QUARENTENA NO ELVIS PRESLEY INDEX

O Elvis Presley Index está com atividade reduzida por tempo indeterminado em função da pandemia de Coronavírus.


Apesar de o Elvis Presley Index não ser afetado ou ter a obrigação de fechar ou diminuir seu funcionamento, a parada dos trabalhos será adotada por necessidade de auxílio a familiares nesse momento complicado e a falta de tempo que se instalará com isso.


Postagens esporádicas aparecerão durante a duração da quarentena, por isso é importante que nossos amigos retornem periodicamente ao site para não perder nenhum conteúdo.

I'VE GOT TO FIND MY BABY!

quarta-feira, 21 de outubro de 2020

Stax Studio, 1973: A Última Grande Sessão de Gravação


No início de 1973, a carreira de Elvis estava no seu pico: Ele havia retornado aos palcos com sucesso há 4 anos, seus shows ainda vendiam muito bem e seus discos tinham grande apreciação, embora começassem a se resumir a coletâneas de gravações antigas ou restos de sessões de estúdio que antes não tinham apelo suficiente para serem vendidas. O "Aloha from Hawaii" fora mais um grande hit, mas quando o LP com a apresentação foi lançado em 4 de fevereiro de 1973, o Rei do Rock não havia entrado em estúdio por praticamente um ano e isso preocupava Parker e a RCA.

Pelo meio do ano via-se que a carreira de Elvis entrava em uma encruzilhada profissional e pessoal. Sem consultar seu protegido, o Coronel venderia todo o catálogo de 1954-72 para a RCA por uma enorme quantia, garantindo sua liberdade financeira, embora o cantor viesse a ficar furioso com seu agente ao descobrir a manobra por suas costas.

Depois de anos com a editora Hill & Range, Parker e Presley também criaram sua própria empresa, a Whitehaven Music, que trouxe um período de grandes oportunidades, mas também foi uma época ruim na vida do astro. Elvis estava se divorciando de sua esposa, Priscilla, e seu humor havia mudado para um estado sombrio. Ele não tinha vontade de socializar e se entregar às gravações, mas ter a RCA batendo em sua porta a todo instante e o pressionando a entregar novos materiais era ainda mais incômodo. Como Elvis não queria deixar a cidade e sua filha, Lisa Marie, para gravar, um antigo aliado foi convocado. Marty Lacker, que unira Presley a Chips Moman no American Sound Studio em 1969, foi escalado para ir a Graceland.

Elvis e Parker com o macaco de pelúcia
que se tornaria uma atração aparte nos shows
de agosto/setembro de 1973 em Las Vegas


Quando Elvis o viu, a primeira coisa que disse foi que precisava conseguir um estúdio em Memphis. Lacker pensou imediatamente no Stax Studio. Na época, o Soul estava explodindo e Stax havia entrado em sua segunda idade de ouro. Elvis acompanhara o progresso do estúdio ao longo dos anos e adorava os discos que saíam de lá. Parte do motivo pelo qual Lacker sugeriu a Stax foi logístico: Ele tinha uma configuração de segurança adequada e guardas em seu portão, porque as sessões de Elvis tinham que ser fechadas, e a localização estava a poucos minutos de Graceland, uma atração extra para que o cantor realmente não tivesse que ir muito longe para trabalhar.

Em 1973, o Stax havia parado de alugar o estúdio para artistas externos, mas a oportunidade de hospedar Elvis era especial demais para deixar passar. O superstar residente da gravadora, Isaac Hayes, até desistiu de um tempo que já havia reservado para deixar Elvis gravar. Dada a proximidade de sua casa, e o status incandescente do Stax, as gravações começavam a parecer um casamento feito no paraíso, uma oportunidade para Elvis mais uma vez ser contemplado trabalhando em sua cidade natal.

Mas o primeiro conjunto de sessões - realizadas nas madrugadas de 20 a 26 de julho - foi tudo menos mágico. O comportamento de Elvis e seu desempenho sempre foram baseados no humor em que ele se encontrava, e o cantor ainda estava profundamente abalado com o colapso de seu casamento. Além de uma mistura de membros da banda de turnê de Elvis e alguns ex-funcionários do American Sound, vários músicos da Stax foram convocados para tocar com Presley, mas apesar de o cantor ter fundado a sua própria editora, o material escolhido para as sessões ainda era precário. Números sentimentais e melancólicos como "Three Corn Patches" fizeram pouco para inspirar as performances de Elvis. Mesmo as canções mais potentes provaram ser muito carregadas para Elvis lidar na época.

