Elvis Presley Index: Love Letters From Elvis (CD/LP - FTD, 2008/2020)

TRANSLATE THIS SITE / TRADUCIR ESTE SÍTIO

quinta-feira, 17 de março de 2022

Love Letters From Elvis (CD/LP - FTD, 2008/2020)

Título:
Love Letters From Elvis
Selo:
FTD [FTD 072] [88697 29701 2]
Formato:
CD duplo
Número de faixas:
37
Duração:
155:00
Tipo de álbum:
Comum
Vinculado a:
Discografia FTD
Ano:
2008
Gravação:
4 a 9 de junho de 1970
Lançamento:
Agosto de 2008
Singles:
---


Love Letters From Elvis foi o 73º LP de Elvis e 72º CD da FTD. Ele contém faixas gravadas durante a Maratona de Nashville, de 4 a 9 de junho de 1970, e funciona como uma coleção de sobras. O trabalho encontra-se atualmente fora de catálogo.

Enquanto Elvis gravava as faixas para "That's the Way it Is" no RCA Studio B de Nashville, um disco country foi lentamente aparecendo quando ele e seus músicos se divertiam em jam sessions entre o trabalho em uma canção e outra. "Little Cabin On the Hill", uma das preferidas de Elvis, cantada por ele desde criança, foi a responsável por fazer Felton Jarvis crer que um disco inteiramente country renderia bons frutos.

Escolhidas as faixas para "That's the Way it Is" e "Elvis Country", além de seus respectivos singles, a RCA ainda tinha em mãos 11 Masters, incluindo o remake de "Love Letters". Como todas as canções falavam de algum tipo de amor, seja terreno ou divino, Felton Jarvis sentiu que poderia usar a regravação do sucesso de 1966, que àquela altura já tinha ganho o certificado de Ouro, para intitular o um novo LPO carro-chefe do trabalho não era tão bom e bem produzido quanto o original de 1966, e isso já lançava dúvidas sobre a crítica e os fãs. Aos ouvidos, o LP começava como um toque romântico e calmo, o que logo era estranhamente quebrado por um rock bastante pesado para o tipo de álbum que fora capturado durante uma jam session e que trazia partes de um R&B de 1955 intitulado "Hands Off" (erroneamente identificado pela RCA como "Keep Your Hands Off of it" em lançamentos posteriores).

Os singles do trabalho não tiveram tão bons resultados nas paradas como os anteriores; "Only Believe / Life" alcançou apenas o 53º lugar, enquanto "I'm Leavin' / Heart of Rome" conseguiu um tímido 23º nos gráficos Country. Lançado em 23 de junho de 1971, enquanto Elvis gravava material para discos que só seriam lançados no ano seguinte e saía para suas férias anuais, o LP falhou em ficar entre os 20 primeiros da Billboard, mas teve uma boa 12ª posição nos gráficos Country e chegou ao 7º lugar no Reino Unido

O álbum foi retrabalhado pela FTD em 2008, que o disponibilizou em CD duplo. Mantendo-se dentro da promessa de trazer materiais inéditos remasterizados, a gravadora cria sua própria versão do álbum clássico de 1971. Além de deixar o som do LP original extremamente cristalino, ela fez questão de trazer takes que até bem pouco tempo eram considerados raridades ou existentes apenas em bootlegsNa sequência, os outtakes das famosas sessões que compõem a Maratona de Nashville são priorizados. Encerrando o trabalho, a FTD disponibiliza um livreto de 15 páginas com fotos e fatos das sessões e disco.

Abaixo segue resenha do trabalho.
________________________________________________________________________________________________________________

CD 1 - O ÁLBUM ORIGINAL

- 1-11. LP original: Masters como lançados em 1971.

- 12. The Sound of Your Cry: Master lançado como single em 1971.

- 13. Sylvia: Master lançado em "Elvis Now" (1972).

- 14. Rags to Riches (Takes 3, 4 - Spliced Alternate Master): Master alternativo completo com overdubs e um pequeno splice com o take 4. Nunca usado.

- 15. Something (11/08/70 MS): Master para "That's the Way it is". Nunca usado.

PRIMEIROS TAKES

- 16. The Sound of Your Cry (Takes 1, 2, 3): Elvis estava no topo de suas habilidades vocais durante esta sessão. Ele magnificamente trabalha o primeiro take, que acaba sendo descartado após dois false starts. Mais um início falso leva ao take 3, com mais de cinco minutos de duração. A tomada só não é perfeita porque o cantor se entrega tanto à música que acaba gritando de excitação no final.

