ATENÇÃO SEGUIDORES E VISITANTES

ATENÇÃO SEGUIDORES E VISITANTES:
O ELVIS PRESLEY INDEX ESTÁ PASSANDO POR EDIÇÕES. ALGUMAS PÁGINAS PODEM NÃO ESTAR DISPONÍVEIS EM DADOS MOMENTOS. AGRADECEMOS A COMPREENSÃO.

SUSPENSÃO DAS POSTAGENS:
Por motivos de força maior, não postaremos novos conteúdos até 16/09/2019.

QUER SER UM ASSINANTE MENSAL? Com apenas R$ 19,90/mês, você nos ajuda a manter o site no ar!

Se você não deseja ser assinante, considere doar qualquer valor clicando no botão abaixo!

I'VE GOT TO FIND MY BABY!

The Impossible Dream [28/01/71 DS] (CD - FTD, 2004)

Título:
The Impossible Dream
Selo:
FTD [FTD 032]
Formato:
CD
Número de faixas:
25
Duração:
60:00
Tipo de álbum:
Concerto
Vinculado a:
Discografia FTD
Ano:
2004
Gravação:
26 a 29 de janeiro de 1971 
Lançamento:
Fevereiro de 2004
Singles:
---

The Impossible Dream é o trigésimo segundo CD da FTD. Ele contém o show de 28 de janeiro de 1971 DS em Las Vegas de forma parcial, adicionado de bônus dos dias 26, 27 e 29 do mesmo mês e ano, para criar uma apresentação única. O CD está atualmente fora de catálogo na gravadora.

Embora nunca tivesse lançado material ao vivo de 1971, a FTD tinha preocupação em não repetir materiais de outras produtoras e bootlegs, ao mesmo tempo que sentia a necessidade de trazer alguns momentos em áudios melhores do que os disponíveis. As fitas que não exibiam estragos eram as mesmas que outras gravadoras tinham vendido e relançar este mesmo material poderia ser um fracasso comercial. Havia o show de 27/01/71 MS, que já fora vendido no bootleg "All Things Are Possible" em 1995; havia a apresentação de 28/01/71 MS, vendida em "Lean, Mean & Kickin' Butt", de 1996; neles, e em algumas compilações, haviam faixas já muito comercializadas, o que reduziria em muito o interesse do público. Havia também a possibilidade de desagradar parte dos fãs e críticos, os quais julgavam que, por uma série de coisas, incluindo a ordem da direção do International Hotel para que Elvis mantivesse a duração de seus shows abaixo de uma hora, a quarta temporada do cantor em Las Vegas não trazia grandes e memoráveis momentos entre as apresentações corridas e quase sem diálogos.

Mesmo assim, a FTD resolveu se arriscar e lançar o até então inédito show das 20:15 de 28 de janeiro de 1971. A fita tinha várias partes danificadas, as quais foram substituídas pelas mesmas músicas retiradas do soundboard também danificado da apresentação de abertura da temporada, em 26 de janeiro, o que acabou por nos dar a oportunidade de ouvir a primeira vez em que "Also Sprach Zarathustra" abria um show. Com edições, foi criado um show completo com apenas 37 minutos de duração, o que seria mal visto em um lançamento. Para contornar isso, a gravadora resolveu presentear os fãs com mais 23 minutos de extras de shows de 26/01/71 OS, que inclui a última vez em que "Can't Help Falling In Love" seria ouvida naquela temporada, 27/01/71 MS e 29/01/71 DS.

 Abaixo segue a resenha do conteúdo disponibilizado no CD.
_________________________________________________________________________________________________________________

- 1. Also Sprach Zarathustra (26/01/71 OS): A fanfarra que abriria todos os shows, exceto um (19/08/74 OS), dali até 26 de junho de 1977 é ouvida pela primeira vez.

- 2. That's All Right (26/01/71 OS): Uma poderosa versão anima o público, apesar da microfonia no início (o que leva a uma reclamação de Elvis entre os versos iniciais da canção).

- 3. You Don't Have to Say You Love Me (28/01/71 DS): A primeira faixa do então recém descoberto soundboard do show das 20:15 de 28 de janeiro de 1971 se apresenta. O som é definitivamente menos cheio do que o das duas faixas anteriores e a versão da canção parece ser feita às pressas, acabando em menos de dois minutos, em observação ao pedido da direção do hotel. Elvis apenas agradece no final.

