QUARENTENA NO ELVIS PRESLEY INDEX

O Elvis Presley Index está com atividade reduzida por tempo indeterminado em função da pandemia de Coronavírus.


Apesar de o Elvis Presley Index não ser afetado ou ter a obrigação de fechar ou diminuir seu funcionamento, a parada dos trabalhos será adotada por necessidade de auxílio a familiares nesse momento complicado e a falta de tempo que se instalará com isso.


Postagens esporádicas aparecerão durante a duração da quarentena, por isso é importante que nossos amigos retornem periodicamente ao site para não perder nenhum conteúdo.

I'VE GOT TO FIND MY BABY!

sábado, 14 de dezembro de 2019

Elvis no Havaí - Parte 4: 12 e 14 de janeiro de 1973 (Aloha From Hawaii via Satellite [Single/LP - RCA, 1973]) [CD - Sony Legacy, 2013]



Ao longo dos anos, ficou evidente que Elvis tinha um grande apreço pelo Havaí. Foi lá que alguns dos melhores momentos de sua carreira ocorreram, como o concerto beneficente em Pearl Harbor e o filme "Blue Hawaii", ambos em 1961. As ilhas do arquipélago ainda serviriam de cenário para "Girls! Girls! Girls!" e "Paradise, Hawaiian Style", de 1962 e 1966, respectivamente, além do especial "Aloha From Hawaii" em 1973.

Mas o amor pelas belas ilhas havaianas havia começado bem antes, em 1957, quando Elvis as visitou pela primeira vez. O Rei do Rock ficou tão maravilhado com o lugar que decidiu que aquele seria seu recanto, passando várias de suas férias dali até 1977 no arquipélago. Mais tarde, em 1968, ele compraria uma casa à beira da praia de Lanikai, em Oahu, e faria dela seu refúgio sempre que possível.

Abaixo descrevemos a quarta experiência de Elvis no Havaí: o "Aloha from Hawaii".
_________________________________________________________________________________________________________________

OBSERVAÇÃO IMPORTANTE: Esta postagem não leva em conta os concertos em si, e sim as circunstâncias em torno deles. Qualquer menção que possa ser vista como negativa não é, portanto, dirigida a Elvis ou aos shows em questão.
_________________________________________________________________________________________________________________

Aloha from Hawaii é um dos mais conhecidos concertos de Elvis Presley, e foi transmitido ao vivo via satélite em 14 de janeiro de 1973. A apresentação ocorreu no Centro Internacional de Honolulu (HIC - agora conhecido como Neal S. Blaisdell Center), em Honolulu, Havaí, e foi exibido em mais de 40 países da Ásia e  Europa.


HISTÓRIA

Em 8 de julho de 1972, inspirado em uma recente visita feita pelo presidente dos EUA, Richard Nixon, à China, o empresário de Presley, o Coronel Thomas Parker, anunciou que haveria uma transmissão mundial via satélite de um show de Elvis no Havaí para permitir que o mundo inteiro tivesse a chance de ver uma de suas apresentações "uma vez que é impossível nos apresentarmos em todas as grandes cidades" (o que não era fato, e sim apenas o medo de Parker de sair dos EUA e não poder mais voltar - ele entrara clandestinamente nos anos 1920).

Parker inicialmente declarou que iria acontecer em outubro ou novembro de 1972, mas esta data foi alterada para o início de 1973 após a MGM mostrar preocupação com a data, que confrontaria com o lançamento de seu documentário Elvis on Tour. Como os shows já haviam sido planejados, os três ocorreram normalmente nos dias 17 e 18 de novembro de 1972, mas sem serem filmados.

Parker então realizou mais uma conferência de imprensa na madrugada de 4 para 5 de setembro de 1972, após o show de encerramento da segunda temporada em Las Vegas naquele ano, para confirmar que o concerto, agora intitulado Aloha From Hawaii, seria transmitido em 14 de janeiro de 1973. A apresentação beneficente visou arrecadar fundos para a Fundação do Câncer Kui Lee e conseguiu o montante de US$ 75 mil para a causa.

Elvis durante a conferência de imprensa para o Aloha From Hawaii; 5 de setembro de 1972

A imprensa foi informada de que um público de 1 bilhão de pessoas era esperado para ver o "primeiro show especial a ser transmitido ao vivo em todo o mundo", embora Parker não tenha levado em conta o fato de que muitos países, incluindo partes da Europa e da América, não iriam ver o show ao vivo devido ao horário da transmissão e outros fatores.

Mesmo nos EUA, o especial não passou ao vivo. O show só foi ao ar quase três meses depois, em 4 de abril de 1973, cheio de cortes e com a inserção de clipes. O Brasil também não viu a apresentação até 1977, quando o especial passado na TV americana foi exibido em homenagem a Elvis na ocasião de seu falecimento.

No nosso caso, isso se deu porque havia um parâmetro que determinava quais países poderiam receber o show ao vivo: pelo menos 50% dos televisores do país deveriam ser a cores, pois o cenário do concerto havia sido estrategicamente montado e colorido para impressionar a vista. Em 1973 o Brasil possuía pouquíssimos aparelhos de TV coloridos, pois a venda dos mesmos e as transmissões a cores haviam recentemente começado, em 1972.

Apesar disso, toda a promoção do especial mostrava que pelo menos 40 países, entre eles o Brasil, receberiam a transmissão ao vivo, o que não ocorreu.

Marketing: apesar de não receber a transmissão, o Brasil constava entre os 40 países que veriam a apresentação.
FOTO: Conferência de imprensa para o Aloha From Hawaii em Las Vegas, ocorrida em 5 de setembro de 1972.


A afirmação do "primeiro show especial a ser transmitido ao vivo em todo o mundo" também não era verdadeira, pois a primeira transmissão do tipo - o especial Our World - tinha se dado em 25 de junho de 1967, incluindo artistas de renome como Maria Callas, Pablo Picasso e The Beatles - Aloha From Hawaii foi, então, somente o primeiro concerto ao vivo via satélite com um único performer. Também é incorreta a informação dada por Parker e pela imprensa de que entre 1 e 1,5 bilhão de pessoas assistiram ao show ao vivo. A população total dos países em que a transmissão seria em tempo real era em torno de 1,3 bilhão - implicando em que todos teriam de ver o show para que a informação fosse correta - e nem todos veriam o evento por causa do fuso-horário.

Duas semanas após a conferência de imprensa em Las Vegas, Parker recebeu uma carta do ator e colunista do Honolulu Advertiser, Eddie Sherman. Ele havia lido notícias de que os ingressos para as apresentações não seriam cobrados, e que em vez disso cada pessoa faria uma doação de qualquer valor para a caridade. Sherman sugeriu a Parker que Elvis cantasse "I'll Remember You", que era uma composição de Kui Lee - um dos artistas mais famosos do Havaí - e fazia parte dos shows regulares de Presley, como uma forma de agradecimento ao povo e ao homem que deu nome à instituição que receberia as doações, a Fundação do Câncer Kui Lee. Vendo a oportunidade de divulgar a natureza beneficente de Elvis Presley, mais uma vez, Parker ansiosamente concordou.