- 17. Cindy, Cindy (Take 1): Similarmente, Elvis se entrega a este primeiro take e ri em algumas partes quando percebe sua empolgação. No fim, após quase 4 minutos, ele brinca: "Faça um fade nesse filho da mãe!"

- 18. I'll Never Know (Take 1): "Só precisamos encontrar uma entrada, só isso." Após o ensaio, Elvis e a banda procuram o melhor jeito de iniciar a música. A harmonização que o cantor faz com o violão é fantástica, apesar de curta. O take decorre quase perfeitamente, mas não se contentaria com apenas uma tentativa.

- 19. It Ain't No Big Thing (But it's Growing) (Takes 1, 2): Após a banda entrar errado, Elvis brinca: "Não, é exatamente assim que eu quero a entrada. Ninguém sabe que merda está acontecendo." Erros aparte, o take 2 é quase perfeito.

- 20. Life (Takes 1, 2): A entrada do take 1 é parecida com a do magnífico take 10, com Elvis entrando um pouco mais à frente do que o normal, motivo que faz a tomada ser parada. A segunda tentativa decorre normalmente, com um feel que continuaria a ser a meta até o décimo take.

- 21. Heart of Rome (Take 1): Essa tomada prova que Elvis podia fazer mágica desde o primeiro instante. Não fossem alguns erros no momento do solo, este bem poderia ser o Master.

- 22. If I Were You (Take 1): Ao que parece, Elvis e Felton estavam tentando fazer uma versão curta, pois a transição que ouvimos entre a música e a finalização é quase perfeita.

- 23. Rags to Riches (Rehearsal +Take 2): Começamos ouvindo Elvis gritando no estúdio e se divertindo durante o ensaio. O take 1 é interrompido quando ele pronuncia um palavrão e depois erra a nota na sequência. Depois de alguma conversa de estúdio sobre vitaminas e jamaicanos, a segunda tomada decorre normalmente, mas ainda não é a que Elvis procurava: "Muito lento, amigos. Só um pouquinho lento demais."

CD 2 - SESSÕES DE GRAVAÇÃO

BÔNUS

- 1. Radio Commercial: Comercial de rádio anunciando a chegada do LP "Love Letters From Elvis" às lojas em 1971.

OUTTAKES

- 2. The Sound of Your Cry (Takes 4, 5, 6): Continuando as gravações, Elvis ensaia o início da música. Os takes 4 e 5 duram apenas alguns segundos. Na sexta tentativa tudo corre como esperado, mas ainda há algo faltando. Seja o que for, este algo só apareceria em algum ponto dos próximos 4 takes, perdidos até hoje, levando ao Master no 11º.

- 3. Cindy, Cindy (Takes 2, 3 - Undubbed Master): O take 2 tem um bom início, mas Elvis e a banda se perdem. A terceira tomada é o Master sem overdubs e sem cortes.

- 4. Got My Mojo Working / Keep Your Hands Off of it (Take 1 - Undubbed Master): Sem nenhum take extra, a FTD dispõe aqui o Master completo, sem edições e sem overdubs. No final, Elvis comenta: "Nós crescemos ouvindo essa merdas medíocres, cara!"

- 5. I'll Never Know (Takes 2, 3): Sem perceber, Elvis perde um take por ficar ouvindo a banda e esquecer de cantar. Um breve ensaio leva a alguns ajustes e à terceira tentativa, a qual é fantástica com apenas um violão, o baixo e a bateria acompanhando o cantor no início.

- 6. It Ain't No Big Thing (But it's Growing) (Takes 3, 4, 5, 6): O take 3 traz apenas uma introdução de piano que Elvis gosta, enquanto as próximas duas tomadas são rápidos false starts. A sexta tentativa é quase idêntica ao Master, obtido três takes depois, mas Elvis ainda não está confortável.

- 7. This is Our Dance (Takes 6, 7, 8, 9, 10, 11 - Undubbed Master): Os únicos takes existentes desta música são os próximos da lista. Elvis erra o tempo no sexto e percebe que o andamento está mais lento no sétimo. O oitavo é abortado antes de iniciar e o nono dura apenas 90 segundos. Um pequeno ensaio no take 10 leva ao Master sem edição e sem overdubs.

- 8. Life (Take 10): É difícil saber o que levou à evolução da música a este ponto a partir do take 2, uma vez que as 8 tomadas entre eles estão perdidas, mas aqui Elvis cria mágica em uma tentativa clara e respeitável.  Antes da tomada, a FTD inseriu uma frase que, na verdade, faz parte do take 19: "Essa maldição é tão longa quanto a vida!"