No dia 20, Elvis chegou três horas atrasado e, após revirar o catálogo de músicas disponíveis algumas vezes, acabou por não fazer gravações. O dia 21 viu alguma melhora. Elvis terminou 9 takes de "If You Don't Come Back", 15 de "Three Corn Patches" e outros 6 de "Take Good Care of Her", além de fazer um ensaio de "It's Diff'rent Now". Na noite seguinte, 9 takes de "Find Out What's Happening", 15 de "I've Got a Thing About You Baby" e dois de "Just a Little Bit" foram produzidos. O dia 23 viu dez takes de "Raised On Rock" serem chamados, mas apenas o último ser gravado, e a rendição mais intimista e realmente trabalhada com carinho por Elvis em todos os dias dessa sessão em 8 takes de "For Ol' Times Sake". "Girl of Mine" teria 11 takes gravados no dia 24 e seria a última em que Elvis poria sua voz naquela sessão. Curiosamente, os Masters dessas músicas foram todos obtidos no último take.

Naquela noite do dia 24 para 25, as coisas tomariam um rumo inesperado. Após notar que seu microfone pessoal havia sido roubado, Elvis teve um ataque de fúria e despejou sua raiva sobre todos que viu pela frente. Saindo de forma intempestiva, ele deixou Memphis para se isolar em sua casa em Malibu. A banda teve de ficar sozinha e trabalhar em algumas trilhas naquela e na noite seguinte, na esperança de que Elvis viesse a colocar sua voz nelas em algum momento. Como conta a história, o cantor apenas terminaria "Sweet Angeline", mas nunca tocaria nas trilhas de "Good, Bad But Beautiful", "The Wonders You Perform" e "Color My Rainbow".

Isolar-se em Malibu tinha sido a saída de Elvis para que não fosse perturbado, mas a RCA estava disposta a conseguir um número de gravações mínimo para a produção de ao menos um disco com 10 a 12 faixas. Após ouvir que o cantor não planejava voltar ao estúdio, a gravadora foi mais esperta e enviou a banda e os equipamentos de gravação para sua casa em Malibu, obrigando-o a trabalhar em algumas faixas. Elvis se limitou a colocar sua voz em "Sweet Angeline" e gravar "I Miss You" e "Are You Sincere", fechando 12 músicas. Dez delas foram imediatamente lançadas no disco "Raised On Rock".

Elvis e sua prima Bobbi Wren no Stax Studio em julho de 1973


Se as sessões de julho foram uma decepção, foi um cenário totalmente diferente quando Elvis voltou ao estúdio cinco meses depois para outra semana de gravação, entre 10 e 17 de dezembro de 1973. O divórcio com Priscilla fora finalizado em outubro, Elvis havia encontrado uma nova namorada na ex-Rainha da Beleza do Tennessee, Linda Thompson, e se recuperado fisicamente depois de uma longa estada no Baptist Memorial Hospital naquele outono devido a uma overdose e pneumonia. Aparentemente, ele sobrevivera ao trauma do divórcio, conseguira manter um relacionamento de amizade com Priscilla e tudo já estava no passado.

Uma nova mistura de músicos saudou Presley para o segundo conjunto de sessões, incluindo alguns veteranos como o baixista Norbert Putnam. Putnam, que havia trabalhado com Elvis em 1970, percebeu imediatamente que o cantor havia saído do outro lado de um momento difícil. "Ele tinha acabado de passar por um divórcio horrível, ganhara um pouco de peso e não estava se movendo tão rápido. Mas assim que entramos lá, ele rapidamente voltou à vida", lembrou o músico em entrevista. A atmosfera de convívio que sempre marcou as melhores sessões de Presley estava de volta. O cantor entrava e contava histórias, fazia palhaçadas até que todos ficassem totalmente relaxados e prontos para trabalhar. As sessões começavam por volta das 22h e encerravam às 3h ou 4h com meia dúzia de faixas prontas, incluindo os vocais.

