Elvis Presley Index: New Haven '76 (CD - FTD, 2009)

segunda-feira, 1 de agosto de 2022

New Haven '76 (CD - FTD, 2009)

Título:
New Haven '76
Selo:
FTD [FTD 085] [506020 975006 2]
Formato:
CD
Número de faixas:
24
Duração:
70:00
Tipo de álbum:
Concerto
Vinculado a:
Discografia FTD
Ano:
2009
Gravação:
30 de julho de 1976
Lançamento:
Novembro de 2009
Singles:
---


New Haven '76 foi o octogésimo quinto CD da FTD. Ele cobre o show de 30 de julho de 1976 em New Haven, Connecticut. O trabalho encontra-se atualmente fora de catálogo.


O ano de 1976 tinha sido de mais altos do que baixos e Elvis estava contente com o andamento das coisas. Sua vontade de gravar ainda era pouca, mas as sessões na Jungle Room de Graceland foram divertidas e bastante produtivas. Ele já não parecia interessado em Las Vegas, e Vegas era recíproca, fazendo o Coronel escalá-lo para apenas uma temporada de 2 a 12 de dezembro no Hilton; esta, como sabemos hoje, seria a última de sua carreira na cidade. Ao invés do ar seco do deserto de Nevada, o Rei do Rock preferiu fazer apenas mais uma temporada em Lake Tahoe - onde se apresentara pela última vez dois anos antes - entre 30 de abril e 9 de maio de 1976.

Na metade daquele ano, não parecia que Elvis tinha voltado à antiga forma ou que isso fosse possível. Suas apresentações ainda eram inconstantes, e ele se mostraria lento e por vezes confuso no início dos concertos, embora nada como as terríveis apresentações de agosto do ano anterior em Las Vegas. De fato, o cantor melhoraria em muito sua performance a partir de junho, culminando no ótimo show de 31 de dezembro de 1976 em Pittsburgh, mas era claro que ele já não tinha mais aquela chama que queimava em seu âmago.

Neste trabalho a FTD traz pela primeira vez de maneira oficial o concerto de 30 de julho de 1976 em New Haven, e infelizmente ele é um tanto esquecível. Muitos fãs de Elvis consideram que esta é a pior turnê de verão do cantor, pois ele se resumiu a interpretar o mínimo absoluto de músicas de uma forma sem brilho. Esta turnê, iniciada em 23 de julho, veio logo após a demissão de seus três guarda-costas e parece que isso o impactou bastante. Outra coisa que pairava no ar - e certamente em seus pensamentos - era o sermão sobre performances ruins que o Coronel lhe dera dois dias antes.

Abaixo segue nossa resenha deste CD.
-----------------------------------------------------------------------------------------------


- 1. Also Sprach Zarathustra: Com o início cortado, a fanfarra anuncia o começo do show. O áudio é cristalino, indicando que ao menos a experiência auditiva valerá a pena.

- 2. See See Rider: Elvis entra na música soando claramente medicado, parecendo sem fôlego e murmurando algumas palavras. Felizmente, aqui ele está ciente de onde se encontra e o que precisa fazer, ao contrário de alguns dias depois. A versão da música é mediana.

- 3. I Got a Woman / Amen: "Muito obrigado. Obrigado, senhoras e senhores. Obrigado." Elvis, agindo como coordenador de palco, pede ao técnico de iluminação que mantenha um holofote em Ronnie Tutt. Uma breve rotina do "well, well, well" - em que sua voz falha! - leva a uma rendição arrastada do clássico de Ray Charles. Depois da rotina do striptease, os dive bombs de JD tomam conta do ambiente e Elvis se mostra de bom humor, brincando com JD sobre ele ser "o humano mais baixa do mundo." A finalização da música é boa.

- 4. Love Me: "Crianças, esperamos que se divirtam esta noite. Apenas divirtam-se, vamos fazer muitas músicas - antigas, novas, algumas que o JD nunca ouviu antes. Então relaxem e... É um palco muito alto!" Elvis soa preocupado com altura do palco em um momento em que precisa se aproximar mais dos fãs. Embora se dedique mais a presentear as mulheres histéricas, a versão até que não é de todo ruim.

- 5. If You Love Me (Let Me Know): "Muito obrigado. Hey, ouçam - ouçam por um segundo, pessoal. Sem brincadeiras, não queremos que alguém caia e se machuque aqui, então, de verdade, tenham cuidado. Temos muito pela frente, muitos lenços..." Aparentemente, as fãs estão ensandecidas esta noite. A rendição em si é mediana, com toques que ouviríamos nas versões dos anos seguintes.

- 6. You Gave Me a Mountain: "Muito obrigado." Esta é uma das showstoppers mais pedidas, mas não soa como se Elvis estivesse inspirado. A guitarra de James Burton está bem clara no mix, dando a esta versão um ar de semelhança com a de 1977 no "Elvis in Concert".

- 7. Help Me: "Gostaria de cantar uma música que gravamos há alguns anos, senhoras e senhores. Se chama 'Help Me'." Elvis e o Gospel sempre tinham uma relação de cumplicidade no palco. Quando se tratavam de músicas do gênero, o cantor parecia indiscutivelmente reavivado. Esta é uma das melhores versões do single de 1974, embora mais lenta do que de costume.

