FÃS DE ELVIS, QUEREMOS SUA OPINIÃO!

Responda nosso rápido formulário sobre um possível evento Elvístico em Porto Alegre (RS). Use a barra lateral ou scroll down para ver todas as perguntas. Não esqueça de clicar em ENVIAR ao terminar. Agradecemos a colaboração.

I'VE GOT TO FIND MY BABY!

The Creeping Crud Express (Audionics, 2013)

Título:
The Creeping Crud Express
Ano: 6 e 7 de junho de 1975
Lançamento: 2013
Selo: Audionics
Nº de músicas: 46

FAIXAS PRINCIPAIS:

See See Rider
I Got a Woman/Amen
If You Love Me (Let Me Know)
Love Me Tender
The Wonder of You
Burning Love
T.R.O.U.B.L.E
Let Me Be There
How Great Thou Art
Little Darlin'


Logo após o lançamento do muito controverso show de Houston no dia 28 de agosto de 1976 (Houston, We Have a Problem...), a Audionics disponibiliza The Creeping Crud Express, outro lançamento notável com material mais que inédito. Desta vez, a Audionics apresenta Elvis de forma sólida durante sua memorável turnê de maio / junho de 1975.

Elvis muitas vezes usava diferentes jumpsuits Phoenix em maio / junho de 1975, e de certa forma isso era totalmente apropriado. Em comparação com o outono de 1974, ele estava mais vivo e rejuvenescido, parecia ótimo e realmente feliz por estar com o pé na estrada novamente. Era como uma fênix renascendo de suas cinzas.

Em 6 de junho de 1975, Elvis usa o raro jumpsuit Black Phoenix.


Felizmente, a turnê de junho de 1975 é bem documentada, e a maioria dos shows foram gravados em soundboard. Neste CD deluxe, a Audionics apresenta pela primeira vez o show inédito da tarde de 7 de junho de 1975 em Shreveport, Louisiana - um verdadeiro espetáculo. Mesmo que a maioria dos shows nesta turnê tenham uma setlist semelhante, é sempre um prazer ouvir um novo show desta turnê notável e seus momentos únicos - como os diálogos diferentes, divertidas interações com o público e, claro, pequenas variações na maneira de executar as canções ou aquelas especialmente boas. A qualidade de áudio deste soundboard é de primeira linha.

No show das 14:30 de 7 de junho de 1975, Elvis usou o conhecido jumpsuit Silver Phoenix,
com o qual aparece na capa do LP "In Concert" de 1977.


O show de Dallas fora lançado antes, primeiro pela RCA em 1980, e, em seguida, mais completo, como 'Dallas Seventyfive Uncensored' pela FTD há alguns anos atrás. A Audionics foi capaz de obter uma fonte superior e ainda mais completa, e é uma alegria ouvir esta show fantástico em excelente som.

Apresentado em um digipack duplo deluxe com fotos raras (algumas são publicadas em cores pela primeira vez aqui) e anotações relevantes, este é outro vencedor que todos os fãs devem possuir.



RESENHA: THE CREEPING CRUD EXPRESS (AUDIONICS, 2013)

CD1 (6 de junho de 1975, 20:30 - Dallas, Texas)

Faixa 1 - I Got a Woman / Amen (incomplete). No ano de 1975, tornou-se praxe não gravar a abertura do show por ser algo repetitivo e já bem conhecido. Normalmente se começava com "I Got a Woman", que aqui aparece incompleta e somente na sua porção final, desde a rotina do "striptease" até os incríveis divebombs de JD Sumner. Algumas brincadeiras se seguem ("essas pessoas com binóculos parecem sapos para mim" e outras piadas já conhecidas).

Faixa 2 - Love Me. Uma versão sólida, com Elvis dando algumas risadas e trocando uma frase da música por "eu estou tão enrolado neste fio" (provavelmente por estar mesmo). "O que você está fazendo, JD?", pergunta Elvis após ele aparentemente ter perdido o fôlego. Na época, havia uma certa histeria com as novas DSTs, e Elvis soube aproveitar o momento para uma brincadeira (de mal gosto?): "Quero dizer uma coisa às pessoas que foram beijadas... Noite passada, em Houston, beijei alguém e peguei o 'creeping crud' (uma espécie de erupção cutânea) ... E se eu peguei, querida, você pegou - não importa o que seja."

Faixa 3 - If You Love Me (Let Me Know). Uma das melhores versões de 1975. Elvis brinca com a banda e backing vocals durante a execução.

Faixa 4 - Love Me Tender. Elvis introduz a canção dizendo "meu primeiro filme foi Love Me Tender, então gostaria de cantar um pouquinho para vocês", em seguida pede que a música seja interrompida e adiciona "eu não gosto de cantar ela, realmente não tenho vontade porque já cantei tantas vezes que cansei desta canção" - logo depois a canção inicia novamente e é executada com maestria. Durante a execução, Elvis pergunta a uma menina quantos anos tem e se surpreende ao ouvir "13 anos", mas a beija mesmo assim, dizendo "ela tem que começar com alguém". O que se segue é o conhecido ritual de distribuição de beijos e abraços.