Depois das três apresentações no Havaí em 17 e 18 de novembro de 1972, Elvis participou de uma conferência de imprensa no dia 20 do mesmo mês, no auditório do Hawaiian Village Hotel, onde oficializou a data de 14 de janeiro de 1973 para o "Aloha From Hawaii". O presidente da RCA, Rocco Laginestra, adicionou: "A entrada só será permitida via doação, não haverá venda de ingressos e toda a arrecadação será direcionada ao Kui Lee Cancer Fund." O cantor e o Coronel Parker abriram as doações com cheques de mil dólares cada, acompanhados de mais mil em nome da RCA e 500 dólares de cada membro de seu grupo.

Elvis durante as três apresentações de 17 e 18 de novembro de 1972 em Honolulu

Elvis retornou a Las Vegas no dia seguinte para descansar e ficou até 4 de dezembro, quando teve de voltar a Graceland às pressas para resolver assuntos pessoais. Sem poder assinar o contrato com o HIC e a RCA, o cantor enviou uma carta ao Coronel autorizando que ele oficializasse tudo em seu nome. Em 13 de dezembro de 1972, o Honolulu Star Bulletin circulou uma nota anunciando que as doações estavam abertas e que os interessados poderiam enviar qualquer valor diretamente para o escritório do Honolulu International Center em cheques nominais para o Kui Lee Cancer Fund. Duzentos lugares à frente do palco foram reservados para os doadores mais generosos.

No total, a arrecadação para os dois shows beneficentes, em 12 e 14 de janeiro de 1973, atingiu e ultrapassou a meta de US$ 75 mil. Elvis foi instruído a divulgar somente que a meta fora conseguida com sucesso durante as apresentações, omitindo que havia e em quanto havia sido superada.


IDÉIAS E ENSAIOS

Presley chegou ao Havaí em 9 de janeiro de 1973, um dia depois de seu 38 º aniversário, para começar os ensaios. Apesar das circunstâncias na vida pessoal de Elvis, tudo parecia estar melhorando, pois Elvis não costumava deixar o lado pessoal interferir nos palcos.


FOTOS: ELVIS CHEGA AO HAVAÍ - 9 DE JANEIRO DE 1973








Elvis perdera 11 quilos para os shows  e estava confiante após receber a notícia de que suas vendas de discos estavam aumentando e que "Elvis On Tour" tinha sido nomeado para um Globo de Ouro.

Os ensaios foram realizados no Hilton Hawaiian Village Hotel enquanto o conjunto principal, o Honolulu International Center (HIC) - onde os shows ocorreriam - estava sendo preparado. Embora houvesse vários problemas técnicos, os ensaios foram um sucesso total.

Hilton Hawaiian Village Hotel nos dias atuais


O produtor e diretor da atração, Marty Pasetta, tinha assistido um dos concertos de Presley em Long Beach, em meados de novembro de 1972, e achado "chato" e desprovido de qualquer excitação física. Ele se aproximou de Parker com idéias sobre a transmissão, incluindo uma pista que levaria para fora do palco para que Presley pudesse se aproximar de seu público. Mas Parker insistiu que as idéias eram inúteis e que Presley concordaria que eles eram inúteis.

Pasetta, no entanto, decidiu abordar Presley com as idéias e ficou agradavelmente surpreso ao descobrir que o cantor gostaria de fazer o que ele sentia ser melhor para o show. Este foi mais um exemplo da crescente distância entre Presley e seu agente que culminou nas já bem conhecidas brigas que levaram ambos a se separarem e juntarem por várias vezes nos anos seguintes.


DOIS SHOWS, DOIS ELVIS

Após 3 dias de ensaios, Elvis se apresentou, em 12 de janeiro de 1973, em uma espécie de "concerto-ensaio" que foi gravado, mas não transmitido. A apresentação, que ficou conhecida como The Alternate Aloha, se deu no mesmo local do "Aloha", o Honolulu International Center (atual Neal S. Blaisdell Center).

Honolulu International Center (Neil S. Blaisdell) atualmente


No concerto de 12 de janeiro, Elvis estava visivelmente mais solto e frequentemente falava com a platéia sobre o porquê de estar fazendo certas coisas - como procurar as marcas das câmeras - e não estar fazendo outras. Ele se dizia preocupado com o show via satélite e pedia ao público que desejasse muita sorte. Mesmo assim, o show foi gravado como uma espécie de "backup", caso qualquer coisa desse errada com a transmissão via satélite - se houvesse algum problema, o "concerto-ensaio" do dia 12 seria transmitido no lugar da apresentação ao vivo.


FOTOS: 12 DE JANEIRO DE 1973 - JUMPSUIT AMERICAN EAGLE






Já no show de 14 de janeiro, o "Aloha" transmitido via satélite, Elvis adentrou o palco mais confiante. Porém, sua apresentação mostrou-se extremamente rígida do início ao fim, deixando-se soltar um pouco - mas não muito - durante a interpretação de "Fever".


FOTOS: 14 DE JANEIRO DE 1973 - JUMPSUIT AMERICAN EAGLE




















Tudo deveria ser rigorosamente coreografado, desde os movimentos, as expressões corporais e a interação com o público ao ritmo da apresentação e o trabalho de câmera. Afinal, não era um show de Elvis Presley, e sim uma promoção de Tom Parker, um programa de TV com platéia, por assim dizer.

E é isso que deixa claro a reportagem de Wayne Harada, do jornal Honolulu Advertiser, veiculada no dia 14 de janeiro:

"Elvis Presley recebeu uma coroa de ouro - e uma ovação de pé - na conclusão de seu inédito show de TV ao vivo transmitido via satélite para uma audiência global de mais de 1,5 bilhão nas primeiras horas da madrugada. Presley transpirava muito e simplesmente segurou com a coroa, aceitando os elogios, antes de desaparecer nos bastidores em mais uma noite de trabalho concluída.
A Arena HIC, lotada com 6000 fãs havaianos, tornou-se um gigantesco estúdio de TV para o espetáculo de uma hora, "Aloha from Hawaii", que foi transmitido pela para cerca de 40 nações. Foi uma hora emocionante - com música e gritos ruidosos - onde Presley cantou um total de 25 músicas, incluindo uma versão rara e pungente de "I'll Remember You", de Kui Lee. Assim como o ensaio de sexta-feira à noite, o show de ontem foi um benefício para o Fundação do Câncer Kui Lee.

