Elvis Presley Index: The Bicentennial Elvis Experience (CD - Fort Baxter, 1995)

quinta-feira, 4 de agosto de 2022

The Bicentennial Elvis Experience (CD - Fort Baxter, 1995)

Título:
The Bicentennial Elvis Experience
Selo:
Fort Baxter [2096]
Formato:
CD
Número de faixas:
23
Duração:
60:00
Tipo de álbum:
Concerto
Vinculado a:
Discografia extra-oficial
Ano:
1995
Gravação:
1 de agosto de 1976
Lançamento:
1995
Singles:
---


The Bicentennial Elvis Experience foi um dos lançamentos da fantástica e extinta Fort Baxter. Ele cobre o show de 1 de agosto de 1976 em Hampton Roads, Virginia - o último de Elvis na cidade. O trabalho encontra-se atualmente fora de catálogo.


O ano de 1976 tinha sido de mais altos do que baixos e Elvis estava contente com o andamento das coisas. Sua vontade de gravar ainda era pouca, mas as sessões na Jungle Room de Graceland foram divertidas e bastante produtivas. Ele já não parecia interessado em Las Vegas, e Vegas era recíproca.

Na metade daquele ano, não parecia que Elvis tinha voltado à antiga forma ou que isso fosse possível. Suas apresentações ainda eram inconstantes, e ele se mostraria lento e por vezes confuso no início dos concertos, embora nada como as terríveis apresentações de agosto do ano anterior em Las Vegas. De fato, o cantor melhoraria em muito sua performance a partir de junho, culminando no ótimo show de 31 de dezembro de 1976 em Pittsburgh, mas era claro que ele já não tinha mais aquela chama que queimava em seu âmago.

Neste trabalho a Fort Baxter trouxe pela primeira vez aos fãs o concerto de 1 de agosto de 1976 em Hampton Roads. Não há nada mais emocionante do que encontrar um soundboard remasterizado de um show de Elvis Presley como este, com isso qualquer fã concorda. Pela qualidade do som e pela maneira como o riff de abertura começa com Tony Brown arrasando no piano, poderíamos imaginar que essa seria uma ótima performance, mas as aparências às vezes enganam.

 Infelizmente, as apresentações de Elvis estavam muito questionáveis durante a maior parte do verão de 1976. Este concerto não seria exceção. Os fãs aplaudiram e gritaram de qualquer maneira apenas por poder testemunhar um ícone do rock em carne e osso enquanto ele cantava. O que alguns espectadores não perceberam foi que a voz de Elvis estava muito rouca e desafinada.

Abaixo segue nossa resenha deste CD.
-----------------------------------------------------------------------------------------------

- 1. Also Sprach Zarathustra / See See Rider: A fanfarra anuncia o início da apresentação. O áudio cristalino impressiona pela idade da fita. Elvis entra soando cansado e claramente doente. A versão é mediana.

- 2. I Got a Woman / Amen: "Tivemos um show tardio ontem à noite e eu só dormi duas horas, então..." Elvis, provavelmente sabendo de sua condição não tão boa, tenta explicar o óbvio cansaço e falta de fôlego. Depois de uma breve rotina do "well, well, well", Elvis faz uma rendição arrastada do clássico de Ray Charles. Ronnie Tutt tenta dar um gás ao cantor durante a rotina do striptease, mas o esforço não dá resultados. Em seguida o Rei do Rock brinca com JD sobre ele ser "o humano mais baixa do mundo" e faz uma finalização boa.

- 3. Love Me: "Muito obrigado, senhoras e senhores. Boa tarde. Nossa, isso soa estranho... 'Boa tarde'... Eu acabei de acordar!" Elvis estava com razão, apesar de aparentemente não saber disso: "Boa tarde" soava estranho porque já era noite. Para disfarçar sua falta de voz para o show, ele se concentra nas fãs que gritam por sua atenção e faz uma versão mediana.

- 4. If You Love Me (Let Me Know): "Ok. Se Você Me Ama, Me Deixe Saber; se não, então vai tomar..." A voz de Elvis soa bastante fraca, mas a versão é a padrão da época.

- 5. You Gave Me a Mountain: "Muito obrigado. Mountain." Elvis não está inspirado, mas ainda assim faz uma boa versão. Há um excelente mix que privilegia a orquestra aqui.

