FÃS DE ELVIS, QUEREMOS SUA OPINIÃO!

Responda nosso rápido formulário sobre um possível evento Elvístico em Porto Alegre (RS). Use a barra lateral ou scroll down para ver todas as perguntas. Não esqueça de clicar em ENVIAR ao terminar. Agradecemos a colaboração.

I'VE GOT TO FIND MY BABY!

O Soldado Presley: G.I. Blues

G.I. BLUES (EUA, 1960)

Título traduzido: Saudades de Um Pracinha
Gravação:
Abril - maio de 1960
Lançamento:
23 de novembro de 1960
Duração:
104min
Produtora:
Paramount Pictures
Orçamento:
U$ 1.5 milhão
Arrecadação:
US$ 4,5 milhões
Elenco principal:
Elvis Presley
Juliet Prowse
Robert Ivers
James Douglas
Jeremy Slate
Trilha sonora:


Em 1960, já iam dois anos sem o lançamento de um filme de Elvis Presley. Embora seus três primeiros filmes tenham sido imensamente criticados, o público se identificou com o Rei do Rock em "King Creole" e o incentivou a tentar mais uma vez fazer com que sua carreira cinematográfica decolasse. Após breves contatos Hal Wallis visitou Elvis na Alemanha cerca de oito meses antes de sua dispensa e apresentou-lhe o roteiro de G.I. Blues, o qual foi aprovado imediatamente por Presley.

Algumas cenas foram rodadas em locação, mas nenhuma delas usou Elvis para evitar a violação do serviço militar obrigatório. O exército americano providenciou todos os carros e tanques vistos no filme, bem como as manobras militares reais. Ao voltar para os EUA em março de 1960, Elvis revisou o roteiro e começou a filmar no fim de abril.

Elvis e Juliet Prowse em still promocional para o filme


Como era de se esperar a crítica bateu pesado no filme em seu lançamento, pois esperava um Elvis mais maduro e um filme sem clichês românticos e musicais ao estilo de King Creole. Apesar disso, o filme acabou o ano de 1960 como o 14º mais rentável e entrou em 1961 com duas indicações a Grammys (Melhor Álbum de Trilha Sonora e Melhor Performance Vocal Masculina em um Álbum) e uma por Melhor Musical Roteirizado pela WGA.

O filme foi muito comentado na mídia após uma sessão de estréia na Cidade do México, onde uma manifestação em frente aos cinemas pedia ao governo que banisse os filmes de Presley.



Embora tenha tido sucesso, G.I. Blues foi o catalisador das fórmulas que se desenrolariam na maioria dos filmes de Elvis durante os anos 1960. Seus próximos dois filmes (Flaming Star e Wild In the Country) foram dramas sérios sem muitas canções, mas tiveram menos sucesso que a fórmula apresentada por G.I. Blues e selaram o destino das produções seguintes. Como Blue Hawaii seria ainda mais rentável que G.I. Blues, o Coronel e Hal Wallis nunca mais deixaram com que Elvis atuasse seriamente. Para Wallis era uma ótima forma de se promover e de continuar trabalhando com a Paramount; Para Parker, a trilha sonora com direitos exclusivos a ele era uma ótima forma de renda.


TRILHA SONORA

Gravada em 3 sessões no RCA Studio C e no Radio Recorders a trilha sonora do filme foi uma das mais rentáveis de todas que Elvis lançou, tendo sido certificada como Ouro já em 1963 e Platina em 1992.

"Wooden Heart" foi a única canção a ser lançada como single, mas somente no Reino Unido, onde ficou seis semanas em 1º lugar. Nos EUA, este single só apareceu pela primeira vez em 1964. Na Europa, direitos autorais fizeram com que a música "Tonight Is So Right For Love" fosse retirada do disco e substituída por "Tonight's All Right For Love".






_________________________________________________________________________________________________________________

ESTRELAS COADJUVANTES


JULIET PROWSE

Juliet nasceu na Índia e foi criada na América do Sul, tendo iniciado aulas de dança aos tenros 4 anos. Em 1959, aos 22 anos, ela foi descoberta por um agente enquanto dançava em um clube em Paris e foi contratada para viver Claudine no filme Can-Can, de Walter Lang.

Embora tenha sido filmado depois, sua primeira aparição nas telas se deu em G.I. Blues. Em seu currículo constam 10 filmes, 14 participações em séries e outras 14 peças de teatro.

Juliet Prowse descobriu que tinha câncer no pâncreas em 1994. A atriz morreu em 1996, aos 59 anos.


ROBERT IVERS

Ivers começou sua carreira em 1953 e teve sua grande chance em 1957 ao estrelar um filme ao lado de Jerry Lewis. Sua veia cômica foi o principal motivo de sua participação em G.I. Blues.

Robert morreu em fevereiro de 2003 em sua casa em Yakima, Washington. Ele tinha 68 anos.

Em agosto de 2003 ele foi votado como melhor dupla em um filme de Elvis Presley pelo Elvis Fans' Choice Award durante a Elvis Week em Memphis.






JAMES DOUGLAS

James não teve uma grande carreira no cinema. Nesse meio, ele fez apenas dois filmes entre 1960 e 1962. Seus trabalhos se concentraram bem mais em novelas e séries entre 1964 e 1987.

O ator era um dos grandes amigos de Dolores Hart, a estrela de dois filmes com Elvis que se tornou freira. James a visitava periodicamente em seu convento antes de adoecer. O ator morreu em 5 de março de 2016 aos 86 anos.







JEREMY SLATE

Jeremy fez somente 14 filmes para o cinema em sua carreira, o primeiro sendo G.I. Blues. A partir de 1961 até 1987, o ator participou de diversas séries como "Missão Impossível", "Perry Mason" e "Gunsmoke", e muitas novelas.

Além de ser um ótimo ator, Slate também escreveu roteiros para filmes (o mais conhecido é Hell's Angels '69) e compôs para artistas como Glen Campbell e Tex Ritter.

Depois de uma longa batalha contra o câncer, o ator morreu durante uma cirurgia para a retirada de um tumor em 2006, aos 80 anos.







________________________________________________________________________________________________________________

Postagens populares