço com a presença de autoridades, representantes da RCA, Vernon e Dee, Elvis e o Coronel, ocorreu no auditório do Hotel Claridge em Memphis. Cada pessoa presente pagou US$ 100 pela participação no almoço, gerando uma arrecadação inicial de US$ 17 mil. Na sequência, o Rei do Rock recebeu documentos que reconheciam a instauração do Dia de Elvis Presley e sua nomeação como Coronel, além de uma placa comemorativa e um relógio cravejado de diamantes pela prensagem de 75 milhões de cópias de seus discos.

Uma coletiva de imprensa ocorreu às 13h45, logo após o almoço e entrega de prêmios. Repórteres locais de todo o país se revezaram para fazer perguntas a Elvis, mas a questão que mais ressoou pelo ambiente e causou um pouco de constrangimento veio de Sam Phillips, dono do Sun Studio, que havia descoberto Elvis em 1953: "Por quê o Sun não tem o reconhecimento merecido pelo sucesso de Elvis? Se não fosse por nós, a RCA não o teria." Após o evento, Elvis foi levado de limusine até o Ellis Auditorium para se preparar para seu show.

ACIMA: Elvis recebe prêmio pela prensagem de 75 milhões de discos.
ABAIXO: Cumprimentando Sam Phillips.
Hotel Claridge, Memphis, Tennessee, 25 de fevereiro de 1961

Às 15h daquele dia, Elvis subiu ao palco pela primeira vez depois de quase três anos e meio de sua última apresentação. Em sua banda estavam Scotty Moore e Bob Suggs na guitarra, Bob Alexius no baixo (Bill Black havia se afastado do grupo em 1958), D. J. Fontana e Don Capone na bateria, Floyd Cramer no piano, Boots Randolph no saxofone, os Jordanaires nos backing vocals e Larry Mohoberac (que mais tarde trabalharia com Elvis em estúdio e palco) e sua orquestra, a King's Men, no acompanhamento.

Elvis apareceu no palco em grande estilo, com um terno cinza prateado com detalhes em azul marinho, camisa branca, calça preta com detalhes em azul marinho e sapatos pretos. A multidão de 3860 fãs gritou histericamente por vários minutos enquanto Elvis cantava as primeiras músicas da apresentação. Durante 45 minutos, o Rei do Rock rendeu seus maiores sucessos desde 1956, incluindo a novíssima "Surrender", e interpretou pela única vez a música "Doin' the Best I Can", da trilha sonora de "G. I. Blues", de 1960. Após o encerramento da apresentação com uma eletrizante "Hound Dog", Elvis foi levado às pressas para sua limusine e então para Graceland.

FOTOS: 25 DE FEVEREIRO DE 1961, 15H







Elvis retornou ao palco do Ellis Auditorium às 20h30, desta vez para se apresentar para 6540 pessoas. O mestre de cerimônias, o comediante George Jessel, que não conseguira abrir o show das 15h por causa de uma greve de companhias aéreas que ocorria à época, recebeu o cantor com um exagerado salamaleque que arrancou risadas de todos.

Com terno e camisa brancos, calças e sapatos pretos, Elvis fez um show ainda melhor. Por 50 minutos houve histeria de fãs, música de qualidade e os movimentos pélvicos clássicos do cantor em uma sequência quase hipnótica. "Doin' the Best I Can" e "Surrender" foram substituídas por "Fever" e "Swing Down, Sweet Chariot", outros dois sucessos de 1960. Elvis esqueceu algumas linhas de "Don't Be Cruel", mas soube disfarçar com uma maravilhosa improvisação. "Hound Dog" novamente fecharia a apresentação. Saindo às pressas, Elvis foi novamente levado para Graceland, onde deu uma festa para convidados seletos.

FOTOS: 25 DE FEVEREIRO DE 1961, 20H30





Todas as críticas em jornais do dia seguinte deram conta de que a maior lembrança de ambos shows foi "a excitação dos fãs, a euforia e a histeria causada pelo cantor". Os repórteres também deram conta de que o público total fora de 10400 pessoas, as quais pagaram US$ 33 mil em ingressos, e que a arrecadação total - contando com os US$ 17 mil do almoço - fechara em exatos US$ 50 mil que seriam divididos entre 26 entidades beneficentes por todo o Tennessee.

