BOX THE ULTIMATE ELVIS IN CONCERT - SAIBA AQUI COMO E QUANDO SEU BOX SERÁ ENVIADO

I'VE GOT TO FIND MY BABY!

5 de Julho de 1976: A Última Vez Em Memphis

Elvis abertamente adotou Memphis como sua cidade natal desde que gravou o hit "That's All Right" em 5 de julho de 1954. Por coincidência do destino, ele realizaria o que seria o seu último concerto na cidade no dia 5 de julho de 1976, exatos 22 anos depois.

Diante de uma multidão de 12.000 pessoas no Mid-South Coliseum, Elvis mostrou que ainda podia fazer as bases tremerem. Antes de cantar "That's All Right", o Rei do Rock fez questão de comentar que muitos críticos achavam que ele não estava mais com idade e fôlego para executá-la como 22 anos antes. Sem pestanejar, Elvis provou que sim, ainda tinha o rock na alma, tocando-a magistralmente após dar um aviso aos incrédulos: "Muitos me disseram que não posso mais tocar essa música. Mas, por Deus, vejam isso!".

No total, Elvis fez um dos shows mais longos de sua carreira, com exatos 93 minutos. A tradicional abertura "See See Rider / I Got a Woman / Love Me" logo deu lugar a hits do momento, como "Fairytale" e "And I Love You So". Entre outros hits de sua carreira apareceram temas fortes, como "You Gave Me a Mountain", e "America, the Beautiful" em homenagem ao bicentenário dos Estados Unidos. Elvis ainda apresentou a relativamente rara "One Night" e as introspectivas "Help Me", "How Great Thou Art" e "Softly As I Leave You". "Polk Salad Annie" e "It's Now or Never" pavimentaram o caminho para "Can't Help Falling In Love".


Charles Goodman, do jornal The Commercial Appeal, escreveu uma resenha da apresentação na edição de 6 de julho de 1976:

Para os fãs que lotaram o Coliseum, o grande evento da festa do fim de semana do Bicentenário de Quatro de Julho foi Elvis voltando a se apresentar em Memphis. Quando ele entrou no palco, as lâmpadas de flash na platéia transformaram a cena em um show pirotécnico que rivalizava com os fogos de artifício do domingo à noite. "Deixem-me dizer-lhes", disse ele à convulsiva multidão: "Eu vou cantar todas as músicas que vocês desejam. É o fim da nossa turnê e eu tenho todo o tempo que vocês quiserem esta noite". O show contou com o melhor de dois mundos - a orquestra profissional e chamativa Hot Hilton Horns, do Las Vegas Hilton Hotel, e o Stamps Quartet cantando Gospel. Eles trouxeram a casa abaixo com uma versão maravilhosa de "When The Saints Go Marching In". 
Elvis manteve sua promessa, cantando de forma constante das 10 horas até 25 minutos antes da meia-noite. Os seis medleys de sua longa carreira começaram com a primeira gravação feita em Memphis, "That's All Right".  
"Eles dizem que eu não deveria mais cantar 'That's All Right'", disse ele pegando sua guitarra, "mas, por Deus, vejam isso!". 
Seus giros de quadris trouxeram gritos, e seus olhares, gemidos. 
"Isso nunca deixa de me surpreender", disse ele, esperando que as ondas de gritos parassem entre as músicas. Enquanto cantava, os fãs passaram através das linhas da polícia para chegar à borda do palco com presentes - um soldado de brinquedo, um bolo, uma pintura, uma árvore de Natal azul, pingentes e cartas pessoais. Elvis continuou enxugando a testa com lenços e jogando-os para o público. Descontraído e curtindo o show, Elvis ajoelhou-se e disse a uma das mulheres prensadas contra a frente do palco, "o que você quer, querida? Só meu lenço?"
Uma canção, "Help Me", ele disse com um brilho nos olhos, veio de um álbum que fez há dois anos, "intitulado 'Elvis na Fossa'". Ele soou sério desta vez. Obviamente irritado com os relatórios anteriores sobre a saúde dele, Elvis disse: "A última vez que estive aqui, fiquei doente por um par de semanas. Mas já superei tudo isso, eu estou trabalhando e estou feliz". 
Não havia dúvida de que o grande número de seguidores de Elvis estava feliz também.
Fãs aguardam a entrada de Elvis no palco do Mid-South Coliseum; Memphis, Tennessee, 5 de julho de 1976 (©Barney Sellers, The Commercial Appeal)


RESENHA:
THE FINAL HOMECOMING - JULY 5, 1976 - AUDIONICS/BAXTER, 2009)

Título:
The Final Homecoming- July 5, 1976
Selo:
Audionics / Fort Baxter
Formato:
CD
Número de faixas:
36
Duração:
93:00
Tipo de álbum:
Disco comum
Vinculado a:
Discografia extra
Ano:
2009
Gravação:
5 de julho de 1976
Lançamento:
2009
Singles:
---


1. Also Sprach Zarathustra - A abertura comum dos shows de Elvis ganha um ar de eletricidade pura por estar sendo executada pela primeira vez em Memphis.