Mas ao contrário de qualquer outra produção de caridade, este teve que aura de The Big Time: um superstar fazendo um super desempenho, bem diante dos olhos do mundo. As equipes de filmagem estavam por toda parte: no palco, nos corredores, na platéia; o zoom estava em Presley e seu desempenho inovador, coordenado pela RCA Record Tours. "Aloha from Hawaii" é a primeira transmissão especial ao vivo para um público global; ele será expandido para um especial de 90 minutos da NBC-TV, que será exibido aqui e no continente ainda este ano.

Talvez apenas um fenômeno como Presley pudesse realizar tal façanha em uma hora tão imprópria para shows - 00:30, hora do Havaí - e ainda lotar a casa. O concerto foi semelhante em formato ao seu par de shows de novembro de 1972 no HIC: começou na escuridão, com a fanfarra de "2001: A Space Odyssey" antecedendo entrada de Elvis Presley; terminou com Presley cantando "Can't Help Fallin' in Love with You". Claro, houve diferenças. Para começar, Presley arremessou sua capa branca e cravejada para o público - um marco do seu número final. Esse foi o sonho de um colecionador que se tornou realidade. O sortimento habitual de lenços foi disponibilizado para o público em determinados pontos do show.

O palco, especialmente construídos para a apresentação, era excepcionalmente grande e com uma plataforma saliente, consistindo de uma parede preta que se estendia desde o chão ao teto da arena. Uma série de espelhos emolduravam ambos os lados do palco e luzes especiais -  na forma de silhuetas de Presley e de letras -  soletravam o seu nome não só em inglês, mas em línguas estrangeiras, acendendo e apagando ocasionalmente. Uma vez no palco, Elvis nunca o deixou nem parou para intervalos comerciais.

Para o público havaiano, "I'll Remember You" foi a rendição mais sentimental. A versão de Presley manteve o sabor havaiano, mas também aproveitou o alcance internacional da música; facilmente poderia emergir como o próximo hit Nº. 1 de Elvis Presley. "An American Trilogy" foi outra instância emocional, que enviou várias centenas de fãs aos seus pés. Mas, aparentemente, a necessidade de manter o show andando - pois o tempo de transmissão na TV é precioso - forçou Presley a ignorar a resposta do público.

O concerto foi inteligentemente ritmado e embalado para atender todos os campos da discografia de Presley. Haviam os antigos sucessos - Love Me, Blue Suede Shoes, Hound Dog, Johnny B. Goode, Long Tall Sally; haviam os recentes - Suspicious Minds, Burning Love, What Now My Love; e haviam as partes acaloradas - See See Rider, Something, Fever, esta última com os clássicos movimentos pélvicos de Presley. E também estavam lá as rendições especiais de Welcome to My World, It's Over e I'm So Lonesome I Could Cry.

Ele só tocou sua guitarra uma única vez. Afinal, tinha todo o apoio musical de que precisava: a combinação dos seis músicos de sua banda, com JD Sumner, The Stamps Quartet e The Sweet Inspirations fazendo os backing vocals, e uma orquestra gigantesca de de 40 músicos, incluindo uma seção de cordas esplendidamente ágil composta por alguns dos nossos músicos sinfônicos. Presley manteve a conversa ao mínimo. Brincou sobre Hound Dog: "Eu era apenas um bebê quando eu fiz essa canção". Ele introduziu Jack Lord como um de seus atores favoritos. E relatou que sua meta original de US$ 25.000 para a Fundação do Câncer Kui Lee tinha sido ultrapassada, com mais de US$ 75.000 levantados em doações.

O Aloha de Elvis Presley para o Havaí tinha sido demonstrado antes, quando ele ajudou a levantar fundos para a construção do USS Arizona Memorial em 1961. O show de ontem reafirma o carinho filantrópico de Presley e do Coronel Tom Parker para com o Havaí. Como a natureza duradoura da música de Kui Lee, a incandescência de Presley é incomparável. Talvez Presley tivesse uma mensagem oculta em quando cantou as linhas de fechamento da canção de Kui Lee: "... ama-me sempre, prometa que sempre se lembrará também."


LUZ, CÂMERA... ALOHA!

No intuito de mostrar Elvis com perfeição, vários fatores, efeitos e técnicas foram usados.

Em primeiro lugar, o cenário colorido deveria refletir o Havaí e sua flora, além de realçar o branco do jumpsuit de Elvis. Depois, o palco alto deveria impedir que as fãs pudessem agarrar Presley e provocar uma cena "escandalosa" que seria vista no mundo inteiro. Mas Elvis quebrou o protocolo algumas vezes, deixando que as fãs o abraçassem - e até tentassem roubar seus anéis, ação sempre correspondida com uma risada sarcástica.

Em seguida, espelhos foram inseridos nas extremidades do palco para refletir a platéia - e simular um público maior do que os 6 mil realmente presentes. Por último, como o show não poderia ser parado nem as canções poderiam ser repetidas, Elvis tinha a sua disposição dálias com as letras logo abaixo da câmera que o filmava desde o centro do palco.


FOTOS: DETALHES DA ILUMINAÇÃO, ESPELHOS E DÁLIAS








MODIFICAÇÕES NA LISTA DE MÚSICAS DO SHOW

Inicialmente, a ideia era mostrar Elvis em todas as fases de sua carreira e trazê-lo cantando praticamente todos os hits que o haviam colocado no lugar onde agora estava. Como aquele se tornaria um show extenso, ainda mais naquela situação, em que a apresentação havia começado às 0h30, foi decidido que o Rei do Rock dividiria a performance entre sucessos antigos e atuais, músicas de sua preferência e outras que nunca havia cantado.

A lista de original continha as seguintes músicas:

Also Sprach Zarathustra
See See Rider
I Got a Woman
Burning Love
Something
You Gave Me A Mountain
Steamroller Blues
My Way
Love Me
Little Sister
One Night
(Let Me Be Your) Teddy Bear / Don't Be Cruel
My Babe
It's Impossible
It's Over
Blue Suede Shoes
I'm So Lonesome I Could Cry
Hound Dog
What Now My Love
Fever
Welcome to My World
Suspicious Minds
Introductions
I'll Remember You
An American Trilogy
How Great Thou Art
A Big Hunk O' Love
Lawdy Miss Claudy
Can't Help Falling In Love
Closing Vamp


DEPOIS DO SHOW, MAIS TRABALHO

Quando o especial "Aloha From Hawaii" terminou, já passava de 1h30 da manhã no Havaí. Em partes dos EUA, já era mais de 7h30. Mesmo assim, Elvis teve de esperar a Arena HIC esvaziar para cumprir sua última parte no contrato.

Ele precisava gravar algumas canções para o especial que seria transmitido na TV americana em 4 de abril de 1973. Eram cinco músicas: "Blue Hawaii", "Ku-u-I-po", "No More", "Hawaiian Wedding Song" e "Early Morning Rain". Elvis começou a gravar às 2:15 da manhã e, entre erros e acertos, o trabalho estava pronto às três.