- 8. All Shook Up: "Muito obrigado. Eu gostaria de fazer um medley de alguns dos meus discos para vocês - se consigo ou não, isso é outra história, mas com certeza gostaria de tentar." A bronca do Coronel obviamente ainda o está corroendo. A música não se sustenta enquanto Elvis se volta a seus fãs e sua voz soa fraca.

- 9. Teddy Bear / Don't Be Cruel: Outra descartável, mas que soa bem melhor do que algumas anteriores.

- 10. And I Love You So: Embora a plateia pareça muito entusiasmada, pode-se notar que Elvis está genuinamente desinteressado nesta versão. Talvez ele esteja tonto ou grogue por causa de suas medicações e o medo de cair do palco ao ser puxado por uma fã seja a razão de ele estar muito cauteloso e desatento com a letra e o andamento.

- 11. America, the Beautiful: "Senhoras e senhores, já que é o ano do nosso bicentenário, gostaria de fazer nossa versão de 'America, the Beautiful' para vocês.Esta é uma das melhores da noite, mas certamente não faz parte do top 10 daquele ano. A reprise do final é magnífica.

- 12. Jailhouse Rock: Esta é uma versão curta e descartável, como de costume em 1976.

- 13. Funny How Time Slips Away: "Gostaria de acender as luzes da casa e dar uma olhada em vocês, porque não consigo vê-los daqui." Quando as luzes se acendem, o cantor vê o aglomerado de fãs na beira do palco e comenta brincando: "É por isso, estão todos aqui." A rendição do clássico de 1971 transcorre de forma espetacular para aquele ano, com Elvis no controle da interpretação e fazendo alguns trocadilhos na letra. A finalização de JD é fantástica.

- 14. Introductions: "Antes de qualquer outra coisa, gostaria de apresentar os membros do meu grupo a vocês." Elvis apresenta The Sweet Inspirations, JD Sumner e os Stamps - as introduções de Ed Enoch e Pat Brown foram cortadas -, e Sherrill Nielsen.

- 15. Early Morning Rain: "Na guitarra rítmica, de Springfield, Missouri, está John Wilkinson." O solo de Wilkinson segue o padrão da época, mas a rendição é mais longa do que o normal. O próprio guitarrista parece acabar a música de forma brusca.

- 16. What'd I Say / Johnny B. Goode / Solos: "Na guitarra solo, senhoras e senhores, de Shreveport, Louisiana, está James Burton." James faz seu trabalho como de costume nos dois solos que lhe competem. Na sequência Ronnie Tutt, Jerry Scheff, Tony Brown e David Briggs apresentam os seus.

- 17. Love Letters: "Na primeira vez em que David Briggs e eu trabalhamos juntos - e preciso dizer, esse cara dirige três estúdios e deixa cerca de 400 músicos malucos - mas na primeira vez em que trabalhamos juntos nós fizemos uma música chamada 'Love Letters', e eu gostaria de cantá-la para vocês agora." A versão é mediana, com Elvis murmurando muitas palavras.

- 18. School Days: Elvis apresenta Charlie Hodge, Joe Guercio e sua orquestra. Por descuido ou por seu estado de saúde, ele esquece de introduzir Kathy Westmoreland.

- 19. Hurt: "Tenho um novo disco lançado, gostaria de cantar para vocês agora." Relativamente nova no setlist, tendo sido incluída em março de 1976, esta versão é uma performance magnífica e muito bem interpretada por todos. A plateia aplaude efusivamente e Elvis pergunta: "Querem ouvir de novo?" Com a resposta positiva, a música é repetida por completo e soa ainda melhor. "Muito obrigado, senhoras e senhores. Fico feliz que tenham gostado, obrigado."

- 20. Hound Dog: Versão descartável, como sempre, com Elvis distribuindo lenços e beijos.

- 21. Hawaiian Wedding Song: Após conversar com um fã que pedia um lenço desesperadamente, Elvis diz: "É um palco alto, é difícil de ver todo mundo aí embaixo." Ele então apresenta a música: "Nós fizemos um filme chamado 'Blue Hawaii', e no filme estava a 'Hawaiian Wedding Song', então eu gostaria de cantar um pouco para vocês." A versão ouvida aqui é uma das melhores de 1976, com o piano soando de maneira espetacular.

- 22. Can't Help Falling in Love: O cantor resolve encerrar a apresentação sem a costumeira "Polk Salad Annie". "Gostaria de lhe dizer que vocês foram um público fantástico para se trabalhar e sempre que quiser que voltemos aqui, basta nos avisar e ficaremos felizes em voltar." Como sempre, Elvis atende aos fãs e canta em partes.

- 23. Closing Vamp: A fanfarra de encerramento está completa neste lançamento, terminando com as já icônicas frases: "Senhoras e senhores, Elvis já deixou o recinto. Obrigado e boa noite!"

MÚSICA BÔNUS

- 24. Return to Sender (1 de agosto de 1976 - Hampton Roads, VA): "Por favor, cante 'Return to Sender'? Querida, se nós a soubermos..." Este é "o" highlight da apresentação que marcou o último concerto de Elvis em Hampton Roads. A única rendição ao vivo deste clássico do filme "Girl! Girls! Girls!" é feita a pedido das fãs do fan club Return to Sender. E elas ganham uma versão mais do que boa.
-----------------------------------------------------------------------------------------------

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário!

LEMBRE-SE: Não postaremos mensagens com qualquer tipo de ofensa e/ou palavrão.