2. See See Rider - Parecendo ansioso para se apresentar a seus fãs mais queridos, Elvis entra no palco após alguns breves segundos do início da canção. Ao iniciar a música, sua voz está forte (talvez no mesmo nível do início de 1974) e consistente. Tinha sido um pouco comum em toda a temporada de verão de 1976 que Elvis balbuciasse ao longo dela, mas isso não acontece aqui.

3. I Got a Woman/Amen - "Obrigado. Vocês nunca deixam de me surpreender, sabe?", Elvis confessa à plateia. "Weeeell...", a rotina do início de "I Got a Woman" começa sob forte histeria das fãs. "Quer dizer que você só vieram aqui para me ver fazer 'well, well, well'?", ele brinca. JD faz um pequeno dive bomb que leva ao início da canção. A música é bem executada, mas Elvis se mostra surpreso por ter atingido uma nota tão baixa no final e, enquanto a plateia ri, confessa estar cansado. "Não sei como consegui chegar tão baixo assim. Estou tendo um troço e as pessoas riem de mim." A rotina do striptease enlouquece as mulheres e leva aos famosos dive bombs de JD, encerrando a canção.

4. Love Me - Elvis cumprimenta o público e diz que é um prazer se apresentar novamente em Memphis (obviamente se referindo ao show feito ali no ano anterior). "O palco é alto, você não me alcança", ele diz para uma fã que pula desesperadamente na sua frente. A música se inicia e a plateia vai à loucura sabendo que é hora de tentar pegar um dos seus lenços ou, se tiver sorte, ganhar um beijo. A rendição da canção é padrão da época.

5. Fairytale - A canção se inicia quase imediatamente após o fim de "Love Me", com Elvis ainda distribuindo alguns lenços e pedindo que as fãs tomem cuidado para não se ferirem. "Fairytale" é executada com uma paixão poucas vezes vistas.

Elvis no Mid-South Coliseum; Memphis, Tennessee, 5 de julho de 1976

6. You Gave Me a Mountain - Outra música que emociona e agita os fãs, apesar da constante microfonia. Elvis dá tudo de sua voz na rendição e ganha aplausos efusivos no final.

7. All Shook Up - O hit de 1957 avisa a plateia de que o medley de canções famosas está começando. Elvis ri bastante durante a rendição e volta a distribuir lenços.

8. Teddy Bear/Don't Be Cruel - O público vibra bastante durante a música e Elvis é um pouco atrapalhado por fãs que quase o derrubam do palco. Ele também tem dificuldade de cantar em uma pequena parte por não conseguir ouvir a banda.

9. And I Love You - A canção romântica lançada em 1975 dá uma acalmada nas fãs.

10. Jailhouse Rock - Elvis traz a casa abaixo com uma versão pesada da canção hit de 1957. Ela se tornaria padrão no restante de seus shows, mas aqui se mostra insuperável.

11. Fever - Depois de se mover muito na canção anterior, Elvis acalma as coisas com a sensual "Fever". As fãs deliram com seus movimentos pélvicos.

12. America, The Beautiful - Em homenagem aos 200 anos dos Estados Unidos, comemorados no dia anterior, Elvis canta o hino do país.

13. One Night - Ausente desde 1972, apesar de aparecer em um ou outro show em 1975, o hit de 1957 traz a energia de volta à apresentação. Ela não estava na setlist, mas Elvis atendeu ao pedido dos fãs.

14. That's All Right - "Muitos me disseram que não posso mais tocar essa música. Mas, por Deus, vejam isso!", Elvis exclama antes de iniciar uma versão poderosa da canção que faz a plateia enlouquecer.

15. Blue Christmas - Elvis atende outro pedido dos fãs e brinca "Blue Christmas... em julho." A versão é padrão da época.

Elvis no Mid-South Coliseum; Memphis, Tennessee, 5 de julho de 1976 (©George Hill)

16. Introdução da banda I - "Deixem-me dizer uma coisa... eu vou tentar cantar todas as canções que vocês querem, porque é o fim da turnê e eu esperei por isso tanto quanto vocês." Elvis recebe um quadro de uma fã e pergunta: "Quem é esse? Eu? Não!"; a fã apresenta sua mãe e ele brinca: "Sua mãe? Sua mãe tem uma aparência esquisita". A garota explica o quadro, dizendo que ganhou 50 dólares em um concurso por ser a mais parecida com Elvis e que a foto no quadro é dela vestida como ele. O Rei do Rock passa a apresentar as The Sweet Inspirations, JD Sumner, The Stamps, Kathy Westmoreland e Sherrill Nielsen.

