I'VE GOT TO FIND MY BABY!

JUMPSUIT: Gold Lame Suit

Nome:
Gold Lame Suit
Composição:
Casaco de lamê dourado
Calça de lamê dourado / azul marinho
Camisa prateada / preta
Gravata dourada (opcional)
Sapatos dourados
Cinto de lamê dourado
Usado em:
28/03/1957 a 25/03/1961
Número de shows:
22
Valor de confecção:
US$ 2.500,00
Discos em que aparece:
 Elvis' Gold Records Volume 2 (1959)
A Touch of Gold I, II e III (1959)
História:
Não é exatamente uma jumpsuit, mas é o primeiro conjunto temático usado por Elvis. A gravata que vinha com o conjunto nunca foi usada em apresentações e só é vista na capa do LP Elvis' Gold Records Volume 2. A calça dourada apareceu poucas vezes, com Elvis preferindo a preta ou a azul marinho.


Para fãs que não tiveram a oportunidade de assistir um show de Elvis em que ele usou a famosa roupa dourada, a surpresa veio na capa do LP "Elvis' Gold Records Volume 2 - 50.000.000.000 Fans Can't Be Wrong" de 1959. Acontece que a roupa clássica havia sido criada quase três anos antes do lançamento do LP em novembro de 1959, e que Elvis havia abandonado o conjunto completo depois de usá-lo em apenas quatro ocasiões em 1957. Ainda assim, continua sendo hoje um dos trajes mais emblemáticos na história do rock.

A criação do terno de ouro remonta ao final de 1956. Enquanto Elvis estava completando seu ano de estouro com um turbilhão de aparições públicas, seu agente teve a ideia de fazer uma roupa espetacular para seu cliente famoso. O Coronel Parker tinha se tornado amigo de Nudie Cohn do Nudie's Rodeo Tailors em North Hollywood alguns anos antes. Nudie tinha feito trajes extravagantes para o cantor Hank Snow, com quem o Coronel tinha sido associado antes de Elvis. Nudie estava trabalhando no guarda-roupa de Presley para seu próximo filme, "Loving You", quando Parker pediu-lhe para fazer uma roupa especial para Elvis.

Elvis e Nudie Cohn; 1957
O Coronel decidiu que seu garoto dourado precisava de um terno dourado e, então, encomendou a Nudie um smoking folheado a ouro para Elvis usar no palco. O material escolhido foi o lamê, obtido enrolando fitas finas de material metálico em torno de um tecido. Nos anos 1950, o processo era mais geralmente usado para roupas noturnas extravagantes e trajes teatrais. As cores mais comuns de tais peças de vestuário eram ouro e prata. Um problema com o lamê é que o fio tende a escorregar e se separar com o uso freqüente, uma fraqueza que, no final, levaria à destruição do conjunto de Presley.

Nudie provavelmente criou o traje dourado de Elvis, composto de casaco, calças, cinto, sapatos e gravata, em janeiro de 1957, enquanto Presley estava em Hollywood. O Coronel e ele (showmen natos), acrescentaram um truque de publicidade. O processo seria avaliado em surpreendentes US$ 10.000. Nudie mais tarde iria brincar dizendo que "US$ 9.500 foi lucro puro, a verdadeira fatura do terno era de US$ 2.500" - mas o processo seria oficialmente apresentado como o "Famoso Gold Lamé Suit de US$ 10.000".

Elvis usou o terno completo para uma sessão de fotos, provavelmente em Hollywood, em fevereiro ou início de março de 1957. Ele então foi para Memphis para algumas semanas de descanso antes de iniciar sua turnê de primavera no centro-oeste e Canadá. Ele usou o terno de ouro completo pela primeira vez no palco do Chicago's International Amphitheater na noite de 28 de março de 1957. Enquanto Elvis cuidadosamente descia uma escada que leva ao palco, os 12.000 na multidão de Chicago tornaram-se os primeiros a vê-lo vestindo em público a roupa brilhante. Mais tarde, um agente de imprensa do Coronel Parker fez a questionável alegação de que "a jaqueta e as calças eram feitas de pele de vitela natimorta e completamente cobertas com um pano de ouro de vinte e quatro quilates."

