TRANSLATE THIS SITE / TRADUCIR ESTE SITIO

ATENÇÃO SEGUIDORES E VISITANTES

O site Elvis Presley Index está passando por algumas reformulações.
Durante esse processo, algumas páginas estarão indisponíveis em dados momentos.
Agradeço a compreensão desde já.

Att.,
Diego Mantese.

I'VE GOT TO FIND MY BABY!

O Fim de um Ciclo: Change of Habit

CHANGE OF HABIT (EUA, 1969)

Título brasileiro: Ele e as Três Noviças
Gravação:
Março-abril de 1969
Lançamento:
10 de novembro de 1969
Duração:
93min
Produtora:
Universal Pictures
Orçamento:
US$ 3 milhões
Arrecadação:
US$ 3,5 milhões
Elenco principal:
Elvis Presley
Mary Tyler Moore
Barbara McNair
Jane Elliott
Trilha sonora:
"Don't Cry Daddy" (single)
[b/w "Rubberneckin'"]
(Novembro de 1969)
"Let's Be Friends" (LP)
(Abril de 1970)
"Almost In Love" (LP)
(Outubro de 1970)
"Command Performances: Essential 60's Masters II (CD)
(15 de julho de 1992)
"You'll Never Walk Alone" (LP)
(Março 1971)
"The Last Movies" (CD)
(FTD, outubro de 2017)




Change of Habit é o 31º e último filme de Elvis em seu contrato com Hollywood iniciado em 1956. Nele, o Dr. John Carpenter é o médico-chefe de uma clínica popular do gueto de Chicago que luta contra gangsters que querem fechar o local quando recebe a ajuda divina de três mulheres.

Em 1969, os pensamentos de Elvis estavam voltados a coisas mais grandes do que sua carreira em Hollywood. No ano anterior, seu especial de Natal, o "'68 Comeback Special", havia sido uma das maiores audiências da televisão dos EUA e seu retorno aos palcos estava nos pedidos dos fãs. Além disso, a cena musical estava em plena mudança, priorizando o R&B e o Rock, dois estilos que moldaram sua carreira nos anos 1950 e que ele realmente gostava.



Quando Elvis começou suas filmagens para "Change of Habit", em março de 1969, seu contrato com o International Hotel para uma temporada de shows em agosto daquele ano já estava assinado e as obras do hotel quase prontas. O Rei do Rock estava entusiasmado com o ressurgimento de sua carreira nos palcos e muito bem humorado durante as gravações, dado o fato de que o roteiro era de seu agrado e lhe permitia atuar em um drama concreto pela primeira vez nos seus 13 anos de cinema; além disso, a cantoria foi mantida a um mínimo novamente, algo pelo qual ele prezava mais que tudo.

Elvis, Mary Tyler Moore e a coadjuvante Lorena Kirk
em cena de "Ele e as Três Noviças".

O filme em si havia sido anunciado em 1967 e Mary Tyler Moore entrou no projeto em outubro de 1968. A produção era um veículo para promover a carreira de Moore (o que deu certo, pois ela ganhou sua própria série em 1970) até janeiro de 1969, quando Elvis assinou contrato para assumir o papel principal, também como meio de promover seu vindouro retorno aos palcos.

E estes não eram os dois únicos nomes de destaque no elenco. Barbara McNair, cantora muito popular na época, era uma das coadjuvantes junto a Jane Elliott, atriz já consagrada na TV. Darlene Love, do grupo The Blossoms, também estavam nele; Darlene, que faria backing vocal para Elvis em 1969 e 1970, aparece em um papel não-creditado. Na direção, o veterano William A. Graham usou toda sua técnica para tirar só o melhor dos atores.

Elvis e Charlie Hodge nos bastidores


Embora ambientado em Nova York, o filme foi rodado na área de Los Angeles e no lote da Universal Studios em março e abril de 1969. A história agradou a muitos por pregar a tolerância religiosa (em um momento em que os católicos eram muito mal vistos nos EUA) e falar de um assunto tão controverso quanto a liberação ou não de padres e freiras para abandonarem o sacerdócio em caso de dúvidas sobre sua verdadeira vocação ou, no âmbito do filme, algum evento (a freira se apaixonando pelo médico) que os faça questionar tal chamado.

Ele e as Três Noviças foi lançado nos Estados Unidos em 10 de novembro de 1969 e foi o filme de maior sucesso de Elvis desde "Feitiço Havaiano" (1961), passando quatro semanas na 17ª posição de bilheteria na Variety Box Survey. A produção teve sucesso em promover as carreiras do Rei do Rock e de Mary Tyler Moore, além de ganhar US$ 3,5 milhões (dos quais Elvis ficou com 50%) a partir de seu orçamento de US$ 3 milhões (dos quais o cantor recebeu US$ 850 mil de cachê).

Em resumo, depois de filmes medíocres e muitos momentos tensos, Elvis conseguiu finalmente atuar como um ator de drama, o que o levou a estrelar "Ama-me Com Ternura" (1956) em primeiro lugar, e terminou sua carreira cinematográfica (embora "That's The Way It Is" e "On Tour" ainda viessem a ser lançados no cinema) com bastante dignidade, recuperada durante seus quatro últimos filmes.


