I'VE GOT TO FIND MY BABY!

Comédia, Mulheres e Música: Blue Hawaii

BLUE HAWAII (EUA, 1961)

Título brasileiro: Feitiço Havaiano
Gravação:
18 de março - 13 de abril de 1961
Lançamento:
22 de novembro de 1961
Duração:
102min
Produtora:
Paramount Pictures
Orçamento:
US$ 3 milhões
Arrecadação:
US$ 5 milhões
Elenco principal:
Elvis Presley
Joan Blackman
Angela Lansbury
Roland Winters
Trilha sonora:
"Blue Hawaii" (LP)
(20 de outubro de 1961)
"Can't Help Falling In Love" (single)
[b/w "Rock-A-Hula"]
(21 de novembro de 1961)
"Blue Hawaii" (2xCD)
(FTD, fevereiro de 2009)









Blue Hawaii é o oitavo filme de Elvis, o primeiro de três passados no Havaí e o primeiro dos musicais 100% comédia em que ele apareceria pelos próximos 8 anos.

Muitos historiadores do cantor afirmam que este foi a base indubitável para a fórmula dos seguintes: locações estranhas, garotas bonitas, tramas bobas e músicas medíocres. Seu estrondoso sucesso convenceu Parker de que o caminho do dinheiro fácil para suas jogatinas era investir em musicais idiotizantes.

Still promocional do filme com Elvis e suas coadjuvantes


Hal Wallis e Elvis estavam certos de que conseguiriam trazer Juliet Prowse - com quem Elvis contracenou em "G.I. Blues" (1960) e, para variar, tentou namorar, mas a atriz queria muitas regalias com as quais o estúdio não concordava. A saída foi chamar alguém que estivesse à altura de Prowse, por isso Wallis buscou Joan Blackman.

Elvis gostou muito da escolha e, claro, tentou uma relação com a atriz durante as filmagens. Este relacionamento, que só ele queria ter, foi comentado por ele mesmo antes de cantar "Hawaiian Wedding Song" em 19 de junho de 1977: "Sabe, é estranho, porque eu estava apaixonado pela garota; eu não percebi que era só um filme, que eu não era nada para ela".

Da esquerda para a direita: Joan Blackman, Elvis e Hilo Hattie nos bastidores de Blue Hawaii


As filmagens duraram menos de um mês e tiveram acontecimentos bizarros - mais do que o fato de Angela Lansbury, que na época tinha 35 anos, interpretar a mãe de Elvis, que tinha 26.

Elvis sempre pedia a Red West que demonstrasse suas habilidades no karatê e uma das lutas acabou resultando em um dedo quebrado para ele. O cantor, que passava mais tempo em estúdios do que em qualquer outro lugar, estava tão branco na época que Hal Wallis se recusou a filmar suas cenas antes que ele fizesse um bronzeamento artificial.

Elvis, Joan Blackman, Roland Winters e Angela Lansbury em cena de Blue Hawaii


Pior, as atrizes jovens eram convidadas para as loucas festas de Elvis e em determinado ponto não conseguiam mais chegar no horário e interpretar corretamente, de tão cansadas que ficavam. Eram festas que começavam uma ou duas horas após o fim das filmagens do dia e acabavam no máximo três horas antes do início das filmagens do dia seguinte.

Isso claramente afetaria a qualidade do filme, que já não era lá grande coisa, e Hal Wallis teve de agir por si só - o Coronel não se importava com nada que não fosse os recebimentos em dia - para impedir que aquilo tornasse a acontecer.

Elvis e Joan Blackman na cena final de Blue Hawaii


Lançado em 22 de novembro de 1961, Feitiço Havaiano ficou em 2º lugar em bilheteria entre todos os filmes daquele ano e arrecadou US$ 5 milhões. O roteiro de Hal Kanter concorreu ao prêmio de Melhor Musical Escrito da Writers Guild of America e a produção ganhou um Laurel como o 4º Melhor Musical de 1961.

