Elvis Presley Index: Let Yourself Go! - The Making of "Elvis" - The '68 Comeback Special (CD - FTD, 2006)

TRANSLATE THIS SITE / TRADUCIR ESTE SÍTIO

quinta-feira, 28 de abril de 2022

Let Yourself Go! - The Making of "Elvis" - The '68 Comeback Special (CD - FTD, 2006)

Título:
Let Yourself Go! - The Making of "Elvis" - '68 Comeback Special
Selo:
FTD [FTD 057] [88697 02026 2]
Formato:
CD
Número de faixas:
25
Duração:
71:30
Vinculado a:
Discografia FTD; '68 Comeback Special, 1968
Ano: 
2006
Gravação: 
20 a 24 de junho de 1968
Lançamento: 
Outubro de 2006
Singles:
---


Let Yourself Go! - The Making of "Elvis" - The '68 Comeback Special foi o 57º CD da FTD. Ele contém faixas gravadas no Western Records Studio 1 em Hollywood entre 21 e 23 de junho de 1968, além do ensaio completo no camarim do NBC Studio 4 no dia 24 do mesmo mês e ano. O trabalho encontra-se atualmente fora de catálogo.

Elvis (NBC-TV Special) foi o 29º álbum de trilha sonora de Elvis, seu 59º LP e 154º trabalho (incluindo EPs singles). Ele continha parte das canções que seriam vistas e ouvidas no especial "Elvis" da NBC-TV, que iria ao ar em 3 de dezembro de 1968 e redefiniria sua carreira ao demonstrar que Elvis estava apto e querendo retornar aos palcos depois de 12 anos no cinema. Ao contrário do trabalho penoso das gravações de trilhas de filmes, este mostrava um Elvis genuinamente animado com o projeto.

O álbum consistia de uma mistura de gravações em estúdio e ao vivo, sendo o material ao vivo uma mistura de faixas "sit-down", com um grupo pequeno de seus amigos e músicos, e faixas "stand-up" com uma orquestra. Para o LP, o formato musical apresentava Presley em três configurações diferentes: números com medleys de seu repertório; uma pequena banda informal apresentando músicas completas na frente de uma plateia ao vivo; e dois números originais apoiados por uma orquestra em frente a uma plateia ao vivo.

Sem muita pretensão, FTD pôs no mercado, em 1999, como seu primeiro trabalho o CD "Burbank '68", que trazia o ensaio completo de 25 de junho de 1968, a maior parte das faixas gravadas nos shows das 18h e 20h de 29 de junho e alguns extras. A ideia foi boa e deu notoriedade à gravadora, que disponibilizava 17 das 23 canções ouvidas no CD de forma inédita e com som cristalino.

Após 7 anos, a FTD retornaria a trabalhar com material do '68 Comeback Special, desta vez focando nas faixas de estúdio para os clipes longos da abertura com "Trouble / Guitar Man", o medley Gospel e o medley final, além das poderosas "If I Can Dream" e "Memories". Para agir como um adendo a "Burbank '68", a gravadora disponibiliza aqui, também de forma oficialmente inédita, o ensaio de 24 de junho de 1968 no camarim de Elvis na NBC-TV.

Abaixo segue resenha do trabalho.
-----------------------------------------------------------------------------------------------

OUTTAKES

- 1. Trouble / Guitar Man (Takes 6, 7): Ao longo deste CD você pode ouvir a raiva e a paixão de Elvis. Seu grunhido aqui no take 6 é o som dele chutando a porta de sua cela da prisão dos contratos de filmes roteiros e terríveis. Há alguma hilaridade real quando um membro da banda imita o som de um cachorro e Elvis ri: "Tire esse maldito cachorro do estúdio!" O take 7 é ainda mais agradável porque o cantor sabe que é apenas um ensaio. O timing da banda está errado, mas ele continua. O Master só viria muito mais tarde, em um splice das tomadas 21 e 32.

- 2. Nothingville (Takes 5, 6): Segue-se uma suave balada, com Elvis errando a letra no primeiro take e dizendo: "Maldição! Segura!" A tomada 2 é completa.