Na noite seguinte, Elvis usou novamente o conjunto completo no palco em St. Louis. Para suas próximas três apresentações em Fort Wayne, Detroit e Buffalo, Presley continuou a usar a jaqueta de ouro, cinto, sapatos e gravata, mas substituiu as calças douradas por pretas. Em retrospectiva, é óbvio que houve um problema com as calças de ouro do smoking. Se ela precisava de remendos (Elvis normalmente caiu de joelhos no palco durante o seu "Hound Dog" finale) ou se ele se sentia desconfortável com elas era desconhecido na época.

Seja qual for o problema, Elvis decidiu dar mais uma chance para o traje de Nudie durante o primeiro de seus dois shows em Toronto em 2 de abril. Seria a última vez que alguém iria ver Presley vestindo o terno completo. Para seu segundo show naquele dia, ele exibiu um visual diferente; ainda usava a jaqueta de ouro, cinto e sapatos, mas a gravata e a camisa tinham dado lugar a uma camisa preta aberta no peito e um medalhão de prata pendurado ao redor de seu pescoço. Durante o resto de sua turnê de primavera e durante as turnês do Pacífico e Costa Oeste, Elvis misturou alguns elementos do terno de ouro com roupas menos chamativas ou abandonou o traje de Nudie inteiramente para adotar um visual mais conservador.

Elvis durante show em Toronto, Canadá, 02 / 04 / 1957
Para suas aparições de meados do verão em Spokane, Tacoma, Seattle, Tupelo e Vancouver Elvis usava o casaco dourado sobre uma camisa preta aberta com calças pretas. A roupa não foi usada em nenhum dos shows da área de San Francisco, nos quais Elvis vestiu ternos novos de cor vinho e azul claro. No inverno de 1957, Elvis tinha apenas mais três oportunidades para vestir o traje antes de ser arrebatado pelo exército. Um lei de flores estava sobre seu casaco de ouro durante seus dois shows no Honolulu Stadium em 10 de novembro de 1957. Caso contrário, ele estava vestido de preto da cabeça aos pés. Para o seu último concerto pré-exército na noite seguinte no quartel Schofield, ele trabalhou em um terno de dois tons.

O Coronel Parker colocou o smoking de ouro de Presley no baú por dois anos, mas a jaqueta surgiria mais uma vez. Em 25 de março de 1961, Elvis deu um concerto beneficente para o USS Arizona Memorial em Honolulu e usou seu famoso casaco de ouro, calças azul escuro e uma camisa branca com gravata azul. Depois dessa performance, Elvis nunca mais usou nenhuma parte de seu famoso traje, que nunca mais foi visto durante sua vida.

Então, por que Elvis parar de usar a calça de lamê depois de apenas três ocasiões no palco? Várias teorias foram apresentadas. De acordo com o biógrafo Peter Guralnick, Elvis estava envergonhado pelo "aparência circense" do terno cheio do ouro. Além disso, aparentemente o ouro estava descascando nas calças quando Elvis ficou de joelhos no palco, causando angústia ao Coronel Parker. O DJ de Vancouver Red Robinson diz que Elvis lhe confessou que não usou mais o terno do ouro porque os vincos o faziam parecer ruim, e era demasiado quente.

Quaisquer que sejam suas razões, Elvis não esqueceu a má experiência que teve com as calças de ouro em 1957. De acordo com Gillian G. Gaar na revista Goldmine, para um segmento do "Comeback Special" de1968, o figurinista Bill Belew originalmente queria que Presley usasse um terno todo de ouro, baseado na criação Nudie. Quando ele deu a ideia, Elvis disse: "Billy, eu tenho que ser honesto com você. Eu sempre odiei aquele terno, e eu não vou usá-lo." Depois que Belew deixou as calças de ouro de lado em favor das pretas e mostrou a Presley o tecido da jaqueta proposta, Elvis disse: "Tudo bem. Eu vou usar isso."

E para onde o traje de lamê original de Presley foi depois que Elvis usou a jaqueta em 1961? A resposta veio em 1987, quando a Elvis Presley Enterprises pagou ao Coronel Parker US$ 2 milhões por cerca de 35 toneladas de coisas de Elvis que ele havia armazenado em quatro prédios em um subúrbio de Nashville. Foi um preço de pechincha, considerando que o lote incluiu o traje de lamê de 1957. Talvez a vestimenta mais icônica da história do rock, ele sozinho provavelmente vale mais do que o preço original de US$ 2 milhões que a EPE pagou pela coleção completa do Coronel. Hoje o Gold Lame Suit está em exibição permanente em Graceland para todos os fãs de Elvis.



FOTOS DA JUMPSUIT







________________________________________________________________________________

DISCOS






VÍDEOS



Postagens populares