_________________________________________________________________________________________________________________

Texto original: Elvis Presley Index e Elvis Presley Music
Fotos: Google e Elvis Presley Music
Pesquisa e tradução: Elvis Presley Index | http://www.elvispresleyindex.com.br
>> a re-disponibilização desta postagem só é permitida se mantidos os créditos e sem edições.<<

Elvis no Havaí - Parte 5: Visitando as Ilhas



Ao longo dos anos, ficou evidente que Elvis tinha um grande apreço pelo Havaí. Foi lá que alguns dos melhores momentos de sua carreira ocorreram, como o concerto beneficente em Pearl Harbor e o filme "Blue Hawaii", ambos em 1961. As ilhas do arquipélago ainda serviriam de cenário para "Girls! Girls! Girls!" e "Paradise, Hawaiian Style", de 1962 e 1966, respectivamente, além do especial "Aloha From Hawaii" em 1973.

Mas o amor pelas belas ilhas havaianas havia começado bem antes, em 1957, quando Elvis as visitou pela primeira vez. O Rei do Rock ficou tão maravilhado com o lugar que decidiu que aquele seria seu recanto, passando várias de suas férias dali até 1977 no arquipélago. Mais tarde, em 1968, ele compraria uma casa à beira da praia de Lanikai, em Oahu, e faria dela seu refúgio sempre que possível.

Abaixo descrevemos algumas das melhores partes das visitas de Elvis ao Havaí.
_________________________________________________________________________________________________________________

NOVEMBRO DE 1957

Quando Elvis planejou suas férias no final de 1957, ele mal podia esperar que conheceria por acaso um lugar que o encantaria para o resto da vida.

Em 29 de outubro Elvis apresentou o último show daquele ano, em Los Angeles, e estava se preparando para gravar cenas de seu próximo filme (King Creole, à época ainda sem título). Devido a imprevistos, a produção foi adiada até janeiro de 1958 e o cantor se viu com dois merecidos meses de férias em suas mãos. Foi então que o promotor de turnês, Lee Gordon, sugeriu ao Coronel Parker a ideia de que Elvis poderia passar férias no Havaí se concordasse em fazer um show em Honolulu. Para Parker, a oportunidade de lucro extra era perfeita e tudo foi resolvido em uma reunião de meia hora sem a presença de Elvis. Tais decisões abruptas em nome do lucro já começavam a ser comuns e a incomodar o Rei do Rock, mas ele sempre cumpria com suas obrigações em função dos fãs.

Elvis embarcou no navio USS Matsonia com sua comitiva em 5 de novembro, chegando ao Havaí na manhã do dia 9. Recebido por uma multidão de fãs. ele teve sua primeira experiência havaiana na hospitalidade do povo. Apesar da fama do cantor no continente, as ilhas se mostravam respeitosas para com seu estilo e nenhum dos jornais locais postou críticas reprovando sua chegada. Ao contrário, editoriais o elogiavam e pediam às pessoas que não gostassem de sua música que fossem gentis o suficiente para não fazer críticas e entender que ele tinha fãs ali. De fato, nenhum tumulto "anti-Elvis" foi registrado durante os 5 dias em que ele ficou no Havaí.

Ambos shows de 10 de novembro de 1957, um às 14h30 e outro às 20h30, foram realizados no Honolulu Stadium e, juntos, reuniram 15 mil fãs que haviam pago US$ 32 mil para ver Elvis. No dia seguinte, o Rei do Rock realizou uma terceira apresentação direcionada a militares e suas famílias em Schofield Barracks, uma área do exército ao norte de Pearl Harbor. Como a atração também era aberta ao público e os ingressos custavam apenas US$ 1,00, Elvis se apresentou para a maior plateia de sua carreira até então: 10 mil pessoas.