17. Introdução da banda II - John Wilkinson faz seu solo com "Early Morning Rain", a qual Elvis canta junto. Infelizmente a rendição está incompleta e teve de ser emendada ao fim da mesma música na apresentação de 28 de dezembro de 1976.

18. Introdução da banda III - James Burton faz seu solo com Elvis cantando junto em "What'd I Say" e "Johnny B. Goode". A intro da canção ainda é do show de 28 de dezembro de 1976, mas a apresentação volta à fita de 5 de julho assim que Elvis começa a cantar.

19. Introdução da banda IV - É a vez de Ronnie Tutt (bateria), Jerry Scheff (baixo), Tony Brown (piano) e David Briggs (piano elétrico) fazerem seus solos.

20. Love Letters - Elvis aproveita o solo de David Briggs para cantar a canção gravada em 1966, na primeira vez que Briggs havia trabalhado com ele.

21. Introdução da banda V -  Elvis apresenta Charlie Hodge, Joe Guercio e sua orquestra. Elvis canta "Hail, Hail Rock 'n' Roll (School Days)" durante o solo.

22. Hurt (com reprise) - Quando a bateria de Tutt anuncia o início da música, a plateia delira. Elvis faz uma rendição impecável em meio ao frenesi das fãs. Os aplausos efusivos pedem uma reprise completa da canção.

23. Hound Dog - Uma versão bem melhor do que as ouvidas em junho, com a plateia vibrando junto.

24. Funny How Time Slips Away - "Acendam as luzes, quero ver todos um pouco... É bom ver vocês. Não, sério, é difícil ver com todas essas luzes", Elvis brinca antes de introduzir a canção que, em geral, anunciava o fim do show em alguns minutos. Felizmente, não é o caso. O Rei do Rock ainda pede a reprise do final da canção para mostrar os dotes vocais de JD Sumner, que faz um breve dive bomb.

Elvis no Mid-South Coliseum; Memphis, Tennessee, 5 de julho de 1976

25. Help Me - "Eu gostaria de cantar uma música que lançamos há uns dois anos em um álbum chamado 'Elvis na Sarjeta' e que se chama 'Help Me'", ele brinca. A rendição não é uma das melhores, mas emociona o público. "Obrigado, senhoras e senhores. Esse foi Sherrill Nielsen na harmonia".

26. How Great Thou Art - "Gostaria de cantar uma canção que é muito pedida... How Great Thou Art." Elvis nunca perdeu a forma com essa música, executando-a de forma divina e já fazendo o início e fim com a nota alta que ficou mundialmente conhecida no vídeo Elvis In Concert.

27. Softly As I Leave You - "Quero fazer algo diferente hoje. Quero contar uma história que está rodando por aí há alguns anos na forma de uma canção... Sherrill a canta, mas eu quero lhes contar a história por trás dela". Elvis recita a letra serenamente enquanto Sherrill Nielsen canta no fundo. A plateia se mantém em total silêncio.

28. Introdução de Vernon Presley / Polk Salad Annie - "Na última vez que estive aqui, fiquei no hospital... Não foi nada, não se preocupem... Meu pai também esteve doente..." Elvis apresenta seu pai à plateia e ambos são muito aplaudidos. A versão de "Polk Salad Annie" ouvida a seguir já é a padrão de 1975-77. Elvis se esforça para dar um show aparte na canção, se movimentando muito no palco.

29. Jambalaya / It's Now or Never -  Depois de cantar uma linha do sucesso dos Carpenters, Elvis faz uma rendição de um dos sucessos de 1960. A canção parece ser muito alta para a voz dele no momento, mas o Rei do Rock consegue se sair muito bem e atingir as notas de maneira razoável.

30. Can't Help Falling In Love / Closing Vamp - "Obrigado, senhoras e senhores. Muito Obrigado." "Can't Help Falling In Love" começa quase de imediato e anuncia o final do show. As fãs vão à loucura tentando ganhar um lenço, abraço ou beijo de Elvis pela última vez. Quando o "Closing Vamp" se inicia, o público aplaude e grita, sabendo que o sonho havia acabado. O que eles não sabiam, é que aquela seria realmente a última vez em Memphis.

Ouça abaixo o show completo da resenha acima.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário!

LEMBRE-SE: Não postaremos mensagens com qualquer tipo de ofensa e/ou palavrão.

Postagens populares