Elvis Presley Index: High Sierra (CD - FTD, 2010)

TRANSLATE THIS SITE / TRADUCIR ESTE SÍTIO

quinta-feira, 19 de maio de 2022

High Sierra (CD - FTD, 2010)

Título:
High Sierra
Selo:
FTD [FTD 090] [506020 975012 2]
Formato:
CD
Número de faixas:
28
Duração:
72:00
Tipo de álbum:
Concerto
Vinculado a:
Discografia FTD
Ano:
2010
Gravação:
21 de maio de 1974 DS
Lançamento:
Maio de 2010
Singles:
---


High Sierra foi o nonagésimo CD da FTD. Ele cobre o show das 20h30 de 21 de maio de 1974 em Lake Tahoe, Nevada, e traz bônus da mesma temporada. O trabalho encontra-se atualmente fora de catálogo.


1974 pode ter iniciado de forma lenta nos lançamentos de discos com material novo, mas havia um senso de mudança vindoura no ar. O sucesso da compilação "A Legendary Performer, Volume 1", lançada em 11 de janeiro, era um ótimo sinal disso.

Quando começou a primeira temporada do ano em Las Vegas, no dia 26 daquele mês, Elvis ainda estava abalado com seu divórcio três meses antes e seu temperamento era tão forte quanto o do último show do ano anterior. Durante a temporada, ele modificaria o repertório para músicas mais a seu gosto e tomaria as rédeas das apresentações. "Let Me Be There" ganharia destaque. Sherrrill Nielsen e seu grupo, o Voice, teriam ainda mais espaço com a participação em "Spanish Eyes" e os solos em "Killing Me Softly", "Bringin' it Back", "I Can't Live Without You" e "Aubrey".

Foi em março de 1974 que a melhor temporada de shows de toda a carreira de Elvis ocorreu. Também foi neste momento, depois de morar em Memphis por 26 anos e 13 anos após sua última apresentação ali, que o cantor finalmente conquistou a cidade.

De 1º a 20 de março, o cantor realizou sua maior turnê até então, com 24 shows em 20 dias, e a coisa toda foi um estrondo. Estas foram algumas das melhores apresentações do Rei do Rock desde o retorno aos palcos em 1969. Várias cidades foram muito abençoadas com 2, 3, 4 e até 5 concertos. As multidões eram incríveis e a expectativa os excitava. As arenas estavam com ingressos esgotados em todas as cidades pelo menos um mês antes de Elvis pisar no palco.

De 10 de maio a 2 de julho, as apresentações nas turnês nacionais e na última temporada de sua carreira em Lake Tahoe também foram de alta qualidade. O senso de mudança começou a se tornar mais visível à medida em que Elvis adicionava mais e mais músicas de sua preferência pessoal nos shows, algo que desagradava o Coronel.

Para Parker e a RCA, muitas dessas faixas não eram material para shows e dificilmente venderiam bem se fossem lançadas em discos ao vivo. Entre eles havia o consenso de que o que se ouviria no LP "As Recorded Live On Stage in Memphis", que seria lançado em 7 de julho daquele ano, deveria ser a síntese de Elvis Presley dali para a frente.

Rei do Rock, claro, não concordava com isso. Tanto não concordava que os shows de Tahoe foram repletos de suas preferidas apesar da cara feia de Parker.

Abaixo segue nossa resenha deste CD.
-----------------------------------------------------------------------------------------------

- 1. See See Rider: O show inicia já com a rendição em andamento. Elvis entra na música soando extremamente bem. As fotos do CD realmente mostram uma magia diferente no ar e sua voz é a prova disso.

- 2. I Got a Woman / Amen: "Obrigado." A rotina do "well, well, well...", embora curta, ressoa pelo salão. Elvis está de bom humor e sua rotina do striptease mostra isso. Dois dive bombs de JD levam à finalização fenomenal da música.

- 3. Love Me: "Muito obrigado. Boa noite, senhoras e senhores. Meu nome é Ted Wilson. Espero que vocês gostem do show desta noite. Faremos o melhor para entretê-los, vamos cantar músicas, beber água, andar por aí... Vamos andar nus mais tarde... Todos nós, vocês vão fazer também! Não vou fazer sozinho, estarei preso amanhã!" A versão é muito boa, com toques das do início do ano.

- 4. Trying to Get to You: "Esta próxima música é uma que gravei há uns 15 anos, se chama 'Trying to Get to You'." É muito bom ouvir uma versão desta música onde Elvis realmente dá tudo de si. A rendição não tem o mesmo entusiasmo de março em Memphis, mas é definitivamente boa.

- 5. All Shook Up: Versão padrão, mas interpretada em um tempo mais rápido.

- 6. Love Me Tender: Com um áudio que privilegia o baixo e dá bastante presença à bateria, esta é uma versão sensacional de uma música que andava sem brilho há algum tempo.

- 7. You Don't Have to Say You Love Me: Glen Hardin faz alguns acordes no piano e Elvis brinca: "Vamos! É fácil." Elvis faz uma rendição muito boa, embora mais fraca que as de 1973.