A famosa Gruta Fern, onde foram filmadas as cenas finais de Blue Hawaii


TRILHA SONORA

Gravado em 3 dias em março de 1961 no Radio Recorders, o LP lançado em 1º de outubro de 1961 passou 20 semanas em 1º lugar nas paradas e outras 19 semanas entre os Top 10. Blue Hawaii é, de fato, o segundo álbum de mais sucesso em toda a década de 1960.










Das 16 canções do filme, somente duas - "Can't Help Falling In Love" e "Rock-A-Hula Baby" não entraram no LP e foram lançadas estrategicamente como singles alguns dias antes da estréia do filme nos cinemas.










_________________________________________________________________________________________________________________

ESTRELAS COADJUVANTES


JOAN BLACKMAN

Joan apareceu na TV pela primeira vez em 1957 e em 1959 estreou no cinema, mas foi só em 1961 que sua grande oportunidade chegou com "Feitiço Havaiano". No ano seguinte ela contracenaria novamente com Elvis em "Talhado Para Campeão".

Entre 1963 e 1973, Blackman trabalhou em diversas séries como "I Spy", "Gunsmoke", "Perry Mason" e "Bonanza", tendo também um papel recorrente na novela "A Caldeira do Diabo" (1964 - 1969). Seu retorno ao cinema se deu em 1974 com "Macon County Line", mas ela voltaria à TV entre o ano seguinte e 1990, quando se aposentou.

Atualmente a atriz vive na California e tem 79 anos.


ANGELA LANSBURY

Lansbury nasceu em 1925 e estreou no cinema em 1944, aos 19 anos. Sua carreira se resume praticamente a atuações na Broadway e na TV, tendo pequenas e rápidas aparições no cinema, caso de "Feitiço Havaiano", onde ela - aos 35 anos - interpretou a mãe de Elvis, que tinha 26 anos na época.

Seus maiores trabalhos cinematográficos se deram com "A Maior História de Todos os Tempos" (1965) e "A Companhia dos Lobos" (1984). Em 2005 ela atuou em "Nanny McPhee - A Babá Encantada" e em 2011 em "Os Pinguins do Papai".

Atualmente a atriz está de volta ao teatro, sua maior paixão. Ela vive em Nova York e tem 91 anos.



ROLAND WINTERS

Nascido em 1904, Roland trabalhou em espetáculos da Broadway nos anos 1920 e foi anunciante na rádio WNAC entre 1931 e 1940. Em 1941 Winters apareceu como extra em "O Cidadão Kane", mas continuou intercalando seu trabalho no rádio com pequenos papéis cinematográficos até 1947.

Entre 1948 e 1959 ele interpretou o famoso detetive Charlie Chan em uma série de filmes e episódios televisivos. Com o fim da série, Winters procurou novamente o cinema e acabou aparecendo ao lado de Elvis em 1961, com "Feitiço Havaiano", e em 1962, em "Em Cada Sonho Um Amor". O ator atuou em séries e filmes até 1982.

Roland Winter morreu em função de um ataque cardíaco em 22 de outubro de 1989, aos 84 anos, na casa de repouso onde morava em Englewood, Nova Jersey.



HOWARD MCNEAR

Howard nasceu em 27 de janeiro de 1905 e trabalhou no teatro durante os anos 1930. Nos anos 1940 fez parte do elenco de um programa de rádio onde começou a interpretar um personagem que foi visto em diversos filmes com Elvis: O senhor tagarela, desinformado e desastrado ou inconveniente.

Este mesmo personagem foi utilizado na criação de Floyd Lawson, um barbeiro tagarela vivido por ele na série "Gunsmoke" (1952 - 1951) e que se tornou tão clássico ao ponto de ser convidado especial em diversos programas e séries nos anos 1960, sendo o maior exemplo o "The Andy Griffith Show" (1960 - 1968).

McNear sofreu um infarto em 1965 que o impossibilitou de andar, mas não interferiu em sua voz. O ator morreu em 3 de janeiro de 1969, às vésperas de completar 64 anos, em função de uma pneumonia causada pelo infarto.


________________________________________________________________________________________________________________

Postagens populares