- 4. Love Me Tender (28/01/71 DS): "A primeira canção de um filme meu, que fiz em 1956, é assim", anuncia. Uma rendição bastante leve, com Elvis distribuindo os já costumeiros lenços e beijos para as fãs. Charlie Hodge avisa o cantor que a música seguinte seria "There Goes My Everything" e Elvis responde: "There Goes My... Não quero cantar essa."

- 5. Sweet Caroline (28/01/71 DS): "Ok, Sweet Caroline." A música começa em um tempo bem mais rápido do que o normal e é interrompida logo no início: "É assim que fazemos aqui! Se eu não gosto, paramos no meio dela." Antes de recomeçar, Elvis pede desculpas a James Burton. A segunda tentativa é curta, mas bem sucedida e uma boa versão para o período.

- 6. You've Lost That Lovin' Feelin' (28/01/71 DS): Talvez uma das melhores performances do show, traz Elvis realmente se conectando com uma canção pela primeira vez naquela noite. Mesmo assim, ele pede o fim da rendição depois de apenas dois minutos e meio, quando ela geralmente dura mais de quatro. Isso, em parte, mostra como Elvis estava incomodado com o pedido da direção do hotel.

- 7. Polk Salad Annie (28/01/71 DS): Em 1969 e 1970 a canção costumava ter pelo menos 4 minutos, o que nos deixa bastante decepcionados ao ouvir aqui uma versão truncada de meros dois minutos e meio que também vem sem a história que a introduzia. Ao invés de soar descontraído, Elvis parece desanimado com os cortes.

- 8. Band Introductions I (28/01/71 DS): Elvis apresenta o grupo The Imperials, The Sweet Inspirations e James Burton.

- 9. Johnny B. Goode (26/01/71 OS): James exibe suas habilidades tocando "Johnny B. Goode", que aqui é substituída pela versão muito mais animada de 26 de janeiro de 1971 por problemas na fita.

- 10. Band Introductions II (28/01/71 DS): Elvis apresenta John Wilkinson, Ronnie Tutt, Jerry Scheff, Glen Hardin, Charlie Hodge, Joe Guercio e sua orquestra. Kathy Westmoreland está presente, mas é esquecida por Elvis.

- 11. Something (28/01/71 DS): Outra candidata a uma das melhores rendições do show, traz Elvis sentindo a melodia e entregando uma versão sólida que só é abalada, mesmo que quase imperceptivelmente, por sua risada no final. O cantor apresenta Kathy Westmoreland.

- 12. Release Me / Love Me (28/01/71 DS): Elvis para a apresentação para tomar um pouco de Gatorade e ler a lista de músicas do show, passando por "I Can't Stop Loving You" e escolhendo "Please, Release Me". Depois de fazer um trocadilho com a letra para mexer com Charlie ("eu não tenho nada a ver se o Charlie é gay"), Elvis parece se perder e passa a procurar a entrada correta na canção. Ao acabá-la, ele sinaliza que vai cantar "Love Me", mas abandona a rendição depois de apenas duas linhas.

- 13. Blue Suede Shoes (28/01/71 DS): Decidindo cantar "Blue Suede Shoes", Elvis ri intensamente no início e encerra a rendição depois de apenas três estrofes e menos de um minuto. Elvis tenta explicar o que a plateia está vendo incrédula: "Sabem... O que é engraçado... Esse pessoal aqui não sabe realmente o que eu vou fazer a seguir... Duzentas músicas, sabem?"

- 14. Hound Dog (28/01/71 DS): "You ain't... You ain't!" ecoa pelo salão e arranca risadas de todos. Durante o solo de James Burton, Elvis nota que a luz continua nele e reclama: "Tire a luz de mim! Não estou fazendo nada, droga!"


- 15. It's Now or Never (28/01/71 DS): É a primeira vez que Elvis rende a canção gravada em 1960 e a versão não é ruim, apesar de alguns trocadilhos com a letra no início.