Elvis grava as canções para a edição da TV americana



O LEGADO HAVAIANO

Em última instância,  todo este trabalho se traduziu em uma apresentação memorável que marcou a história das transmissões via satélite e resumiu os dias áureos da carreira de Elvis Presley. O show, existente hoje em VHS e DVD, permanece um dos mais lembrados da música internacional.
______________________________________________________________________________________________________________

AS SESSÕES DE GRAVAÇÃO

Data:
12 e 14 de janeiro de 1973
Estúdio:
Honolulu International Center

Local:
Honolulu, Havaí

Músicos:
Elvis Presley
Violão:
Elvis Presley, Charlie Hodge
Guitarra:
James Burton
Guitarra Rítmica:
John Wilkinson
Baixo:
Jerry Scheff
Bateria:
Ronnie Tutt
Piano:
Glen Hardin
Maestro:
Joe Guercio
Orquestra:
The Joe Guercio Orchestra
Backing Vocals:
The Sweet Inspirations, JD Sumner, The Stamps Quartet, Kathy Westmoreland, Charlie Hodge

Engenheiro de som:
Felton Jarvis, Al Pachucki

12 DE JANEIRO DE 1973
                                 Also Sprach Zarathustra
                                 See See Rider
                                 Burning Love
                                 Something
                                 You Gave Me a Mountain
                                 Steamroller Blues
                                 My Way
                                 Love Me
                                 It's Over
                                 Blue Suede Shoes
                                 I'm So Lonesome I Could Cry
                                 Hound Dog
                                 What Now My Love
                                 Fever
                                 Welcome to My World
                                 Suspicious Minds
                                 Introductions
                                 I'll Remember You
                                 An American Trilogy
                                 A Big Hunk O' Love
                                 Can't Help Falling In Love
                                 Closing Vamp

14 DE JANEIRO DE 1973
                                 Also Sprach Zarathustra
                                 See See Rider
                                 Burning Love
                                 Something
                                 You Gave Me a Mountain
                                 Steamroller Blues
                                 My Way
                                 Love Me
                                 Johnny B. Goode
                                 It's Over
                                 Blue Suede Shoes
                                 I'm So Lonesome I Could Cry
                                 I Can't Stop Loving You
                                 Hound Dog
                                 What Now My Love
                                 Fever
                                 Welcome to My World
                                 Suspicious Minds
                                 Introductions
                                 I'll Remember You
                                 Long Tall Sally / Whole Lotta Shakin' Goin' On
                                 An American Trilogy
                                 A Big Hunk O' Love
                                 Can't Help Falling In Love
                                 Closing Vamp
                                 Blue Hawaii
                                 KU-U-I-PO
                                 No More
                                 Hawaiian Wedding Song
                                 Early Morning Rain

_________________________________________________________________________________________________________________

LOGS DAS SESSÕES





_________________________________________________________________________________________________________________

FAIXAS DO SINGLE E LPS RELACIONADOS (RCA, 1973 - 1988)

ALOHA FROM HAWAII VIA SATELLITE (LP)

4 de fevereiro de 1973

1. Introduction: Also Sprach Zarathustra (ao vivo, 14/01/73)
2. See See Rider (ao vivo, 14/01/73)
3. Burning Love (ao vivo, 14/01/73)
4. Something (ao vivo, 14/01/73)
5. You Gave Me A Mountain (ao vivo, 14/01/73)
6. Steamroller Blues (ao vivo, 14/01/73)
7. My Way (ao vivo, 14/01/73)
8. Love Me (ao vivo, 14/01/73)
9. Johnny B. Goode (ao vivo, 14/01/73)
10. It's Over (ao vivo, 14/01/73)
11. Blue Suede Shoes (ao vivo, 14/01/73)
12. I'm So Lonesome I Could Cry (ao vivo, 14/01/73)
13. I Can't Stop Loving You (ao vivo, 14/01/73)
14. Hound Dog (ao vivo, 14/01/73)
15. What Now My Love (ao vivo, 14/01/73)
16. Fever (ao vivo, 14/01/73)
17. Welcome to My World (ao vivo, 14/01/73)
18. Suspicious Minds (ao vivo, 14/01/73)
19. Introductions by Elvis (ao vivo, 14/01/73)
20. I'll Remember You (ao vivo, 14/01/73)
21. Medley: Long Tall Sally / Whole Lot-ta Shakin' Goin' On (ao vivo, 14/01/73)
22. An American Trilogy (ao vivo, 14/01/73)
23. A Big Hunk O' Love (ao vivo, 14/01/73)
24. Can't Help Falling In Love/Closing Vamp (ao vivo, 14/01/73)



FOOL (SINGLE)

13 de março de 1973

1. Fool
2. Steamroller Blues (ao vivo, 14/01/73)



MAHALO FROM ELVIS (LP)

8 de junho de 1978

1. Blue Hawaii (14/01/73)
2. Early Morning Rain (14/01/73)
3. Hawaiian Wedding Song (14/01/73)
4. KU-U-I-PO (14/01/73)
5. No More (14/01/73)
6. Relax
7. Baby, If You'll Give Me All of Your Love
8. One Broken Heart For Sale
9. So Close, Yet So Far (from Paradise)
10. Happy Ending



A CANADIAN TRIBUTE (LP)

12 de setembro de 1978

1. Jailhouse Rock
2. (Let Me Be Your) Teddy Bear
3. Loving You
4. Until It's Time For You to Go
5. Early Morning Rain (Studio)
6. Vancouver Press Conference (Part) (31/08/57)
7. I'm Movin' On
8. Snowbird
9. (That's What You Get) For Loving Me
10. Put Your Hand In the Hand
11. Little Darlin' (ao vivo, 24/04/77)
12. My Way (ao vivo, 14/01/73)



THE ALTERNATE ALOHA (LP/CD)