- 3. Let Yourself Go (Part 1, Takes 5, 6; Part 2, Take 2; Part 3, Take 6): Kevan Budd trabalhou nas fitas de estúdio e isso demonstra o verdadeiro poder de Elvis com sua voz conduzindo a banda. Ele explode um verdadeiro poder vindo da alma nesta trilha sonora dos anos 1960 e mostra o que pode alcançar se acredita no que está fazendo. A edição em "A Legendary Performer, Volume 3" sempre foi a favorita, mas aqui temos as interrupções para as diferentes inserções musicais. Isso realmente mostra como a sequência final foi montada - o "making of" ao qual o título do CD se refere. Elvis cantando carrega uma interpretação sensual inacreditável aqui que o original nunca teve.

- 4. Guitar Man (Escape Section 1, Fast Tempo, Takes 1, 2, 5): Esta seção um tanto descartável nos apresenta mais ensaios, pois Elvis imediatamente percebe que a banda está tocando rápido demais. Ele canta alegremente, mas ri enquanto explica: "Espere um minuto, eles estão muito rápidos, cara." O prazer aqui é que o cantor continua a capella depois que a banda para, batendo palmas para demonstrar o ritmo que ele quer. Com muita diversão e risadas, ele fica surpreso quando o engenheiro Bones Howe, brincando, anuncia: "Essa é uma tomada."

- 5. Guitar Man (After Karate Section 2, Take 1): Este primeiro take funciona mais como um ensaio, mas Elvis acerta o ritmo em quase toda a sequência. Incrivelmente, este pequeno trecho teria 10 tomadas até o Master.

- 6. Little Egypt (After Karate Section 2, Take 8): Um pequeno insight dos anos de Elvis no cinema se segue com uma das músicas mais lembradas de "Roustabout". Mais uma vez, a mixagem é majestosa em comparação com a abafada de "Memories" ou a versão original. O vocal de Elvis está a todo vapor e ele brinca no final, ao som do gongo: "Esta é uma produção de Arthur Rank" (se referindo à produtora de filmes Rank, que trazia um gongo em seu logo audiovisual).ao som do enorme gongo. É outra música leve de filme dos anos sessenta que Elvis consegue reinventar. Este foi o último take completo antes do Master (Take 10).

- 7. Trouble / Guitar Man (After Karate Section 3, Take 2): Não fosse pelo "oh, shit!" no final, este certamente poderia ser o Master.

- 8. Big Boss Man (Escape Section 3, Take 2): O próximo take seria o Master. Aqui Elvis apenas faz um ensaio geral e lança algumas frases de músicas de sua preferência no final - com destaque ao trocadilho "você está com tesão esta noite?" (Are You Lonesome Tonight).

- 9. It Hurts Me (Part 1, Take 5; Part 2, Take 3): Esta é outra versão fabulosa e rica que mostra a profundidade do vocal de Elvis, e ele escolhe uma música que falhou nas vendas em 1964, alcançando apenas a  29ª posição nos gráficos, para provar que todos estavam errados. Este take, embora longe de ser um Master, é, afinal, uma ótima adição.

- 10. Guitar Man (Escape Section 1, Remake, Take 6): Este pequeno trecho não tem novidades, Elvis faz uma versão bem próxima à do Master (Take 7).

- 11. Sometimes I Feel Like a Motherless Child / Where Could I Go But to the Lord (Gospel Section 1, Rehearsal + Take 1): Elvis e os músicos fazem um ensaio da primeira seção do medley Gospel, com Darlene Love cantando a primeira parte. A improvisação comovente de Elvis define a cena. O primeiro take se inicia e parece bom, mas o que evidencia o motivo pelo qual este não poderia ser um Master é que os metais desafinam em alguns pontos e o cantor está reticente com a letra. Ele erra sua entrada em um ponto, mas tanto ele quanto a banda continuam até o fim.

- 12. Up Above My Head / I Found That Light (Gospel Section 2, Take 7): Elvis está novamente reticente com a letra, mas esta tentativa nos ajuda a entender como o medley foi criado.

- 13. Saved (Gospel Section 3, Take 4): Esta versão posterior ao fabuloso take 1 em "Easter Special" é ainda mais poderosa. A banda e Elvis perdem o ritmo no meio da música e o cantor parece sem fôlego ao fazer vários improvisos. Ele entrar na seção blues do final, mas a banda não segue.