- 8. Hound Dog: Descartável, apesar de soar bem. "Obrigado. Tivemos sorte, não foi? Acabamos todos ao mesmo tempo."

- 9. Fever: Esta é uma boa versão, bem mais séria que de costume. As fãs ficam ensandecidas enquanto ele canta para elas.

- 10. Polk Salad Annie: Uma constante em 1974, esta é uma versão excelente, mas que não chega a se comparar com as de 1970. Elvis está centrado e faz uma rendição fenomenal.

- 11. Why Me Lord: Comum naquele ano, tem a diferença de ser interpretada aqui de forma muito séria. Elvis não brinca ou tenta fazer JD rir, como já era de costume. Tanto sua voz quanto a orquestra soam altas no mix, dando um ar renovado à música.

- 12. Suspicious Minds: A essa altura, Elvis já estava um tanto entediado com esta música - tanto que a abandonaria no ano seguinte. A versão é mediana e o cantor atende fãs durante a rendição.

- 13. Introductions: "Muito obrigado, senhoras e senhores. Gostaria de apresentar os membros do meu grupo a vocês, antes de qualquer outra coisa." Elvis introduz The Sweet Inspirations, JD Sumner e os Stamps, Kathy Westmoreland, James Burton, John Wilkinson, Ronnie Tutt, Duke Bardwell, Glen Hardin, Charlie Hodge, o grupo Voice, Joe Guercio e a orquestra do hotel. Tudo isso em menos de dois minutos, ao invés das longas introduções que se instalariam a partir de 1975.

- 14. I Can't Stop Loving You: Apesar de começar meio desastrosamente, a versão é boa e termina com um incrível falsetto que ecoa pelo salão.

- 15. Help Me: "Esta próxima música é uma nova gravação que saiu essa semana. Espero que gostem, se chama 'Help Me'." Embora não seja uma grande versão, o fato de a orquestra estar bem nítida no mix faz com que ela seja bastante deliciosa de ouvir.

- 16. Bridge Over Troubled Water: Ausente desde setembro de 1973, esta é a primeira vez em que a música é rendida neste ano. Esta versão é interpretada em um ritmo levemente mais rápido do que o normal e traz uma fenomenal finalização.

- 17. Let Me Be There: Elvis interpreta este sucesso de Olivia Newton-John com entusiasmo, até mesmo vociferando algumas notas. A orquestra novamente rouba o show. 

- 18. The First Time Ever I Saw Your Face: "Gostaria de dedicar essa música a Chris." Um tanto rara em 1974, esta música é interpretada de maneira fascinante aqui. A orquestra e os backing vocals soam magníficos, assim como Elvis. No fim, ele constata o que ouvimos durante toda a rendição: "Eu adoro essa música."

- 19. Big Boss Man: Nova no setlist, a música tem um distinto tom de funk providenciado pelo baixo mais proeminente no mix. Ela se tornaria uma peça chave das apresentações de agosto de 1974.

- 20. Can't Help Falling in Love: Como sempre, Elvis atende aos fãs e canta em partes.

- 21. Closing Vamp: A fanfarra avisa do fim do show.

FAIXAS BÔNUS

- 22. Johnny B. Goode (25/05/74 MS): A seção de bônus do CD traz faixas do final da temporada de Lake Tahoe naquele maio de 1974 . Esta é uma versão fraca, mas que tem seu charme.

- 23. Steamroller Blues (19/05/74 DS): Cantada apenas três vezes nesta temporada, traz o baixo de Duke Bardwell brilhando no mix. É uma versão mediana.

- 24. Spanish Eyes (19/05/74 DS): Este é um pedido de alguém, então Elvis avisa a plateia e pede para que entendam. Com apenas duas versões nesta temporada, esta é com certeza uma das melhores de todas as apresentadas. O dueto de Elvis com Sherrill Nielsen é fantástico e o trompete toma conta do solo. 

- 25. How Great Thou Art (19/05/74 DS): Normalmente, "An American Trilogy" seria interpretada na maioria dos shows de final de semana, caso deste, mas Elvis muda o setlist com esta rendição muito parecida com a poderosa versão de 20 de março. 

- 26. It's Now or Never (23/05/74 DS): Ainda sem a introdução com o solo de Sherrill Nielsen em "O Sole Mio", é uma versão calma, lenta e muito bem estruturada.

- 27. I'm Leavin' (26/05/74 MS): Interpretada aqui pela primeira vez em 1974, é uma versão espetacular. A tristeza e a desolação da letra é muito bem representada pela voz de Elvis e seus backing vocals.

- 28. Introducing Billy Eckistine / I Apologise (27/05/74, 3AM): Elvis apresenta o cantor Billy Eckstine. Em um comentário, ele diz que Eckstine foi o inventor das golas altas - muito famosas nos anos 1970 - ainda nos anos 1950. No fim, Elvis canta algumas linhas do maior sucesso do cantor.
-----------------------------------------------------------------------------------------------

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário!

LEMBRE-SE: Não postaremos mensagens com qualquer tipo de ofensa e/ou palavrão.