5 de maio de 1988

1. Also Sprach Zarathustra/See See Rider (ao vivo, 12/01/73) [LP / CD]
2. Burning Love (ao vivo, 12/01/73) [LP / CD]
4. Something (ao vivo, 12/01/73) [LP / CD]
5. You Gave Me A Mountain (ao vivo, 12/01/73) [LP / CD]
6. Steamroller Blues (ao vivo, 12/01/73) [LP / CD]
7. My Way (ao vivo, 12/01/73) [LP / CD]
8. Love Me (ao vivo, 12/01/73) [LP / CD]
9. It's Over (ao vivo, 12/01/73) [LP / CD]
10. Blue Suede Shoes (ao vivo, 12/01/73) [LP / CD]
12. I'm So Lonesome I Could Cry (ao vivo, 12/01/73) [LP / CD]
13. Hound Dog (ao vivo, 12/01/73) [CD]
14. What Now My Love (ao vivo, 12/01/73) [LP / CD]
15. Fever (ao vivo, 12/01/73) [LP / CD]
16. Welcome to My World (ao vivo, 12/01/73) [LP / CD]
17. Suspicious Minds (ao vivo, 12/01/73) [LP / CD]
18. Introductions (ao vivo, 12/01/73) [LP / CD]
19. I'll Remember You (ao vivo, 12/01/73) [LP / CD]
20. An American Trilogy (ao vivo, 12/01/73) [LP / CD]
21. A Big Hunk O' Love (ao vivo, 12/01/73) [LP / CD]
22. Can't Help Falling In Love/Closing Vamp (ao vivo, 12/01/73) [LP / CD]
23. Blue Hawaii (14/01/73) [LP / CD]
24. KU-U-I-PO (Take 1, 14/01/73) [CD]
25. Hawaiian Wedding Song (14/01/73) [CD]



ALOHA FROM HAWAII VIA SATELLITE (CD)

28 de abril de 1998

1. Introduction: Also Sprach Zarathustra (ao vivo, 14/01/73)
2. See See Rider (ao vivo, 14/01/73)
3. Burning Love (ao vivo, 14/01/73)
4. Something (ao vivo, 14/01/73)
5. You Gave Me A Mountain (ao vivo, 14/01/73)
6. Steamroller Blues (ao vivo, 14/01/73)
7. My Way (ao vivo, 14/01/73)
8. Love Me (ao vivo, 14/01/73)
9. Johnny B. Goode (ao vivo, 14/01/73)
10. It's Over (ao vivo, 14/01/73)
11. Blue Suede Shoes (ao vivo, 14/01/73)
12. I'm So Lonesome I Could Cry (ao vivo, 14/01/73)
13. I Can't Stop Loving You (ao vivo, 14/01/73)
14. Hound Dog (ao vivo, 14/01/73)
15. What Now My Love (ao vivo, 14/01/73)
16. Fever (ao vivo, 14/01/73)
17. Welcome to My World (ao vivo, 14/01/73)
18. Suspicious Minds (ao vivo, 14/01/73)
19. Introductions by Elvis (ao vivo, 14/01/73)
20. I'll Remember You (ao vivo, 14/01/73)
21. Medley: Long Tall Sally / Whole Lot-ta Shakin' Goin' On (ao vivo, 14/01/73)
22. An American Trilogy (ao vivo, 14/01/73)
23. A Big Hunk O' Love (ao vivo, 14/01/73)
24. Can't Help Falling In Love/Closing Vamp (ao vivo, 14/01/73)
25. Blue Hawaii (14/01/73)
26. KU-U-I-PO (14/01/73)
27. No More (14/01/73)
27. Hawaiian Wedding Song (14/01/73)
29. Early Morning Rain (14/01/73)

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

REEDIÇÕES (SONY BMG, 2013)

Título:
Aloha From Hawaii Via Satellite - Legacy Edition
Selo:
RCA / Sony BMG [88765 43389 2]
Formato:
CD duplo
Número de faixas:
48
Duração:
132:00
Tipo de álbum:
Disco comum / Trilha sonora
Vinculado a:
Discografia oficial; Aloha From Hawaii, 1973
Ano:
2012
Gravação:
12 e 14 de janeiro de 1973
Lançamento:
19 de março de 2013
Singles:
---



Aloha From Hawaii Via Satellite - Legacy Edition foi a primeira grande revisão no material do disco original de 1973. A Sony decidiu incluir todos os materiais em um único lançamento com áudio remasterizado. A única pena cometida pela gravadora foi fazer pequenas edições em diversas músicas para encaixá-las em dois discos após remasterizadas. O CD duplo contém as seguintes faixas:

DISCO 1
LP ORIGINAL (ALOHA FROM HAWAII VIA SATELLITE - 14/01/73, 0h30)
1. Introduction: Also Sprach Zarathustra (ao vivo, 14/01/73)
2. See See Rider (ao vivo, 14/01/73)
3. Burning Love (ao vivo, 14/01/73)
4. Something (ao vivo, 14/01/73)
5. You Gave Me A Mountain (ao vivo, 14/01/73)
6. Steamroller Blues (ao vivo, 14/01/73)
7. My Way (ao vivo, 14/01/73)
8. Love Me (ao vivo, 14/01/73)
9. Johnny B. Goode (ao vivo, 14/01/73)
10. It's Over (ao vivo, 14/01/73)
11. Blue Suede Shoes (ao vivo, 14/01/73)
12. I'm So Lonesome I Could Cry (ao vivo, 14/01/73)
13. I Can't Stop Loving You (ao vivo, 14/01/73)
14. Hound Dog (ao vivo, 14/01/73)
15. What Now My Love (ao vivo, 14/01/73)
16. Fever (ao vivo, 14/01/73)
17. Welcome to My World (ao vivo, 14/01/73)
18. Suspicious Minds (ao vivo, 14/01/73)
19. Introductions by Elvis (ao vivo, 14/01/73)
20. I'll Remember You (ao vivo, 14/01/73)
21. Medley: Long Tall Sally / Whole Lot-ta Shakin' Goin' On (ao vivo, 14/01/73)
22. An American Trilogy (ao vivo, 14/01/73)
23. A Big Hunk O' Love (ao vivo, 14/01/73)
24. Can't Help Falling In Love/Closing Vamp (ao vivo, 14/01/73)

DISCO 2
THE ALTERNATE ALOHA (12/01/73, 20h30)
1. Also Sprach Zarathustra/See See Rider (ao vivo, 12/01/73)
2. Burning Love (ao vivo, 12/01/73)
4. Something (ao vivo, 12/01/73)
5. You Gave Me A Mountain (ao vivo, 12/01/73)
6. Steamroller Blues (ao vivo, 12/01/73)
7. My Way (ao vivo, 12/01/73)
8. Love Me (ao vivo, 12/01/73)
9. It's Over (ao vivo, 12/01/73)
10. Blue Suede Shoes (ao vivo, 12/01/73)
12. I'm So Lonesome I Could Cry (ao vivo, 12/01/73)
13. Hound Dog (ao vivo, 12/01/73)
14. What Now My Love (ao vivo, 12/01/73)
15. Fever (ao vivo, 12/01/73)
16. Welcome to My World (ao vivo, 12/01/73)
17. Suspicious Minds (ao vivo, 12/01/73)
18. Introductions (ao vivo, 12/01/73)
19. I'll Remember You (ao vivo, 12/01/73)
20. An American Trilogy (ao vivo, 12/01/73)
21. A Big Hunk O' Love (ao vivo, 12/01/73)
22. Can't Help Falling In Love/Closing Vamp (ao vivo, 12/01/73)
23. Blue Hawaii (14/01/73)
24. KU-U-I-PO (Take 1, 14/01/73)
25. Hawaiian Wedding Song (14/01/73)
______________________________________________________________________________________________________________