Faixa 5 - All Shook Up. Provavelmente a melhor versão desde 1972.

Faixa 6 - (Let Me Be Your) Teddy Bear / Don't Be Cruel. O conhecido medley tem novamente Elvis perguntando a idade de uma garota - a qual também responde "13 anos" - e um beijo concedido a ela. O Rei do Rock se perde na canção por algum motivo e pergunta aos backing vocals onde estava.

Faixa 7 - Hound Dog. Aparentemente uma garota da platéia está tentando de qualquer maneira tocar em Elvis de forma inapropriada. "Me pergunto o que ela vai fazer agora", diz Elvis, o que provavelmente significa que os seguranças a contiveram.

Faixa 8 - The Wonder of You. "Quem viu aquele filme (That's the Way it Is) ontem à noite?", pergunta Elvis. A platéia responde efusivamente, o que desperta o espírito brincalhão do cantor: "Então por quê gastaram dinheiro vindo aqui hoje!? É  a mesma coisa! A diferença é que as pessoas no palco ficaram velhas - menos eu". "Cantamos esta canção há uns 2 ou 3 anos", explica Elvis (na verdade, a canção fora interpretada pela primeira vez em 1970). A versão é muito parecida com as de 1970.

Faixa 9 - Burning Love. Cantada pela primeira vez em 1972, a canção saiu do repertório no ano seguinte e só retornou em maio de 1975. Apesar disso, ela parece bem melhor que as versões anteriores.

Faixa 10 - Introductions. A rotina conhecida de apresentação da banda e backing vocals. Elvis começa conversando com as fãs, entregando lenços e dando beijos. Uma delas diz "eu pego o que você quiser", o que faz Elvis rir sarcasticamente. "Primeiramente as jovens - bem, elas costumavam ser - que abriram o show, The Sweet Inspirations", brinca (um "insulto" gentil perto do humor negro sobre as "Crew Cuts" de 1974).

Faixa 11 - Johnny B. Goode. Segue-se o solo de James Burton. Elvis apresenta Ronnie Tutt, Jerry Scheff e Glen Hardin, mas seus solos foram cortados. Em seguida é a vez de Charlie Hodge e Voice.

Faixa 12 - School Day. Joe Guercio e sua orquestra são apresentados e fazem seu solo.

Faixa 13 - T.R.O.U.B.L.E. Cantada pela primeira vez em 24 de abril de 1975, a canção deixa Elvis apreensivo por sua velocidade de execução e a probabilidade de errar a letra - o que realmente ocorre, seja por brincadeira ou de verdade.

Faixa 14 - Why Me Lord? As costumeiras brincadeiras com JD são ouvidas perfeitamente nesta gravação. Sumner tenta manter a calma e terminar seu solo, o que se mostra impossível. "Você riu muito bem nessa, JD", diz Elvis no fim da música.

Faixa 15 - How Great Thou Art. Elvis se sobressai e tenta atingir notas bem altas, mas a canção ainda não havia sido modificada por Glen Hardin e não permitia muitas firulas (mais tarde Hardin a modificaria para incluir alguns solos vocais de Elvis). Uma reprise da parte final da canção se segue.

Faixa 16 - Let Me Be There. Uma versão muito boa, superior às de 1974 em alguns fatores.

Faixa 17 - An American Trilogy. A não ser por um pequeno errinho no final, esta versão é muito parecida com a do Aloha From Hawaii.

Faixa 18 - Funny How Time Slips Away. Um clássico que anuncia a proximidade do fim do show. Elvis brinca com a letra e faz vozes diferentes.

Faixa 19 - Little Darlin'. "A próxima canção é muito séria e eu espero que vocês gostem", anuncia Elvis antes de iniciar a versão mais engraçada desde sua primeira execução há pouco mais de dois meses. "Se vocês aceitam isso, vão aceitar qualquer coisa. Cantei muitas canções bobas, tipo 'Hound Dog, que não diz nada. Mas essa canção fala 'well-a, well-a, well-a, whoop-a, whoop-a, whoop-a no, well-a, that my love-a, was just, la-la-la-la... São adultos cantando isso no palco!", 

Faixa 20 - Mystery Train - Tiger Man. Ótima versão. É impossível não relembrar as feitas em 1970.

Faixa 21 - Can't Help Falling In Love. O show termina como de costume. Elvis faz uma rendição limpa.

Faixa 22 - Closing Vamp.


CD2 (7 de junho de 1975, 14:30 - Shreveport, Louisiana)

Faixa 1 - I Got a Woman / Amen (incomplete). Começando na rotina de "Amen", Elvis diz que está preso enquanto faz os conhecidos movimentos com as pernas. O divebomb de JD termina com Elvis dizendo "isso é bom, continuem antes que o aplauso pare!" fora do microfone. De volta ao microfone, Elvis diz: "pensei que vocês já sabiam; não deixem quaisquer pontos mortos" (provavelmente se referindo à gravação). Elvis brinca com o público receptivo e pergunta a James Burton "esta é sua cidade natal, James?", demonstrando alegria por voltar a Shreveport depois de mais de 20 anos. O Rei do Rock pede a Bruce "Goose" que conserte os problemas de som.