- 14. If I Can Dream (Takes 3, 4): Na sessão do dia 23 de junho de 1968, Elvis pôs seus vocais em uma das músicas mais poderosas de sua carreira. O take 3 desmorona logo no início por problemas técnicos, mas seu arranjo ´[e tão gostoso que nos faz querer ouvir mais. A quarta tomada é completa, com Elvis chegando perto do que seria o Master (Take 5). A guitarra aqui é muito mais responsiva e deliciosa.

- 15. Memories (Take 1 -  Alternate Vocal Overdub): Com apenas dois takes gravados em 24 de junho de 1968, sendo o segundo o que gerou o Master, esta versão é uma verdadeira joia. O vocal rico e delicioso tem um final diferente com Elvis cantando baixinho.

ENSAIO DE 24 DE JUNHO DE 1968

- 16. I Got a Woman: Este ensaio no camarim da NBC em 24 de junho foi gravado por Joe Esposito no próprio gravador de Elvis, assim como o do dia anterior, lançado em "Burbank '68". E talvez Joe tenha trabalhado para melhorar a gravação no segundo dia, porque o som aqui não é tão bom. Esta música já havia sido lançada no box "Platinum -  A Life in Music", mas Kevan Budd fez sua mágica e melhorou em muito o áudio aqui.

- 17. Blue Moon / Young Love / Oh, Happy Day: Esta sessão parece um pouco mais desestruturada do que a do dia seguinte, o que não é à toa, já que a gravação da sessão de jam no estúdio foi apenas 2 dias depois. Elvis e seus amigos mais conversam e riem do que cantam aqui, mas há um destaque em ouvir o cantor discutindo as melodias semelhantes de "Blue Moon", "Young Love" e "Oh Happy Day" com seus colegas. Ele afirma no final: "Eu te digo, há 500 músicas com o mesmo acorde."

- 18. When it Rains, it Really PoursEssas jams de ensaio com Scotty Moore, DJ Fontana e amigos foram organizadas para ajudar Elvis a relaxar na configuração que o diretor Steve Binder imaginou. Ouvir as discussões e as músicas estranhas que Elvis escolhe faz você desejar muito que Binder tivesse colocado uma câmera no camarim, como ele havia considerado uma vez. Elvis escolhe esta música como sua favorita, mas reconhece: "Maldição, ela é muito alta!" Às vezes, a conversa de fundo sobrecarrega a música irritantemente, mas cada momento ainda merece este lançamento oficial.

- 19. Blue Christmas / Baby, What's WrongApós breve conversa sobre como a música deveria ser interpretada dentro da apresentação, Elvis inicia uma versão fascinante de seu clássico de 1957. Aqui, a guitarra acompanhada pelo violão soa até melodicamente melhor do que na versão de dois dias depois, somente com a guitarra. No fim, ele faz uma versão instrumental de "Baby, What's Wrong".

- 20. Are You Lonesome Tonight / That's My Desire: Elvis tenta fazer uma versão série de início, ao que parece, mas a conversa e as risadas de seus companheiros logo o fazem começar a fazer trocadilhos com a letra. Curiosamente, aqui ele tenta a frase "você olha para sua cabeça careca e deseja ter cabelo" que o faria desmoronar no palco no memorável show de 26 de agosto de 1969 MS. Uma breve menção a "That's My Desire" ocorre no final.

- 21. That's When Your Heartaches Begin: Charlie pergunta a Elvis: "'That's When Your Heartaches Begin', você lembra?" O cantor imediatamente começa a interpretá-la. É uma versão muito rápida, de meros segundos, mas magnífica.

- 22. Peter Gunn ThemeO tema do seriado "Peter Gunn" (1958-1961) é interpretado de forma sucinta. Elvis apenas ensaia acordes na maior parte da faixa.

- 23. Love MeOuvir o prazer de Elvis em cantar esta música nos faz perceber como foi estranho que ela nunca tenha entrado no LP do especial.

- 24. When My Blue Moon Turns to Gold AgainTambém é ótimo conseguir uma jam completa de 2 minutos desta música e com um final sublime. A versão do dia seguinte, embora melhor gravada, não tem a mesma emoção.

- 25. Blue Christmas / Santa Claus is Back in Town: Já no final do ensaio, Elvis canta novamente seu clássico natalino. No fim ele rende algumas linhas de outra faixa de seu álbum de 1957, mais como uma brincadeira do que qualquer coisa.
-----------------------------------------------------------------------------------------------

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário!

LEMBRE-SE: Não postaremos mensagens com qualquer tipo de ofensa e/ou palavrão.