Abaixo resenhamos o LP duplo original de 1973 e o CD com o show alternativo.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Título:
Aloha From Hawaii Via Satellite
Selo:
RCA Victor [VPSX 6089]
Formato:
LP duplo
Número de faixas:
24
Duração:
63:00
Tipo de álbum:
Disco comum / Trilha sonora
Vinculado a:
Discografia oficial; Aloha From Hawaii, 1973
Ano:
1973
Gravação:
14 de janeiro de 1973
Lançamento:
4 de fevereiro de 1973
Singles:
"Fool / Steamroller Blues [14/01/73]" (13/03/73)

Aloha from Hawaii via Satellite é o 84º LP de Elvis, seu segundo disco duplo e 191º trabalho audiofônico (incluindo singles e EPs). Ele contém o show completo, com pequenas edições, de 14 janeiro de 1973 em Honolulu, Havaí.


1. Introduction: Also Sprach Zarathustra (14/01/73, 0h30): A conhecida fanfarra anuncia o início do show.

2. See See Rider (14/01/73, 0h30): Diferente da maioria de seus shows, Elvis entra por trás do palco devido à maneira com que ele foi montado no espaço atribuído. A introdução da música é rápida e Elvis já começa a cantar após apenas quatro riffs. A plateia quase não é ouvida após isso, pois houve uma instrução anterior ao show para que nem Elvis nem os fãs fizessem o que costumavam fazer em outras ocasiões. Pode-se se sentir que o cantor está rígido somente por sua voz, mas a rendição ainda assim é excelente.

3. Burning Love (14/01/73, 0h30): "Muito obrigado." Não há muito que Elvis possa dizer nesse ponto, ainda mais com uma transmissão ao vivo em que cada minuto custa caro. O ritmo da música faz com que ele comece a se soltar, mas é somente nos últimos versos que o vemos mexendo um pouco as pernas e a cintura, embora ainda muito rígido.

4. Something (14/01/73, 0h30): "Muito obrigado. Obrigado. Obrigado, senhoras e senhores. Boa noite e... Espero que gostem do show dessa noite, vamos tentar cantar todas as canções que querem ouvir. (uma fã lhe entrega uma lei) Obrigado, querida ,muito obrigado. 'Something'." Elvis soa desanimado, como se estivesse contrariado. E este era o caso, pois a ordem para "se comportar no palco" vinda do Coronel e sua ideia de que o cantor precisava aparentar ser uma pessoa respeitosa e não sensual era um tanto exagerada, apesar de ele estar seguindo em prol dos fãs ali e em todo o mundo. A rendição em si é fantástica e as participações de Kathy Westmoland são divinas, mas esta versão é executada de forma um pouco mais lenta do que de costume.

5. You Gave Me a Mountain (14/01/73, 0h30): "Obrigado. Muito obrigado. Obrigado. Vocês são uma ótima plateia, muito obrigado." É um tanto interessante ver Elvis começar a ganhar vida com esta música. A rendição é menos rígida do que as anteriores e ele até mesmo ensaia comandos vocais para a banda e orquestra. Vocalmente, o cantor faz uma versão sem erros.

6. Steamroller Blues (14/01/73, 0h30): "Obrigado, muito obrigado. Vamos lá! Obrigado." Sem muito tempo para saudações, Elvis inicia sua rendição deste raro blues que havia aparecido antes somente em dois shows. Essa é a praia do Rei do Rock e é visível que ele está se divertindo. A prova disso é que ele até mesmo se abaixa na beira do palco para receber uma lei e beijar uma fã. A versão ficou tão boa que tornou-se o lado A de um single dois meses depois.

7. My Way (14/01/73, 0h30): "Gostaria de cantar uma música que foi originalmente gravada por Frank Sinatra, ela se chama 'My Way'." Sinatra havia feito uma versão magnífica em 1968, mas acabou pedindo a Elvis que a gravasse dois anos depois para aumentar seu alcance. O Rei do Rock colocou sua voz em uma versão de estúdio em 1971, mas, por algum motivo desconhecido, ela só veio a público em 1995 e nem Frank nem a RCA ficaram sabendo qual seria seu resultado à época. A diferença entre Sinatra e Elvis é visível e audível nesta rendição, pois o cantor coloca toda sua alma, voz e poder de interpretação nela.

8. Love Me (14/01/73, 0h30): É chegada a hora dos medleys de sucessos dos anos 1950. O hit de 1956 anima tanto a Elvis quanto à plateia, que pede que ele cante todas suas músicas e recebe uma resposta sarcástica: "Ok, vou cantar. Todas as 429, mas vou." As fãs vão à loucura quando o cantor anda pela rampa em frente ao palco e dá atenção a elas.

9. Johnny B. Goode (14/01/73, 0h30): Elvis nunca gravou a canção, mas ela era uma de suas preferidas de Chuck Berry e fazia parte de seu repertório desde 1969. Aparecer em meio a seu medley de sucessos cinquentistas era uma forma de reconhecer o talento de artistas da mesma safra. O Rei do Rock realmente se supera neste primeiro verdadeiro rock da noite.

10. It's Over (14/01/73, 0h30): Raramente rendida, a música entra aqui como uma amostra de que Elvis podia variar e cantar qualquer estilo sem problema. O final operático realmente prova isso.

11. Blue Suede Shoes (14/01/73, 0h30): O primeiro sucesso de Elvis pela RCA em 1956 é rendido aqui de forma rápida, quase como apenas uma homenagem. O cantor se diverte enquanto interage visualmente com as fãs.

12. I'm So Lonesome I Could Cry (14/01/73, 0h30): "Gostaria de cantar uma canção que é provavelmente a mais triste que já ouvi." Uma das mais raras músicas rendidas por Elvis, esteve apenas em quatro shows, sendo que este era o segundo. A interpretação do cantor é novamente magnífica e passa toda a tristeza do protagonista da história cantada.

13. I Can't Stop Loving You (14/01/73, 0h30): O sucesso de Ray Charles era uma constante nos shows de Elvis desde 1969, embora aqui seja executada um pouco mais lenta do que de costume. O mix privilegia a voz de Kathy Westmoreland, a guitarra de James Burton e o piano de Glen Hardin, dando um approach diferente.

14. Hound Dog (14/01/73, 0h30): Pela primeira vez na noite, Elvis está realmente em contato com os fãs. Ele anda pela beirada do palco, recebe leis, entrega lenços, dá beijos e abraços. A versão da música é curta e sem as repetições que o cantor normalmente fazia, mas ainda assim ótima.