- 6. All Shook Up: "Eu gostaria de fazer um medley de alguns dos meus discos para vocês." O medley de sucessos dos anos 1950 começa e o cansaço de Elvis - físico e devido ao fato de serem músicas muito repetidas e tediosas para ele - se evidencia.

- 7. Teddy Bear / Don't Be Cruel: Elvis se volta a seus fãs e sua voz soa fraca.

- 8. And I Love You So: "Ok. Vamos lá." A falta de fôlego e a melancolia na voz de Elvis até ajudam nesta rendição, mas fica claro que ele não está interessado nem em condições de fazer o show.

- 9. Jailhouse Rock: É óbvio que Elvis está genuinamente desinteressado nesta versão, mas pelo menos ele não murmura as palavras ou se enrola com a letra.

- 10. Fever: Esta é uma versão descartável onde a voz de Elvis falha em vários pontos e seu fôlego é quase inexistente.

- 11. America, the Beautiful: "Obrigado, senhoras e senhores. Já que é nosso ano bicentenário, gostaria de fazer nossa versão de 'America' para vocês.Esta é uma versão magnífica, mas não tem o mesmo brilho de alguns dias antes.

- 12. Return to Sender: "Por favor, cante 'Return to Sender'? Querida, se nós a soubermos..." Este é "o" highlight da noite. A única rendição ao vivo deste clássico do filme "Girl! Girls! Girls!" é feita a pedido das fãs do fan club Return to Sender. E elas ganham uma versão mais do que boa.

- 13. Introductions: "Gostaria de apresentar os membros do meu grupo a vocês." Elvis apresenta The Sweet Inspirations, JD Sumner e os Stamps -, Ed Enoch (a introdução de Ed foi cortada por problemas na fita), Pat Brown, Kathy Westmoreland e Sherrill Nielsen.

- 14. Early Morning Rain: "Na guitarra rítmica, de Springfield, Missouri, está John Wilkinson." O solo de Wilkinson segue o padrão da época.

- 15. What'd I Say: "Na guitarra solo, de Shreveport, Louisiana, está James Burton." James faz seu trabalho como de costume.

- 16. Johnny B. Goode / Solos: "Vou pedir a John para que toque a guitarra atrás de sua cabeça. Ele consegue. Quer dizer, James." Elvis percebe que errou o nome de seu guitarrista e cita os apóstolos para tentar disfarçar. "John" faz um ótimo solo.

 - 17. Band Introductions: Na sequência Ronnie Tutt faz um solo impressionante de quase dois minutos, seguido de Jerry Scheff, Tony Brown e David Briggs. 

- 18. Love Letters: "Na primeira vez em que David Briggs e eu trabalhamos juntos, foi sua primeira sessão de gravação e nós fizemos uma música chamada 'Love Letters'. Espero que consiga cantá-la." A versão é mediana, com Elvis murmurando muitas palavras.

- 19. Band Introductions / Hail! Hail! Rock 'n' Roll!: Elvis apresenta Charlie Hodge, Joe Guercio e sua orquestra.

- 20. Hurt: "Tenho um novo disco lançado, gostaria de cantar para vocês." Antes de iniciar a música, Elvis brinca: "Esperem um minuto, preciso pegar a calcinha desta garota." A performance é uma das menos memoráveis, com Elvis soando totalmente sem força vocal. "Yeah, muito obrigado. Querem ouvir aquela última parte de novo?" Elvis soa um pouco melhor.

- 21. Hound Dog: Versão descartável, como sempre.

- 22. Funny How Time Slips Away: "Senhoras e senhores, agora que tiveram a chance de nos verem, gostaria de acender as luzes da casa para podermos dar uma olhada em vocês. Good Golly, Miss Molly!" Surpreso com as 11 mil pessoas que abarrotavam o local, Elvis cita uma frase do famoso clássico de Little Richard. O clássico de 1971 é rendido de forma mediana, mas com Elvis no controle.

- 23. Can't Help Falling in Love / Closing Vamp: "Gostaria de lhes dizer algo, se me permitem. Gostaria de dizer que vocês foram um público fantástico para se trabalhar e sempre que quiserem que voltemos aqui, basta nos avisar e nós voltaremos, de verdade." Elvis atende aos fãs e canta em partes, sem conseguir atingir as notas finais. A fanfarra encerra o CD com um fade longo.
-----------------------------------------------------------------------------------------------

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário!

LEMBRE-SE: Não postaremos mensagens com qualquer tipo de ofensa e/ou palavrão.