- 16. Suspicious Minds (28/01/71 DS): Nas circunstância do show, "Suspicious Minds" realmente deve ter sido uma fantástica e bem vinda rendição. O problema é que, por danos na fita, o áudio da performance é muito pobre e não conseguimos apreciá-la verdadeiramente em todo seu esplendor.

- 17. The Impossible Dream / Closing Vamp (28/01/71 DS): "Obrigado. Vocês são uma excelente plateia, senhoras e senhores. Obrigado!" Como de costume naquela temporada, Elvis abandonou "Can't Help Faling In Love" depois da apresentação de 26/01/71 OS e todos os shows foram encerrados com "The Impossible Dream" (inclusive o de 26/01/71 OS - leia mais abaixo). A versão é emocionante e Elvis usa todo seu potencial na rendição, fazendo com que esta seja sem sombra de dúvidas a melhor performance da noite. Um pedacinho da "Closing Vamp" é ouvida no fim.

- 18. Mystery Train / Tiger Man (26/01/71 OS): Investindo em bônus para elevar o tempo de execução do trabalho, a FTD nos traz rendições que destacam o quanto decepcionante foi o show que acabamos de ouvir. Esta versão do famoso medley é dinâmica, forte e ritmada, mostrando a verdadeira energia de Elvis no show de abertura da temporada. "Obrigado! Boa noite, senhoras e senhores, meu nome é Johnny Cash!", brinca.

- 19. There Goes My Everything (27/01/71 MS): Elvis anuncia que cantará uma música de seu novo álbum country, rindo logo no início. A versão é consistente e bastante aproveitável, com Elvis advertindo Ronnie Tutt para que siga seus movimentos e rindo com Charlie Hodge durante a execução.

- 20. Make the World Go Away (27/01/71 MS): Elvis está de bom humor e é isso que a versão passa. Sua interpretação é magnífica e a guitarra de James Burton brilha nesta que é a penúltima rendição da canção (a última se daria em 08/08/73 MS).

- 21. Love Me (27/01/71 MS): Elvis faz vários false starts e ri com os músicos antes de entrar na música para valer. É o momento dos beijos e lenços.

- 22. Only Believe (27/01/71 MS): Disponível anteriormente apenas em bootlegs, essa é uma verdadeira joia por ter sido rendida somente nesta ocasião. Elvis está inspirado e os backing vocals acompanham na medida certa.

- 23. How Great Thou Art (27/01/71 MS): Uma das músicas mais adoradas por Elvis, adicionada a seu show em novembro de 1970, é rendida de forma um pouco tumultuada. Logo no início, Elvis para e repreende o iluminador: "Ponha luz no palco ou eu vou cair, seu tolo! Se eles não iluminarem o palco, vou cair em cima dessas mesas e vou ser processado pela vida toda." A música é reiniciada, mas o cantor parece ter perdido o feeling, brincando e rindo durante a rendição. "Espero que não se ofendam com minhas brincadeiras, mas é o que fazemos para nos mantermos interessados."

- 24. Snowbird (29/01/71 DS): Elvis se dirige à plateia: "Vocês gostam daquela música, 'Snowbird'? Nós não sabemos ela, mas se vocês gostam..." Com a resposta positiva, ele brinca com a banda: "Alguém sabe ela? Como começa, como termina, qual é o meio dela? O resto eu sei." Depois de pedir um banquinho para sentar e finalmente iniciar a rendição, Elvis a interrompe: "Está muito lento, não vou conseguir... Esse pássaro não está voando... Ele é mais rápido, sabe?". Ao reiniciar, ele acena: "É assim que ele voa!". A fita tem algumas distorções, mas nada que tire a espontaneidade e maravilha dessa primeira versão ao vivo.

- 25. Can't Help Falling In Love (26/01/71 OS): Embora fosse terminar seus shows com "The Impossible Dream" durante toda aquela temporada, Elvis cantou "Can't Help Falling In Love" no concerto de abertura em homenagem a Hal Wallis, diretor de "Blue Hawaii", que estava na plateia. A diferença é que a rendição se deu em meio ao show, e não no final.
_________________________________________________________________________________________________________________

VÍDEO (CD FTD COMPLETO)

Um comentário:

Obrigado por seu comentário!

LEMBRE-SE: Não postaremos mensagens com qualquer tipo de ofensa e/ou palavrão.

Postagens populares