15. What Now My Love (14/01/73, 0h30): Relativamente nova no repertório, novamente visava exibir os dotes vocais de Elvis. A rendição é perfeita e fica até mesmo acima da média das anteriores.

16. Fever (14/01/73, 0h30): Já passada metade da apresentação, chega a vez de Elvis finalmente conseguir mostrar a razão pela qual as mulheres se tornam histéricas em sua presença pela primeira vez na noite. Ele anda, faz movimentos peitorais e pélvicos, caras e bocas enquanto interpreta a música e interage com as fãs que respondem com gritos de felicidade e excitação.

17. Welcome to My World (14/01/73, 0h30): Cantada somente nestes dois shows no Havaí, a música calma dá a oportunidade de Elvis continuar entregando beijos, abraços e lenços enquanto interage com as fãs e recebe leis.

18. Suspicious Minds (14/01/73, 0h30): O maior sucesso de Elvis no final dos anos 1960 é interpretado em uma posição diferente na setlist do que de costume. O cantor demonstra intensidade na apresentação, embora já tivesse confessado não gostar de render a música à época. Talvez em alusão ao momento difícil de seu relacionamento com Priscilla, ele adiciona um comentário sarcástico no fim da parte lenta da música: "Porque, querida / Você sabe que eu nunca menti para você / Não, não muito". Quando faz seu já lendário apoio de pernas mais à frente, a jumpsuit pesada e apertada lhe faz trocar a letra original: "Espera que essa roupa não rasgue / Oh, baby". Entre movimentos pélvicos e interações com fãs, esse é um dos pontos mais altos da noite.

19. Introductions by Elvis (14/01/73, 0h30): É hora de apresentar seus companheiros de banda: JD Sumner, The Stamps Quartet, The Sweet Inspirations, "a garota baixinha com a bela voz alta" Kathy Westmoreland, James Burton, John Wilkinson, Ronnie Tutt, Jerry Scheff, Glen Hardin, Charlie Hodge, Joe Guercio e sua orquestra. Em seguida Elvis explica que aquela é uma transmissão mundial ao vivo e que toda a arrecadação da apresentação seria revertida ao Kui Lee Cancer Fund, afirmando que as doações haviam atingido a meta de US$ 75 mil.

20. I'll Remember You (14/01/73, 0h30): Escrita por Kui Lee, a canção é um dos maiores ícones da música havaiana. Elvis a interpretava esporadicamente desde o início de 1972, mas a versão ouvida aqui tem muito mais sentimento e sentido.

21. Long Tall Sally / Whole Lotta Shakin' Goin' On (14/01/73, 0h30): Embora estivessem presentes nas apresentações desde 1970, foi nesta ocasião que nasceu o medley que naquele mesmo ano seria expandido para comportar trechos de cinco músicas, entre elas "Jailhouse Rock" e "Hound Dog". Além de ser um dos únicos rocks da noite, dá a oportunidade a Elvis de se soltar mais um pouco e de Glen Hardin e James Burton exibirem seu talento.

22. An American Trilogy (14/01/73, 0h30): A trilogia que traz trechos de 3 canções significativas para a história dos EUA é interpretada aqui com uma paixão diferente e muito maior do que qualquer rendição anterior, superando até mesmo o single de 1972. A orquestra brilha no mix e Elvis usa todo o poder da sua voz para criar um momento espetacular que acaba com uma maravilhosa nota alta que deixa o cantor visivelmente feliz por tê-la alcançado e entregado de forma tão especial.

23. A Big Hunk O' Love (14/01/73, 0h30): De volta aos sucessos cinquentistas, desta vez é o hit de 1959 que levanta o público. Novamente uma oportunidade de dobradinha de solos de Hardin e Burton, a música faz Elvis extravasar tudo que havia guardado durante a noite.

24. Can't Help Falling In Love / Closing Vamp (14/01/73, 0h30): "Muito obrigado, senhoras e senhores, você são realmente uma plateia fantástica. Há uma músicas que tocamos em 'Blue Hawaii', que filmamos aqui há uns dez anos, e que eu gostaria de cantar especialmente para vocês." É o fim do show e as fãs estão elétricas, preparadas para tentar se aproximar de Elvis pela última vez. O cantor se defende como pode das que tentam tirar os anéis de seus dedos e joga sua capa e seu cinto para o público no final da rendição.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Título:
The Alternate Aloha
Selo:
RCA Victor [6985 1 R / 6985 2 R]
Formato:
LP duplo / CD
Número de faixas:
24
Duração:
55:00 (LP) / 69:00 (CD)
Tipo de álbum:
Disco comum
Vinculado a:
Discografia oficial; Aloha From Hawaii, 1973
Ano:
1973
Gravação:
12 e 14 de janeiro de 1973
Lançamento:
5 de maio de 1988
Singles:
---

1. Also Sprach Zarathustra (12/01/73, 20h30): A conhecida fanfarra anuncia o início do show.

2. See See Rider (12/01/73, 20h30): Elvis entra por trás do palco. A introdução da música é um pouco mais longa do que a que ouviríamos dois dias depois. A plateia está mais viva do que na transmissão oficial e Elvis está mais solto, proporcionando uma rendição mais condizente com a de costume.

3. Burning Love (12/01/73, 20h30): "Obrigado." A bateria de Ronnie Tutt está muito presente no mix e a batida é sensacional. O ritmo da música faz com que Elvis se solte mais, proporcionando um momento épico em que ele usa seu violão e movimentos de caratê para finalizar a rendição, jogando o instrumento para Charlie logo após. Evidentemente nervoso, o cantor comenta: "Obrigado. Boa noite. Eu esqueci toda a letra, mas..."

4. Something (12/01/73, 20h30): "É ótimo ver vocês aqui. 'Something'." Aparentemente frustrado por ter esquecido a letra da música anterior, que na verdade nem ficara aparente, Elvis se atrapalha e murmura algumas partes enquanto anda de um lado para o outro do palco e cumprimenta fãs. Aparte disso, a rendição é excelente, embora as participações de Kathy Westmoland não tenham tanto destaque quanto teria na apresentação seguinte.

5. You Gave Me a Mountain (12/01/73, 20h30): A maravilhosa execução faz jus à música e aqui Elvis realmente põe toda sua alma, estando menos rígido do que estaria na transmissão ao vivo.

6. Steamroller Blues (12/01/73, 20h30): "Obrigado. Você são uma ótima plateia, obrigado. 'Steamroller'." Quando Elvis anuncia a música, um fã grita "uau!". O blues inicia e o rosto do cantor se ilumina com um sorriso espontâneo. O solo de James Burton é um pouco mais longo e bastante diferente do ouvido no Aloha oficial.

7. My Way (12/01/73, 20h30): O nervosismo de Elvis é palpável e ele erra a entrada na música. Mais para a frente, ele também murmuraria partes esquecidas da letra. Apesar disso, esta rendição é mais fluída do que a do Aloha.