Faixa 2 - Love Me. Não é uma das melhores versões, e sim a rotineira "beijo e lenço". As Sweet Inspirations dão um show no final mais extenso do que o normal (20 segundos!).

Faixa 3 - If You Love Me (Let Me Know). Durante a introdução desta canção Elvis grita "Stumps, saia daí!", obviamente se referindo ao baterista das Sweet Jerome Stump. Esta é uma das melhores versões da canção.

Faixa 4 - Love Me Tender. Após as primeiras linhas Elvis já se distrai com os fãs na platéia, brincando e beijando-as. Elvis grita, em tom de brincadeira, "malditos espinhos!" após receber uma rosa de uma fã. Esta é uma versão trowaway. "Querida, espere um minuto porque você tem apenas 6 anos de idade e ela tem uns 19 ou 20... 30 ??". Logo depois,  Elvis ri e diz "não importa, ela tem que começar com alguém!". Uma pequena lição se segue antes do beijo: "Só estou tentando instruí-la, garota, não posso beijá-la assim porque você é pequena; no rosto, talvez?". Começa uma discussão das mais engraçadas: "Não era um menino, seu tolo!".

Faixa 5 - All Shook Up. "Não era um menino,  não era", responde a alguém. Elvis brinca um bocado durante a canção e mantém a discussão. No fim, ele tem que admitir: "Era um menino? Tudo bem, amiguinho, foi um beijo na bochecha. Os holofotes me cegam, ele poderia ser um rinoceronte que eu o beijaria!".

Faixa 6 - (Let Me Be Your) Teddy Bear / Don't Be Cruel. Não é uma versão apressada. É ok, mas nada de especial. "É um momento estranho do dia para beijar um monte de pessoas, realmente é. Ninguém beija às 4 horas da tarde, não é??" Elvis brinca após o medley.

Faixa 7 - Hound Dog. Boa versão, mas nada de novo. Elvis faz uma pequena reprise e pergunta novamente a James se aquela é sua cidade natal.

Faixa 8 - The Wonder of You. Elvis pede: "Tom, sente-se!". Não se sabe de quem se trata.

Faixa 9 - Burning Love. Um dos destaques do show, esta versão é excelente! Elvis pede para as luzes da casa serem acesas e as apresentações começam. "Como vocês estão vendo aí atrás ?? Podem ver bem?? Porque eu nem consigo ver vocês!", comenta referindo-se à lotação da casa. "Na faixa diz 'amamos Ailvis'. É assim que a minha filha fala, ela não me chama de papai, só diz 'onde você vai, Ailvis?'", fala sobre uma faixa (ele havia dito exatamente a mesma coisa em um show de agosto de 1974).

Faixas 10 a 15 - Introduções. Elvis brinca um pouco mais antes de introduzir a banda. Com todos as piadas e os solos, as introduções duram dura 13 minutos. James se supera nesta versão dupla de Johnny B. Goode. "Meu primeiro trabalho foi aqui em Shreveport, no Louisiana Hayride. Isso ainda existe? Eu tinha 19 anos, faz só... 7 anos!", brinca.

Faixa 16 - T.R.O.U.B.L.E. Uma versão energética! Elvis parece estar adorando o final.

Faixa 17 - Why Me Lord? Elvis novamente tenta fazer JD rir com sons engraçados, é uma divertida versão.

Faixa 18 - How Great Thou Art.  Excelente versão! Uma das melhores desta temporada.

Faixa 19 - Let Me Be There. Novamente uma versão muito energizada e não muito rápida.

Faixa 20 - An American Trilogy. Uma versão quase séria, mas Elvis faz alguns trocadilhos e ri um pouco. Sua voz está forte, mas as brincadeiras não conseguem manter a emoção da música intacta.

Faixa 21 -Little Darlin'. Outra versão divertidíssima da "queridinha". Elvis pergunta: "Quanto tempo se passou desde que trabalhamos aqui pela última vez? 2, 3 anos?". "Nunca estivemos em Shreveport antes??", pergunta desconcertado.

Faixa 22 - Mystery Train / Tiger Man. Ótima versão. Simpática, com bom tempo, e Elvis com uma boa voz. Elvis agradece ao público dizendo "quando nos quiserem de volta em Shreveport, liguem para nós e viremos."

Faixa 23 - Can't Help Falling In Love. Elvis canta a maior parte da letra, e esta é uma boa versão para 1975, embora falte o final forte.

Faixa 24 - Closing Vamp. Você sabe o que isso significa ... o show acabou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário!

LEMBRE-SE: Não postaremos mensagens com qualquer tipo de ofensa e/ou palavrão.

Postagens populares