A visita de Elvis ao Havaí em 1957 durou apenas cinco dias. Ele poderia fazer o que quisesse, mas no primeiro dia decidiu ficar em seu quarto no último andar do Hawaiian Village Hotel e apenas admirar a praia desde o terraço do prédio por medo de que sua presença na praia causasse algum tumulto. Ele aceitou o convite dos Jordanaires para colocar os pés na areia no dia 13, mas retornou rapidamente para o quarto quando as pessoas na praia começaram a reconhecê-lo e formar uma multidão. Foi uma experiência culturalmente rica, apesar de Elvis não ter conseguido aproveitar o lado turístico das ilhas havaianas.

Elvis no palco do Honolulu Stadium; 10 de novembro de 1957

Para saber mais sobre esse show, leia nossa resenha: clique aqui

_________________________________________________________________________________________________________________

MARÇO DE 1961

Passados quase quatro anos de sua primeira visita às ilhas, Elvis retorna ao Havaí em missão beneficente.

Quando o Coronel Parker ficou sabendo que as autoridades havaianas estavam tendo dificuldade em arrecadar doações para a construção do USS Arizona Memorial, um museu em homenagem aos milhares de mortos e feridos no ataque kamikaze dos japoneses a Pearl Harbor em 7 de dezembro de 1941, ele imediatamente viu a oportunidade de expor sua mina de ouro ao público. Depois de fazer seus telefonemas e ter o aval de Elvis, o agente marcou um conferência de imprensa em 11 de janeiro de 1961 para informar que o Rei do Rock se apresentaria em 25 de março em Pearl Harbor e que a arrecadação do show seria toda direcionada ao USS Arizona Memorial. Parker e Elvis doaram um valor substancial para a causa e pagaram o cachê dos outros artistas que estariam presentes.

Sem descansar muito desde 21 de março, quando começara a gravar a trilha sonora para "Blue Hawaii", Elvis partiu em um voo para Honolulu na manhã do dia 25 e, uma vez hospedado no Hawaiian Village Hotel, teve apenas alguns minutos para descansar antes de participar de uma entrega de prêmios honorários e conferência de imprensa. À noite, o Rei do Rock faria um show memorável para 5 mil pessoas na Bloch Arena, cantando seus maiores sucessos da década passada e promovendo gravações mais recentes.

Em 27 de março Elvis iniciou as filmagens em locação para "Blue Hawaii", permanecendo no Hawaiian Village Hotel em Honolulu até 4 de abril. O cantor e toda a equipe ficaram hospedados no Coco Palms Resort (destruído por um furacão e fechado em 1992) de 5 a 13 de abril para as filmagens das cenas finais da produção. Elvis não teve oportunidade de ir à praia ou visitar outros pontos turísticos, mas, de acordo com amigos, se divertiu bastante nas dependências do hotel.

Elvis observa a praia do terraço do Hawaiian Village Hotel; março/abril de 1961

Para saber mais sobre esse show, leia nossa resenha: clique aqui

Para saber mais sobre "Blue Hawaii", leia nossa resenha: clique aqui
_________________________________________________________________________________________________________________

ABRIL DE 1962

Em 7 de abril de 1962, Elvis retorna ao Havaí para as filmagens de "Girls! Girls! Girls!" e novamente se hospeda no Hawaiian Village Hotel em Honolulu. Ele passaria a maior parte do mês trabalhando no filme e não faria aparições públicas a não ser para as cenas em locais abertos.




Para saber mais sobre "Girls! Girls! Girls!", leia nossa resenha: clique aqui
_________________________________________________________________________________________________________________

AGOSTO DE 1965

Pouco mais de três anos após "Girls! Girls! Girls!", Elvis volta ao Havaí para filmar "Paradise, Hawaiian Style". Dessa vez, ele teria mais chances de ver pontos turísticos e de visitar pela primeira vez o USS Arizona Memorial, inaugurado em 30 de maio de 1962.

Chegando a Honolulu em 5 de agosto de 1965, o cantor e sua comitiva, que incluía Vernon e vários amigos, foram hospedados no Ilikai Hotel, em frente ao Hawaiian Village Hotel que sempre ficara anteriormente. Elvis filmou algumas cenas entre os dias 6 e 14 daquele mês e depois teve quatro dias livres enquanto a produção fazia trabalhos com a segunda unidade da equipe.