8. Love Me (12/01/73, 20h30): "Gostaria de fazer um medley de algumas das minhas gravações para vocês, só para... Vocês precisam nos dar tempo para fazer o motor funcionar, sabe..." É chegada a hora dos medleys de sucessos dos anos 1950. Elvis usa toda a rampa em frente ao palco pela primeira vez e entra em contato com as fãs para apertar suas mãos e receber leis. A rendição é divertida e as mulheres histéricas fazem o cantor rir.

9. It's Over (12/01/73, 20h30): Embora troque uma parte da letra por outra em um pequeno trecho, Elvis faz uma ótima rendição dessa canção raramente interpretada no palco. O final operático seria ainda mais perfeito no Aloha.

10. Blue Suede Shoes (12/01/73, 20h30): O primeiro sucesso de Elvis pela RCA em 1956 é rendido de forma espetacular.

11. I'm So Lonesome I Could Cry (12/01/73, 20h30): "Gostaria de cantar a canção mais triste que ouvi na minha vida para você. Aguentem um pouco." Elvis erra a letra na primeira linha, mas se recupera e faz uma interpretação cheia de vida e emoção.

12. Hound Dog (12/01/73, 20h30): Totalmente diferente da versão que ouviríamos no Aloha, o mix traz mais bateria e guitarra. É refrescante ouvir e ver a animação de Elvis.

13. What Now My Love (12/01/73, 20h30): Elvis põe sua alma na rendição dessa adição relativamente rara no repertório. O som é mais aberto, dinâmico e imersivo, fazendo com que a voz do cantor se destaque. O mix privilegia a orquestra, dando um approach diferente.

14. Fever (12/01/73, 20h30): Sem as restrições impostas à transmissão ao vivo, Elvis faz uma rendição extremamente sensual. Seus movimentos peitorais e pélvicos são bem mais intensos do que na próxima apresentação e ele realmente se anima com os gritos das fãs. A rendição conta com o verso que foi retirado da letra na versão do Aloha.

15. Welcome to My World (12/01/73, 20h30): "Aqui está uma canção que eu espero que vocês gostem." A música calma dá a oportunidade de Elvis continuar entregando beijos, abraços e lenços enquanto interage com as fãs e recebe leis. Aqui, no entanto, essa participação do público seria bem maior e mais espontânea. O Rei do Rock fica tão imerso no carinho do público que acaba esquecendo partes da letra e cantando estrofes em posições erradas, o que a torna uma versão maravilhosamente divertida.

16. Suspicious Minds (12/01/73, 20h30): A interação com as fãs é magnífica e começamos a ver um certo descontrole por parte de algumas delas, as quais começam a querer arrancar os anéis de Elvis toda vez que ele estende as mãos para elas. Ele é arranhado por uma e ri, sendo segurado por outra em seguida e tendo de usar um pouco de força para se soltar. Os movimentos pélvicos são mais intensos aqui, assim como a reação da plateia.

17. Introductions by Elvis (12/01/73, 20h30): É hora de apresentar seus companheiros de banda: JD Sumner, The Stamps QuartetThe Sweet Inspirations, "a garota baixinha com voz alta" Kathy Westmoreland, James Burton, John Wilkinson, Ronnie Tutt, Jerry Scheff, Glen Hardin, Charlie Hodge, Joe Guercio e sua orquestra. Em seguida Elvis explica que toda a arrecadação da apresentação seria revertida ao Kui Lee Cancer Fund, afirmando que as doações haviam atingido a meta de US$ 75 mil.

18. I'll Remember You (12/01/73, 20h30): O ícone máximo da música havaiana é rendido com muito sentimento, assim como seria no Aloha.

19. An American Trilogy (12/01/73, 20h30): A orquestra não é muito valorizada aqui, mas ainda assim provoca arrepios quando ouvimos o solo de flauta. A voz de Elvis está impecável.

20. A Big Hunk O' Love (12/01/73, 20h30): O hit de 1959 é rendido de forma espontânea e com mais vibração do que no próximo show.

21. Can't Help Falling In Love: "Obrigado, muito obrigado. Senhoras e senhores, vocês sabem que estamos fazendo um programa de TV ao vivo e vocês são realmente uma plateia fantástica. Amanhã à noite nós nos apresentaremos para a TV mundial e eu vou precisar de toda a ajuda que puder ter, então... Há uma canção que cantei em 'Blue Hawaii', senhoras e senhores, e eu gostaria de dedicá-la a vocês."Elvis dá muito mais atenção e beijos para as fãs aqui com a liberdade que não teria no dia 14. Sem jogar a capa ou o cinto para a plateia, ele se despede se ajoelhando e mostrando a águia americana antes de sumir na escuridão atrás do palco.

22. Closing Vamp (12/01/73, 20h30): A fanfarra final se estende por dois minutos até que o famoso anúncio seja feito: "Senhoras e senhores, Elvis já deixou o recinto."

23 a 27. Blue Hawaii / KU-U-I-PO / No More / Hawaiian Wedding Song / Early Morning Rain (14/01/73, 2h15 - Masters): Menos de uma hora depois do fim da transmissão do Aloha From Hawaii, Elvis está de volta ao palco do HIC para gravar algumas faixas acústicas que seriam usadas na edição que apresentada na TV americana em 4 de abril de 1973. Elas serviriam de ligação entre intervalos e traria Elvis cantando em uma tela dividida com imagens de clipes com temas havaianos.

______________________________________________________________________________________________________________

VÍDEOS


Elvis chega ao Havaí (09/01/73)



The Alternate Aloha (show de ensaio e backup em 12/01/73, 20h30)



Aloha From Hawaii (show oficial em 14/01/73, 0h30)
*vídeo com três ângulos: transmissão ao vivo de TV japonesa + transmissão ao vivo de TV americana + edição vista nos EUA em 04/04/73; algumas canções podem estar mudas por questões de direitos autorais


_________________________________________________________________________________________________________________

Texto original: Elvis Presley Index
Fotos: Google
Pesquisa: Elvis Presley Index | http://www.elvispresleyindex.com.br
>> a re-disponibilização desta postagem só é permitida se mantidos os créditos e sem edições.<<
_________________________________________________________________________________________________________________

LEITURA COMPLEMENTAR:

- Elvis no Havaí - Parte 1: 10 e 11 de Novembro de 1957 (clique aqui)
- Elvis no Havaí - Parte 2: 25 de março de 1961 (Such a Night In Pearl Harbor [CD - MRS, 2012]) (clique aqui)
- Elvis no Havaí - Parte 3: 17 e 18 de Novembro de 1972 (Aloha From Hawaii Original) (clique aqui)
Elvis no Havaí - Parte 5: Visitando as Ilhas (clique aqui)

Postagens populares