- 9. Heart of Rome (Takes 2, 3 + Workpart Take 1 - Undubbed Master): Após um ensaio, Elvis faz um take quase perfeito até errar a letra. A próxima tomada é o Master conhecido, sem overdubs, em que Elvis desafina no finalzinho. Isso é corrigido com uma breve regravação do trecho.

- 10. Love Letters (Takes 3, 1): Aqui acontece novamente o que é comum a este álbum. Estes são os únicos dois takes sobreviventes, além do Master. O take 3 tem uma instrumentação muito gostosa, mas acaba na metade com Elvis tendo problemas vocais: "Vamos fazer outro, vamos fazer outro." Retornando à primeira tentativa, o piano é mais presente no mix e o cantor faz uma aproximação vocal mais gentil. O take só não poderia ser o Master porque ele limpa a garganta próximo ao final.

- 11. If I Were You (Takes 2, 3, 4, 5): O take 2 tem uma gostosa guitarra, mas Elvis erra a letra. A banda está animada e brinca um pouco, tocando "Yellow Rose of Texas". A próxima tomada tem um feel country muito charmoso, mas Elvis erra sua entrada quase no final. O take 4 consiste apenas de segundos da introdução, o que nos leva à quinta tentativa. As respostas do piano à melodia são fantásticas e o andamento é parecido com o do Master, que teria saído já aqui se o cantor não tivesse entrado no momento errado já na finalização.

- 12. Only Believe (Takes 1, 2, 3, 4 - Undubbed Master): A FTD disponibiliza aqui todos os takes desta música. No início, Elvis faz um breve ensaio da finalização, mas, quando a primeira tomada inicia, é a introdução que causa seu encerramento em segundos. O erro ocorre novamente no take 2 e o terceiro é quase completo, não fosse por uma desafinada quase no final. Na quara tentativa Elvis e a banda criam o Master sem overdubs.

- 13. Sylvia (Takes 1, 2, 3, 4, 9): "No primeiro refrão, continuem comigo, rapazes. No segundo também, isso me ajuda a cantar." Estes são todos os takes existentes além do Master, mas é uma pena que a FTD não tenha colocado aqui sua versão sem overdubs. A primeira tomada consiste de um delicioso ensaio que providencia um insight no processo criativo de Elvis e é seguida por um rápido false start. A terceira e quarta tentativas são quase completas, mas não soam muito coesas e o cantor erra o tom em ambas. O nono take vem logo após o Master e traz Elvis tentando melhorá-lo. 

- 14. Rags to Riches (Take 3 - Alternate Master): Este é quase o mesmo Master alternativo completo disponibilizado na faixa 14 do CD 1. A diferença é que aqui ele está sem os splices, mas mesmo assim com overdubs, indicando que este seria o Master oficial em algum ponto.

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Título:

Love Letters From Elvis
Selo:
FTD [FTD 324] [506020 975143 6]
Formato:
LP duplo
Número de faixas:
18
Duração:
74:00
Vinculado a:
Discografia FTD
Ano:
2020
Gravação:
4 a 9 de junho
Lançamento:
Agosto de 2020
Singles:
---



Para os amantes do vinil, a FTD preparou um disco duplo com MastersUndubbed Masters outtakes. No trabalho constam as faixas:

LP 1
LADO A
1. It Ain't No Big Thing (But it's Growing) (Master)
2. Heart of Rome (Takes 2, 3 - Undubbed Master)
3. When I'm Over You (Master)
4. Got My Mojo Working / Keep Your Hands Off of it (Master)
LADO B
5. Life (Takes 1, 2
6. Cindy, Cindy (Takes 2, 3 - Undubbed Master)
7. Rags to Riches (Take 3)
8. Love Letters (Takes 3, 1)
9. It Ain't No Big Thing (But it's Growing) (Takes 1, 2)

LP 2
LADO A
1. I'll Never Know (Master)
2. Something (11/08/70 MS Master)
3. This is Our Dance (Takes 6, 7, 9, 11 - Undubbed Master)
4. Only Believe (Takes 3, 4 - Undubbed Master)
LADO B
5. The Sound of Your Cry (Master)
6. It Ain't No Big Thing (But it's Growing) (Takes 3-6)
7. Love Letters (Master)
8. If I Were You (Takes 2-5)
9. Life (Take 10)
________________________________________________________________________________________________________________

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário!

LEMBRE-SE: Não postaremos mensagens com qualquer tipo de ofensa e/ou palavrão.