TRILHA SONORA

Quando Presley gravou a trilha do filme, seu especial de televisão fora um sucesso e o disco com as músicas da atração tinha sido seu primeiro Top 10 em anos; ele também tinha recém acabado as sessões no American Sound Studio, que iriam cimentar o seu ressurgimento como uma força na música popular americana. Além disso, ele estava próximo de começar suas primeiras apresentações ao vivo em oito anos.

Elvis gravou quatro músicas para a trilha no Decca Universal Studio em 5 e 6 de março de 1969. "Rubberneckin'", gravada em janeiro, foi usada como a quinta faixa e, posteriormente tornou-se o único single lançado, como lado B para "Don't Cry Daddy", em novembro de 1969. "Let's Be Friends", não usada no filme, seria lançada no LP de budget homônimo, em 1970, junto a "Change of Habit" e "Have a Happy". A canção de encerramento do filme, "Let Us Pray", só viria à público em outro álbum de budget, "You'll Never Walk Alone", em 1971.


_________________________________________________________________________________________________________________

ESTRELAS COADJUVANTES

MARY TYLER MOORE

Mary Tyler Moore nasceu no Brooklyn HeightsBrooklynNova York, em 29 de dezembro de 1936. A atriz decidiu aos 17 anos que queria ser bailarina. Por sua beleza, Mary foi escalada para uma série de comercias de televisão, trabalho que a fez seguir carreira na atuação. Seu primeiro papel regular na televisão foi como a recepcionista misteriosa e fascinante na série "Richard Diamond, Private Detective" (1957-1960). Em 1961, Carl Reiner colocou Mary no "The Dick Van Dyke Show" e suas performances cômicas e energéticas a tornaram uma estrela.

Depois de ter aparecido com Elvis em "Ele e as Três Noviças", Moore ganhou sua própria série, "The Mary Tyler Moore Show" (1970-1977). De 1990 em diante Moore passou a ser estrela convidada em diversos talk shows e séries até 2011, quando fez uma operação de urgência para a retirada de um tumor cerebral . Portadora de diabetes tipo I desde 1969, Mary Tyler Moore se aposentou em 2013 devido a problemas cardíacos e renais, além de estar quase cega. A atriz faleceu em 25 de janeiro de 2017, aos 80 anos.


BARBARA MCNAIR

Barbara Jean McNair nasceu em 4 março de 1934 em ChicagoIllinois, onde estudou música no Conservatório Americano de Música. Sua grande chance veio em 1951 com uma vitória no programa de TV "Talent Scouts", o que a levou a fazer shows em teatros consagrados e a produzir discos para as maiores gravadoras de artistas negros dos EUA.

Em 1967 McNair se apresentou para as tropas norte-americanas no Vietnã e participou de séries como "Dr. Kildare"e  "Missão: Impossível". Em 1968, posou nua para a Playboy e filmou sequências de nudez no drama criminal "If He Hollers Let Him Go" (1968); por esse motivo, foi criticada pela comunidade católica por viver uma das freiras em "Ele e as Três Noviças".

McNair estrelou sua própria série, "The Barbara McNair Show" (1969-1972), sendo uma das primeiras mulheres negras a ter seu próprio programa. Em 1976 seu marido foi assassinado pelo chefe da Máfia Jimmy Fratianno; a publicidade afetou sua carreira, mas ela continuou a participar de programas pelos 30 anos seguintes. A atriz morreu no dia 4 de fevereiro de 2007, aos 72 anos, de câncer.


JANE ELLIOT

Elliot nasceu em Nova York no dia 17 de janeiro de 1947 e fez sua estréia na série de curta duração da CBS TV "Uma Chama no Vento" (1965). Mais tarde, ela co-estrelou em várias séries de televisão como "Mod Squad", "Kojak" e "Barnaby Jones", coadjuvando em "Ele e as Três Noviças", com Elvis e Mary Tyler Moore, em 1969. Mais tarde, ela teve o papel principal na série de curta duração da NBC "Rosetti and Ryan" (1977).

Porém, em sua carreira no cinema e televisão, Jane Elliot é mais conhecida por seu papel na novela norte americana "General Hospital" (1978-presente), Tracy Quartermaine, que dominou a primeira fase da atração, entre 1978 e 1980; em 2003, Elliot retornou à novela como membro regular do elenco, onde continuou até 2017. Em 2014 ela foi nomeada para um Daytime Emmy Award como Melhor Atriz Coadjuvante em Série Dramática, 33 anos depois de sua primeira vitória, e 21 desde sua última nomeação. A atriz se aposentou em março de 2017, tem 72 anos e vive em Nova York.




_________________________________________________________________________________________________________________

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário!

LEMBRE-SE: Não postaremos mensagens com qualquer tipo de ofensa e/ou palavrão.

Postagens populares

Creative Commons