O material para as sessões de dezembro era muito melhor quando comparado ao de julho, com novas canções de alguns dos escritores favoritos de Elvis sendo gravadas junto com covers de materiais familiares de Chuck Berry e Waylon Jennings. Mesmo uma peça leve como "Mr. Songman" - a história de um artista desgastado pela estrada - foi transformada em uma trama comovente e profundamente sentida por um Presley recarregado.

Elvis no Stax Studio em dezembro de 1973


No dia 10 de dezembro as faixas "I've Got a Feelin' in My Body" e "It's Midnight" foram trabalhadas com esmero, com destaque para os 19 takes da última. O fato de a letra dela ser um tanto próxima da situação de vida atual do cantor pode ter tido um grande impacto em sua excelente rendição cheia de sentimento. Na noite seguinte foi a vez de "You Asked Me to" e "If You Talk in Your Sleep", a qual Elvis teve prazer especial em gravar por ser uma música com letra maliciosa e aproximada do que ele vivia naquele momento em relação a aventuras amorosas. O dia 12 foi o mais produtivo, com o cantor entregando "Mr. Songman", "Thinking About You", "Love Song of the Year" e "Help Me", esta última obtida em um único e incrível take no fim da noite.

Canções sentimentais haviam se tornado a especialidade de Elvis naquela sessão e a noite do dia 13 provaria isso. "My Boy" e "Loving Arms" foram terminadas com perfeição em apenas 3 takes cada e "Good Time Charlie's Got the Blues" fechou o dia com chave de ouro em 9 takes, dos quais apenas 3 foram necessários para obter o Master. Na noite seguinte, Elvis gravaria "Talk About the Good Times" e adoraria a sugestão de Marty Lacker, uma linda balada chamada "We Had It All" cuja letra trazia basicamente um homem cantando para sua ex-mulher. Ele fez arranjos e ensaiou algumas vezes, mas chegou à conclusão de que não poderia gravá-la, justificando: "Não quero que os fãs pensem que estou cantando sobre Priscilla."

Na madrugada de 15 para 16 de dezembro de 1973, a animada sessão produziu um excelente cover de "Promised Land" de Chuck Berry, à qual Elvis adicionou overdubs na mesma noite, "Your Love's Been a Long Time Coming" e "There's a Honky Tonk Angel (Who Will Take Me Back In)". A madrugada seguinte seria a última de gravações no Stax e Elvis estava inspirado. O clássico Gospel "If  That Isn't Love" iniciou a sessão elevou o espírito do cantor e o impulsionou a dar o seu melhor em "Spanish Eyes" e "She Wears My Ring". Ao fim daquela semana, Elvis havia obtido 18 Master que definiriam sua carreira nos próximos dois anos.

Os resultados das sessões no Stax seriam coletados de maneira um tanto aleatória. As faixas foram divididas e lançadas em dois LPs separados: "Good Times" em 1974 e "Promised Land" em 1975. Embora o material fosse render a Elvis três músicas no Top 20, as gravações ficaram perdidas em um dilúvio de produtos que incluiu mais um álbum ao vivo, "Elvis Recorded Live On Stage in Memphis", e o esforço mal concebido de um disco apenas falado, "Having Fun On Stage with Elvis". Ainda assim, muitas das performances das sessões no Stax se destacariam entre as mais vitais de sua carreira. Em 2013 os Masters do estúdio foram remasterizados e lançados no CD triplo "Elvis at Stax", que também trouxe alguns takes alternativos.

As sessões no Stax não seriam as últimas gravações que Elvis faria em Memphis (ele utilizaria a Jungle Room de Graceland para produzir suas últimas faixas de estúdio em fevereiro e outubro de 1976) nem em sua carreira (antes de Graceland ele ainda gravaria em Hollywood em março de 1975), mas as faixas obtidas ali forneceriam o último grande vislumbre dos poderes vocais e musicais do Rei do Rock antes do lento retiro de seus últimos anos.


VÍDEOS: CD TRIPLO "ELVIS AT STAX" COMPLETO

Postagens populares