No dia 15, o Rei do Rock fez sua primeira visita ao USS Arizona Memorial junto ao Coronel e seu pai. Na ocasião, ele depositou no local uma coroa em forma sino decorada com 1177 cravos que simbolizavam o número de mortos no ataque japonês a Pearl Harbor em 1941. Em 18 de agosto, seu último dia de folga, uma festa foi organizada no Polynesian Cultural Center em Honolulu para celebrar o filme. Lá, Elvis deu uma entrevista ao cantor e radialista inglês Peter Noone e falou de projetos futuros. Foi nesse dia também que Jerry Schilling conheceu sua futura esposa, Sandy Kawelo, que era uma estudante na instituição.



Elvis permaneceu no Havaí até o fim de suas partes nas filmagens que envolviam as ilhas, em 25 de agosto. Dois dias depois, já em Memphis, ocorreria o grande encontro dele com os Beatles. Em 30 de setembro, último dia de trabalho na produção do filme, Elvis conheceria Tom Jones, cantor galês que se tornaria um de seus melhores amigos.

Elvis entrega a coroa em forma de sino ao USS Arizona Memorial; 15 de agosto de 1965

Para saber mais sobre "Paradise, Hawaiian Style", leia nossa resenha: clique aqui
_________________________________________________________________________________________________________________

MAIO DE 1968

Para comemorar um ano de seu casamento, Elvis levou Priscilla para suas primeiras férias como casal no Havaí em maio de 1968. Na companhia de Joe Esposito e Charlie Hodge, eles e Lisa ficaram hospedados novamente no Ilikai Hotel, em Honolulu.

Elvis e Priscilla aproveitaram bastante esse momento, que se tornou um dos únicos em que o cantor teve liberdade de ir à praia sem ser cercado por uma multidão de pessoas. Eles visitaram novamente o USS Arizona Memorial, surfaram, fizeram esqui aquático, tomaram longos banhos de mar, passearam de veleiro e procuraram sem sucesso uma casa para comprar nas ilhas.

O grupo retornaria ao continente em 2 de julho em um voo comercial. Elvis e sua comitiva foram embarcados secretamente na primeira classe do avião depois que todos os passageiros da segunda classe haviam sido acomodados. Porém, a presença de um grupo vocal e a harmonização que faziam durante o voo levaram Elvis até a segunda classe para o espanto e alegria de todos.

Elvis no Havaí; maio de 1968

_________________________________________________________________________________________________________________

MAIO E OUTUBRO DE 1969

Em 4 de maio de 1968, Elvis, Priscilla, Lisa, Charlie Hodge, os Esposito, os Gambill e os Fike pegaram um voo comercial de Los Angeles para Honolulu e ficaram hospedados inicialmente no Ilikai Hotel. Elvis registrou a ele e sua comitiva sob o pseudônimo de Carpenter, sobrenome de seu personagem em "Change of Habit".

Essa foi uma viagem curta e quase exclusivamente para visitar pontos turísticos. Elvis levou seu grupo para ver os famosos mirantes à beira de estradas, as grutas de Kauai e as águas calmas da baía de Oahu. Ele também aproveitou a oportunidade para comprar sua casa na praia de Kailua, em Kauai. Os últimos dias da visita foram utilizados para descansar no Coco Palms Resort. Elvis e seus amigos retornaram a Los Angeles no dia 18 do mesmo mês.

Elvis no Havaí; maio de 1969

Depois de acabar seus compromissos de trabalho para o ano, Elvis retorna ao Havaí em 5 de outubro de 1969. Dessa vez, além de Priscilla, Lisa, os Esposito e os Gambill, também o acompanharam Vernon, Dee e os Schilling.

A hospedagem inicial se deu no Hawaiian Village Hotel, mas Elvis decidiu que todos deveriam ir para sua casa no dia 7. Tom Jones, também de férias em Honolulu, se juntaria a eles. Durante os seis dias em que ficaram no local, Elvis descansou e se divertiu com os familiares e amigos, que aproveitaram a praia calma e isolada.

O grupo retornou a Los Angeles em 12 de outubro com planos de continuar as férias na Europa, ideia que foi imediatamente proibida por Parker. Para o Coronel, seria um desrespeito para com os fãs ingleses se Elvis tirasse férias lá antes de se apresentar no Reino Unido. Para contornar a situação, o agente sugeriu que o grupo fosse para as Bahamas ao invés da Europa, o que foi bem recebido. Elvis e sua comitiva chegaram a Nassau em 22 de outubro, mas a viagem durou apenas cinco dias devido às chuvas intensas e ventos de furacão que assolavam a região.

Elvis no Havaí; outubro de 1969

Para saber mais sobre "Change of Habit", leia nossa resenha: clique aqui
_________________________________________________________________________________________________________________

NOVEMBRO DE 1972

Depois de um ano extremamente bem sucedido, mas cheio de problemas pessoais, Elvis foi escalado pelo Coronel para fazer um show que seria transmitido ao vivo via satélite para vários países em 18 de novembro de 1972 e se chamaria "Aloha From Hawaii". Devido a conflitos de interesses, uma vez que a MGM levaria "Elvis On Tour" aos cinemas no dia 11 daquele mês e a produtora e a RCA temiam que um evento ofuscasse o outro, o especial foi remarcado para 14 de janeiro de 1973.

Mesmo assim, Elvis fez os três shows programados para 17 e 18 de novembro de 1972 em Honolulu para honrar o compromisso com seus fãs e fazer um teste para a atração, uma vez que aqueles seriam os últimos show daquele ano e o "Aloha" seria o primeiro de 1973.

Elvis e seus músicos ficaram hospedados no Hawaiian Village Hotel e não houve tempo para passeios turísticos. Além dos shows, o cantor passou o tempo livre dos dias 17 e 18 dando entrevistas e fazendo fotos para publicidade. Depois de uma breve conferência de imprensa no dia 20, ele descansou em Honolulu e na sua casa em Kailua até 30 de novembro, quando retornou a Las Vegas e, de lá, para Memphis.

Elvis durante os shows de 17 e 18 de novembro de 1972 em Honolulu

Para saber mais sobre "Elvis On Tour", leia nossa resenha: clique aqui

Para saber mais sobre "O Aloha from Hawaii Original", leia nossa resenha: clique aqui
_________________________________________________________________________________________________________________

JANEIRO DE 1973

Retornando ao Havaí em 9 de janeiro de 1973, Elvis, sua comitiva e banda novamente foram instalados no Hawaiian Village Hotel. Ambos os concertos daquela ocasião, nos dias 12 e 14, tiveram sua arrecadação doada para o Kui Lee Cancer Fund. O especial ao vivo via satélite do dia 14 foi transmitido para até 40 países, segundo o marketing da atração, e 1,5 bilhão de pessoas.

Elvis não teve tempo para fazer turismo e apenas se concentrou nos ensaios, ocorridos nos dias 10 e 11, e nos shows. O Rei do Rock retornou a Memphis em 15 de janeiro, de onde partiu para iniciar a primeira temporada de 1973 em Las Vegas no dia 26.

Elvis durante o Aloha From Hawaii; 14 de janeiro de 1973

Para saber mais sobre "O Aloha from Hawaii Original", leia nossa resenha: clique aqui
_________________________________________________________________________________________________________________

MARÇO DE 1977

Em 12 de fevereiro de 1977, Elvis iniciava sua primeira turnê daquele ano. Aparte das apresentações de 20 e 21 daquele mês, todas as outras trouxeram um cantor cansado, balbuciando e quase sem forças para completar seu trabalho. Era evidente que o Rei do Rock precisava de descanso imediato, mas ele se recusava. Convencido por seus amigos e familiares depois de muita conversa, Elvis tirou trinta dias de férias a partir de 22 de fevereiro.

O Rei do Rock permaneceu em Graceland até 3 de março, partindo com uma comitiva de 30 pessoas - que incluíam Ginger e sua irmã - para o Havaí em 4 de março de 1977. O cantor e sua namorada se instalaram no Hawaiian Village Hotel e o restante da comitiva ficou no Hilton Rainbow Tower até dia 6, quando o cantor e um grupo seleto de amigos foram para a casa do Rei do Rock em Kailua.

Nas últimas férias de sua vida, Elvis se divertiu mais do que nunca. Ele foi à praia, jogou futebol americano com seus amigos e vizinhos, tomou muitos banhos de mar e descansou merecidamente. Elvis visitaria o USS Arizona Memorial em 12 de março, mas infelizmente teve de interromper suas férias abruptamente naquele mesmo dia e voltar para Memphis depois que um pouco de areia tinha entrado em seus olhos durante um jogo. Com medo de que as partículas pudessem causar dano às córneas de Elvis, o Dr. Nick recomendou que ele descansasse em casa até o início de sua próxima turnê, em 23 de março.

Elvis durante as últimas férias de sua vida; Kauai, Havaí, março de 1977
_________________________________________________________________________________________________________________

Texto original: Elvis Presley Index e Elvis Presley Photos
Fotos: Google e Elvis Presley Photos
Pesquisa e tradução: Elvis Presley Index | http://www.elvispresleyindex.com.br
>> a re-disponibilização desta postagem só é permitida se mantidos os créditos e sem edições.<<
_________________________________________________________________________________________________________________

LEITURA COMPLEMENTAR:

- Elvis no Havaí - Parte 1: 10 e 11 de Novembro de 1957 (clique aqui)
- Elvis no Havaí - Parte 2: 25 de março de 1961 (Such a Night In Pearl Harbor [CD - MRS, 2012]) (clique aqui)
- Elvis no Havaí - Parte 3: 17 e 18 de Novembro de 1972 (Aloha From Hawaii Original) (clique aqui)
Elvis no Havaí - Parte 4: 12 e 14 de janeiro de 1973 (Aloha From Hawaii via Satellite [Single/LP - RCA, 1973]) [CD - Sony Legacy, 2013] (cique aqui)

LETRA E TRADUÇÃO: Fool

Título original:
No Words
Título usado por Elvis:
Fool
Títulos alternativos:
Fool
Letra/Composição:
Carl Sigman / James Last
Cantor original:
Elvis Presley
Gravação original:
28 de março de 1972; RCA
Gravação de Elvis:
28 de março de 1972; RCA
Disco original:
Escrita por Carl Sigman sobre composição de James Last, a música foi adaptada e oferecida diretamente a Elvis por refletir em muito os eventos da vida do cantor naquele momento. A gravação foi lançada como lado B do single "Steamroller Blues" em 13 de março de 1973 e reutilizada como faixa de abertura do LP "ELVIS (The Fool Album)" quatro meses depois.


LETRA ORIGINAL

Fool, you didn't have to hurt her
Fool, you didn't have to lose her
Fool, you only had to love her
But now her love is gone

Fool, you could have made her want you
Fool, you could have made her love you
Fool, you only had to love her
But now her love is gone

Gone now the love and laughter
See yourself the morning after
Can't you see her eyes are misty
As she said goodbye?

Fool, you didn't have to hurt her
Fool, you didn't have to lose her
Fool, you only had to love her
But now her love is gone

Fool, you only had to love her
But now her love is gone

Fool, you could have made her want you
Fool, you could have made her love you
Fool, you only had to love her
But now her love is gone

Fool, you didn't have to hurt her
Fool, you didn't have to lose her
Fool, you only had to love her


LETRA TRADUZIDA

Tolo, você não precisava machucá-la
Tolo, você não precisava perdê-la
Tolo, você tinha apenas que amá-la
Mas agora o amor dela se foi

Tolo, você poderia tê-la feito querê-lo
Tolo, você poderia tê-la feito amá-lo
Tolo, você tinha apenas que amá-la
Mas agora o amor dela se foi

Agora o amor e o riso se foram
Veja por você mesmo na manhã seguinte
Você não vê que os olhos dela estavam marejados
Enquanto ela dizia adeus?

Tolo, você não precisava machucá-la
Tolo, você não precisava perdê-la
Tolo, você tinha apenas que amá-la
Mas agora o amor dela se foi

Tolo, você tinha apenas que amá-la
Mas agora o amor dela se foi

Tolo, você poderia tê-la feito querê-lo
Tolo, você poderia tê-la feito amá-lo
Tolo, você tinha apenas que amá-la
Mas agora o amor dela se foi

Tolo, você não precisava machucá-la
Tolo, você não precisava perdê-la
Tolo, você tinha apenas que amá-la

_________________________________________________________________________________________________________________

VÍDEO

Postagens populares